Por Emanuel Schimidt; Para O TechTudo


O projeto “Ensinando Privacidade” da Universidade da Califórnia (Berkeley), em parceria com o Instituto Internacional de Ciência da Computação, criou um site que mostra como os dados que postamos diariamente na Internet podem contar muito mais detalhes sobre nós do que imaginamos. Como exemplo prático, os pesquisadores desenvolveram um "site rastreador" que usa publicações do Twitter e do Instagram chamado “Ready or Not?” (Pronto ou Não?).

'Ready or not' cria mapa de localização só com dados publicados no Twitter (Foto: Reprodução/Internet) — Foto: TechTudo

O aplicativo usa as informações de geolocalização que o próprio usuário postou no Twitter e no Instagram. Com esses dados, ele mostra no mapa onde e quando a publicação foi realizada.

O objetivo do projeto, como o nome sugere, é educar crianças e adolescentes sobre a importância da privacidade na Internet e fazê-los entender como as ações que efetuam virtualmente podem ter impacto real se caírem nas mãos erradas.

Os adolescentes geralmente são os mais expostos pois, além de usarem várias redes sociais e divulgarem muita informação, também têm a tendência de assumir mais riscos e não se importar muito com as consequências de expor seus dados publicamente.

O site do projeto, que infelizmente só tem versão em inglês, expõe vários paradigmas que, geralmente por falta de conhecimento, não levamos em conta ao navegar pela Internet.

App mostra como as informações do usuário podem ser vistas pela Internet. (Foto: Reprodução/Kaspersky) (Foto: App mostra como as informações do usuário podem ser vistas pela Internet. (Foto: Reprodução/Kaspersky)) — Foto: TechTudo

Alguns dos pontos importantes que o "Ready or Not?"esclarece são:

1) A Internet sempre se lembrará

Praticamente tudo que fazemos na rede, em algum momento, é duplicado; seja por um backup da empresa responsável pelo serviço, seja por um retuíte de outro usuário, ou mesmo por cópias que os sites de busca fazem. Portanto, uma atitude errada no mundo virtual dificilmente será esquecida.

2) Alguém pode estar vigiando

Qualquer informação que trafegue pela Internet, e que não esteja criptografada, pode ser lida por qualquer pessoa como um cartão postal, onde qualquer um pode ler a mensagem escrita no verso. Portanto, é sempre bom pensar duas vezes antes de enviar alguma informação particular pela rede.

3) A informação é valiosa

Qualquer informação que nós dermos é valiosa para alguém, seja para uma empresa que quer nos vender um produto ou mesmo, como os casos recentes mostram, para os governos. Empresas como o Google e o Facebook têm grande parte da sua renda com origem em anúncios, e as informações que divulgamos nas redes são usadas de alguma forma por elas.

4) Você pode ser mal interpretado

Nem todas as pessoas entendem sua publicação da mesma forma que você gostaria. Um pequeno problema de interpretação, por vezes, pode gerar consequências desastrosas. Acrescido pelo fato de que uma informação dificilmente consegue ser apagada da Internet, um ruído de comunicação pode gerar uma grande dor de cabeça.

5) Mecanismos de busca estão em constante evolução

Não é por que algo não pode ser encontrado hoje, que amanhã continuará escondido. Os mecanismos de busca, como o Google.com, estão em constante evolução e pode ser que amanhã alguém encontre o que você não queria que se tornasse público. O mesmo acontece com os termos de compromisso dos sites, que podem mudar do dia pra noite e abrir suas informações, como fotos, para qualquer pessoa sem que você esteja completamente ciente.

6) Você não tem como escapar

Mesmo que você esteja completamente offline, algum amigo ou parente pode estar divulgando informações sobre você. Pedir para que não o envolvam nas conversas online ou coloquem fotos com você pode ajudar, mas não impede que as pessoas publiquem.

Pense antes de publicar

A melhor forma de evitar que seus dados sejam tão expostos é, primeiramente, pensar antes de publicar. Em seguida, o usuário deve sempre verificar que tipo de permissões concedeu aos aplicativos e sites que usa. A maioria deles permite que informações de geo-localização, por exemplo, não sejam informadas. Desativar e não vincular Instagram, Facebook e Foursquare às suas contas no Twitter é a melhor maneira de reduzir o risco de ser rastreado.

Configurar as contas de forma que seja possível dar mais privacidade para seus dados é essencial para diminuir os riscos de ter sua vida invadida. Para os pais que estão preocupados, algumns softwares tem soluções para controlar as atividades do seu filho, seja realizando bloqueios ou vendo que tipo de informações ele está publicando na Internet.

Para testar como vai a sua privacidade nas redes sociais, basta inserir o seu login de Twitter ou Instagram na caixa de texto do site e verificar os resultados no mapa do "Ready or Not". Ao clicar no calendário com data e hora da publição, ela será localizada no mapa virtual.

Quer saber como proteger o PC do ataque de hackers? Veja no Fórum TechTudo.

Mais do TechTudo