Por Filipe Garrett; Para O TechTudo


A AMD liberou drivers, chamados de Unified Video Decoder para decodificação de vídeo em máquinas que rodem sistemas baseados no Linux. A iniciativa, pioneira da marca no mercado, vem de encontro a uma antiga reividicação dos usuários da plataforma livre. Por uma série de restrições legais e de direitos autorais, máquinas rodando Linux não podiam tirar partido do hardware para realizar tarefas de reprodução e renderização de vídeo.

Tux, uma presença constante no FISL (Foto: Nick Ellis) — Foto: TechTudo

Tudo muda com o Unified Video Decoder da AMD, que passa a integrar suas versões de drivers para placas gráficas e sistemas Linux. Agora, o usuário que dispuser de hardware da marca e optar por algum sistema operacional livre terá o conforto de saber que, ao reproduzir algum vídeo de alta resolução, conseguirá usar toda a capacidade da placa gráfica para atingir a melhor qualidade possível na execução.

Como os drivers são ainda muito recentes falta documentação sobre a ferramenta e é bem provável que usuários mais experientes precisem fazer adaptações no Unified Decoder para que ele funcione corretamente nas vastas possibilidade de hardware e software oferecidas pelo ecossistema Linux.

Nada que vá assustar a comunidade do software livre que, por anos, vem se engalfinhando em lutas constantes com extensos projetos de engenharia reversa, drivers ineficientes e codecs limitados para executar conteúdos de vídeo e aproveitar melhor o hardware que possuem. Caso você tenha alguma versão de placa gráfica da AMD em sua máquina e use Linux, procure instalar as versões mais atualizadas dos drivers da empresa adequados ao seu sistema.

Via Engadget

Mais do TechTudo