Por Milena Pereira; da Redação


Desde os primeiros disquetes, e seus míseros 80 Kb de espaço, os dispositivos de armazenamento móvel evoluíram significativamente. O TechTudo esclarece para você um pouco da história do CD, ZipDrive, cartão de memória e outros dispositivos que marcaram época. Entenda como eles se tornaram cada vez menores em tamanho e maiores em qualidade.

Disquetes, CDs, e ZipDrive conviveram juntos durante algum tempo (Foto: Reprodução/Flickr/Churl) — Foto: TechTudo

Disquetes

Os extintos disquetes, criados nos anos 70, em suas primeiras versões mediam 8 polegadas e disponibilizavam apenas 80Kb de espaço para armazenamento; pouco depois surgiu o modelo de 5,25 polegadas. Em meados dos anos 90, popularizou-se a versão mais compacta, com 3,5 polegadas e uma “impressionante” capacidade para armazenar até 1,44 Mb.

CD e DVD

O CD (Compact Disc) surgiu no início dos anos 80 e, devido a sua qualidade de som, em pouco tempo conquistou o espaço antes ocupado pelo disco de vinil. O sucesso arrebatador que fez acabou por popularizar, consequentemente, o gravador de CD. Desde então, mais do que ouvir músicas, tornou-se possível gravá-las, no CD-R, ou ainda apagá-las e regravá-las novamente, no CD-RW.

CD e DVD (Foto: Reprodução/Photl) — Foto: TechTudo

Como todo tipo de dado pode ser armazenado nele, não tardou para que fosse um sucesso também na área de informática, já que com 12 cm de diâmetro possuia capacidade de armazenamento de até 700 Mb, o equivalente a 486 disquetes. Percebido isso, o disco compacto ganhou uma outra função: dispositivo de backup.

Já o DVD (Digital Versatile Disc) foi criado alguns anos depois, em 1997, porém, apenas no ano 2000 passou a ser comercializado em terras brasileiras. Com capacidade de 4,7 Gb de espaço, mal chegou e já conseguiu abocanhar 80% do mercado nacional de vídeos.

ZipDrive

Introduzido em 1994, o ZipDrive possuia o tamanho de um disquete de 3,5 polegadas, embora fosse mais robusto, e originalmente, tinha capacidade de armazenar 100 Mb.

ZipDrive tinha capacidade de 100 Mb (Foto: Reprodução/SXC) — Foto: TechTudo

Nas versões posteriores, chegou ao limite máximo 750 Mb. Apesar de ter um espaço considerável para a época, ações judiciais contra a marca e o alto valor de venda não permitiram que ele desbancasse o disquete ou o CD.

No início dos anos 2000 já quase não se ouvia falar desse dispositivo de armazenamento.

Cartão de Memória

No final dos anos 90, os primeiros cartões de memória apareceram no mercado. A portabilidade e o grande espaço de armazenamento foram os principais atrativos da novidade. No entanto, a produção desenfreada para os mais variados suportes fez com que não houvesse uma padronização de formato, o que tornou diversos modelos obsoletos muito rapidamente.

Memory card (Foto: Reprodução/SXC) — Foto: TechTudo

Apesar da grande variedade, os leitores de cartão de memória facilitam a vida dos usuários, já que tornam os dispositivos compatíveis em muitos computadores. Hoje, é possível encontra cartões de memórias em câmeras fotográficas, celulares, tablets, consoles de videogames portáteis e muitos outros dispositivos.

Atualmente, um cartão de memória, mesmo medindo milímetros, pode dispôr de até 128 Gb de espaço e velocidade de tranferência de dados de 45 Mb por segundo, em média. Na foto, um dos primeiros lançados, suportava apenas 128 Mb.

Pendrive

O Pendrive é um dispositivo de armazenamento móvel que permite a conexão, com um computador ou equipamento, através de entrada USB. Desenvolvido no ano 2000, ele surgiu com a missão de fazer backup e resgatar os dados danificados que o antigo disquete deixou de herança.

Pendrive (Foto: Reprodução/Techtudo) — Foto: TechTudo

Mais resistente, com maior capacidade de armazenar, e mais veloz, ele caiu no gosto popular e contribuiu para extinção definitiva do, já moribundo, disquete. Atualmente é possível encontrar pendrives de 100 mm, com até 512 Gb de espaço para armazenamento.

A Kingston anunciou que, em breve, irá comercializar o pendrive Data Traveler HyperX Predator 3.0 na versão de 1Tb. Esse, que será o pendrive mais potente do mundo, fará leitura e gravação de arquivos em velocidades de 240 MB/s e 160MB/s, respectivamente.

Tabela armazenamento móvel (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Uma outra alternativa: HD Externo Portátil

Para aqueles que precisam armazenar um número maior de arquivos, o HD (“hard disk drive”, ou Disco Rígido), é altamente recomendado. Embora ele não seja o tipo de dispositivo que se carrega na bolsa usualmente, a capacidade de armazenamento oferecida é realmente mpressionante.

Detalhe do Seagate Wireless Plus (Foto: Pedro Cardoso/TechTudo) — Foto: TechTudo

Por incrível que pareça, o primeiro HD foi lançado em 1957, com seus 152 cm de comprimento e 174cm de largura. Na época, ele possuia capacidade de armazenar 5 Mb, um valor ínfimo comparado aos modelos feitos a partir do ano 2000. Na versão portátil, um HD pode comportar até 3Tb de dados em apenas 84 mm, menor do que um disquete.

Mais do TechTudo