Por Edivaldo Brito; Para O TechTudo


Nanotecnologia é um termo usado para referir-se ao estudo de manipulação da matéria numa escala atômica e molecular, ou seja, é a ciência e tecnologia que foca nas propriedades especiais dos materiais de tamanho nanométrico. O principal objetivo  é criar novos materiais, novos produtos e processos a partir da capacidade moderna de ver e manipular átomos e moléculas.

O nome foi citado pela primeira vez por Richard Feynman em Dezembro de 1959 e definido pela Universidade Científica de Tóquio, no ano de 1974. Mas foi somente a partir do ano de 2000 que a nanotecnologia começou a ser desenvolvida e testada em laboratórios.

A base do uso da nanotecnologia é o nanômetro, uma unidade de medida assim como o quilômetro, o metro e o centímetro. Ele equivale a um bilionésimo de metro, o que abre espaço para muitas possibilidades, mas também traz grandes desafios para conseguir trabalhar em uma escala tão minúscula. A maior prova dessa dificuldade, está o fato de que apenas laboratórios e indústrias que têm equipamentos de alta precisão conseguem lidar com essa tecnologia.

As possibilidades de aplicação

Com a nanotecnologia será possível, por exemplo, otimizar os efeitos de remédios levando-os diretamente para onde são necessários dentro do corpo, o que diminuiria a toxidade das drogas, os efeitos colaterais e as dosagens. Também será possível fazer algo parecido em tratamentos como o do câncer, atacando apenas as células defeituosas.

 Embora muitas das possibilidades a nanotecnologia ainda estejam no universo da ficção científica, por causa das dificuldades em tornar realidade alguns procedimentos, a cada dia surgem novas pesquisas em torno do assunto, o que certamente tornará possível muitas coisas em um futuro próximo.

Voltando para a realidade

Voltando um pouco para a realidade, já existem alguns produtos que são resultado do uso da nanotecnologia. Dentre esses, merece destaque os microprocessadores. Toda vez que os processadores evoluem é necessário usar um novo processo de produção com uma escala menor, para poder fabricar as partes internas dele (que atualmente já são fabricados em 45 nanômetros) e assim diminuir seu tamanho e o consumo de eletricidade. É graças as pesquisas e ao desenvolvimento da nanotecnologia que hoje é possível ter equipamentos cada vez menores, e com maior poder computacional.

Além dos microprocessadores, a nanotecnologia já está presente em alguns tecidos com características especiais, equipamentos médicos como cateteres, válvulas cardíacas, marca-passo, implantes ortopédicos, protetores solar, produtos para limpar materiais tóxicos, sistemas de filtração do ar e da água, vidro autolimpante, coberturas resistente a arranhões, curativos antimicrobiano, limpadores de piscinas, desinfetantes e muitas outras soluções. Na prática, a nanotecnonlogia hoje abrange vária áreas com suas diversas aplicações.

A nanotecnologia ainda está em fase inicial aqui no Brasil, mas já apresenta alguns resultados importantes. Um bom exemplo disso é a “língua eletrônica”, um dispositivo que combina sensores químicos de espessura nanométrica, com um sofisticado programa de computador para detectar sabores. O dispositivo foi desenvolvido por um grupo de pesquisadores da Embrapa, liderados pelo Dr. L. H. Mattoso.

Além disso, em agosto de 2013, foi inaugurado no país a Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia (IBN), que consiste em diversar ações que, juntas, buscam criar, integrar e fortalecer atividades ligadas ao tema e promover o desenvolvimento científico e tecnológico do setor.

O impacto da tecnologia

Além das dificuldades técnicas, o desenvolvimento da nanotecnologia esbarra em aspectos sociais e ambientais que levantam muitas discussões e questionamentos. Existe muito debate nas implicações futuras da nanotecnologia, pois os desafios são parecidos aos de desenvolvimentos de novas tecnologias. Dentre as discussões estão as questões sobre a toxicidade e o impacto ambiental causado pelo uso dos nanomateriais e os potenciais efeitos disso na economia global.

Todas essas questões levantam a necessidade de uma regulação sobre nanotecnologia e outras burocracias. Por causa disso, o desenvolvimento dessa área pode demorar. Mas independente dessas dificuldades, a nanotecnologia é constantemente impulsionada por seus defensores e por novas necessidades que vão surgindo e aumentando a importância dessa área.

Mais do TechTudo