Publicidade

Por Pedro Zambarda; Para O TechTudo


Brasil Game Show é atualmente o maior evento de jogos na América Latina, porém a feira nasceu como um pequeno projeto no Rio de Janeiro. Na edição desta semana da coluna Geração Gamer, o diretor e idealizador da BGS, Marcelo Tavares (34), conversou com o TechTudo sobre as origens do evento e suas impressões sobre o mercado nacional de jogos.

A BGS chegou a atrair 100 mil pessoas em 2012, para ver Mario, Luigi, Donkey Kong e muitos outros jogos (Foto: Divulgação/BGS) — Foto: TechTudo

A origem da BGS

A Brasil Game Show nasceu como Rio Game Show, em 2009. “No final de 2008 eu percebi que estavamos há três anos sem nenhuma feira de games no país, e achei que era o momento de criar um novo evento”, explicou Marcelo. Aproximadamente 8.000 pessoas compareceram na feira do Rio, projetando a feira a nível nacional. Sobre a crescente relevância do evento, Marcelo comenta: “Acho que o Brasil já perdeu tempo demais como um mercado secundário da indústria de games. Temos que aproveitar este momento e conquistar o merecido espaço no cenário mundial”.

Kratos, de God of War: A feira se chamava Rio Game Show em 2009, antes de ser rebatizada para Brasil Game Show (Foto:Divulgação/BGS) — Foto: TechTudo

A história da BGS se mistura com o passado do próprio Marcelo Tavares, que era considerado o maior colecionador de videogames do Brasil no período. “Eu sempre fui apaixonado por games, tenho mais de 230 consoles de videogame e cerca de 3000 jogos. Desde o primeiro Atari que ganhei, aos sete anos de idade, eu não parei mais de jogar e justifico tamanha paixão transformando meu antigo hobby em profissão”, disse Marcelo.

“Hoje em dia tenho 34 anos e nunca parei de jogar. Eu sempre reservo pelo menos duas horas por dia para jogar alguma coisa. Essa foi a razão de tudo no começo e continuar pensando como fã só facilita as coisas para mim”, completa Marcelo. O organizador acredita que ter a mentalidade de gamer e continuar a consumir jogos facilita seu entendimento do mercado e dos eventos atuais.

Evento traz o console Atari para os gamers nostálgicos (Foto: Divulgação/BGS) (Foto: Evento traz o console Atari para os gamers nostálgicos (Foto: Divulgação/BGS)) — Foto: TechTudo

Expansão da BGS na América Latina

Já com o nome Brasil Game Show, 60 expositores e campeonatos de games, o evento de Marcelo Tavares atingiu 30 mil pessoas em 2010, tornando-se o mais importante do segmento na América do Sul. Em 2011, a audiência duplicou para cerca de 60 mil pessoas, passando a ser o maior evento de videogames da América Latina. Nessa terceira edição, os produtores Yoshinori Ono (Street Fighter) e Zafer Coban (Batman Arkham City) estavam presentes conversando, dando autógrafos e tirando fotos com os fãs. Na ocasião, os ingressos esgotaram.

Brasil Game Show se tornou o maior evento da América Latina em 2011 (Foto: Divulgação/BGS) — Foto: TechTudo

No ano de 2012, 100 mil pessoas foram ao evento que ocorreu pela primeira vez em São Paulo. Nessa quarta edição, a feira movimentou cerca de R$ 50 milhões em negócios, de acordo com a organização. “A Brasil Game Show já dobrou em 2013 comparado ao ano passado. Em 2014 o nosso objetivo será o mesmo”, adiantou Marcelo Tavares ao TechTudo.

“Acredito que a BGS é uma grande vitrine do mercado brasileiro lá fora. O evento ajuda no crescimento do nosso mercado ao promover os games tanto para a imprensa especializada como para a grande mídia”, disse o organizador. Em 2010, por exemplo, o Brasil Game Show gerou cerca de mil reportagens em veículos nacionais e internacionais, entre TVs, sites, revistas, rádios e jornais.

O foco da Brasil Game Show é principalmente o jogador brasileiro, apesar do evento servir para negociações (Foto: Divulgação/BGS) — Foto: TechTudo

Mesmo muito otimista quanto ao seu próprio trabalho, Marcelo Tavares é muito mais modesto quanto ao mercado 100% nacional. Ele fala entusiasmado sobre a presença no Brasil de fábricas de Xbox 360, da Microsoft, e de PS3, da Sony, além dos jogos dublados e localizados para o público brasileiro. Porém, o tom muda ao tratar sobre a indústria nacional de games. “O nosso mercado ainda está em uma fase inicial de seu crescimento. O que ainda falta principalmente é a presença de algumas empresas internacionais que ainda não atuam no Brasil e na América Latina”, diz Marcelo. O organizador não falou sobre desenvolvedores brasileiros, embora a BGS seja um espaço de troca de informações e negócios em nosso país.

O papel do fã para melhorar um evento

“Já tivemos casos recentes em que fãs brasileiros ajudaram o trabalho da Brasil Game Show, pedindo novos participantes através das redes sociais de produtores." Segundo Tavares a presença da produtora do game The Witcher na BGS 2013 se deve ao clamor dos fãs brasileiros na Internet. "Tudo começou com o tuíte de um fã brasileiro”. Para o organizador, o papel do jogador e admirador de títulos de games é fundamental para a sobrevivência da cena em nosso país.

Além de organizador da BGS, Marcelo Tavares é fã dos games desde os sete anos (Foto: Divulgação/BGS) — Foto: TechTudo

Em 27 anos como gamer, Marcelo também tem seus heróis e jogos favoritos. “Gosto muito de personagens como Mario, Sonic, Blanka e Sub-Zero. Atualmente estou curtindo Call Of Duty, Battlefield, Forza, Gran Turismo, F1, Fifa e PES. Jogo tanto no PS3, como no Xbox 360, Wii U, PSVita e até mesmo os games casuais no iOS”, explica.

A BGS 2013 será realizada no Expo Center Norte, em São Paulo, entre os dias 25 e 29 de outubro.

Mais do TechTudo