Por Emanuel Schimidt; Para O TechTudo


A Sony Europeia atualizou os Termos de Uso da Playstation Network, e, entre as alterações, assume a possibilidade de monitorar as atividades dos jogadores, além de também proibir a venda de games usados. A nova revisão deixou mídia e jogadores um tanto preocupados, ainda mais pela promessa da Sony de que não haveria problemas em revender games de PlayStation 4 usados.

PS4 no Brasil pode ganhar novidades sobre preço (Foto: Reprodução/PS Blog) — Foto: TechTudo

“Você não deve revender Softwares em disco nem Softwares obtidos por download, a não ser que seja expressamente autorizado por nós e, se o publicador for outra empresa, adicionalmente por ela”, diz a seção 7 das novas regras. Além disso, o novo Termo de Compromisso diz que quando o jogador compra um novo game ele não é dono do software, mas apenas possui licença para usá-lo. Esse texto, apesar de parecer apenas mudança de linguagem para o que todos já sabem, visa fechar lacunas, principalmente quanto à distribuição de jogos digitais e, obviamente, pirataria.

O presidente da Sony Worldwide Studios, Shuhei Yoshida, após toda a repercursão negativa, postou uma mensagem no Twitter tranquilizando os fãs: “Se você está preocupado com nosso novo Termo de Serviço europeu, nós confirmamos que é possível vender ou compartilhar seus produtos em disco do PS4, incluindo na Europa”.

Presidente da Sony Worldwide Studios garantiu que games do PS4 poderão ser revendidos. (Foto: Reprodução/Twitter) — Foto: TechTudo

O outro ponto polêmico do novo termo é o da seção 14, que tem o título “Estamos monitorando a PSN?”. A Sony diz que sim, todas as suas ações na Playstation Network, como vídeos gravados, mensagens de texto e conversas em áudio, poderão ser monitoradas sem aviso prévio ao jogador, podendo inclusive ser compartilhada com empresas parceiras e também com a polícia ou autoridades legais.

Em tempos de espionagem, a Sony parece ter preferido ser clara sobre a possibilidade de monitoramento de atividades em alguns casos para evitar ser acusada de invasão de privacidade, ainda que tais medidas não aconteçam de fato.

Via IGN

Mais do TechTudo