Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


DLC é uma sigla cada vez mais presente no mundo dos games. Ela tem um significado bem simples: downloadable content, ou seja, conteúdo ‘baixável’. Nada mais são do que arquivos extras, add-ons, que os usuários podem baixar (e na maioria das vezes, comprar) para seus jogos.

Games de tiro costumam ter vários DLCs (Foto: Reprodução/Gamebang) — Foto: TechTudo

Normalmente, os DLCs são pagos, e consistem em diversas novidades para os games, como personagens, mapas, roupas e até modos de jogo diferenciados. Desenvolvedores de jogos estão utilizando cada vez mais este recurso nos consoles da nova geração.

Os motivos são simples. Obviamente, o fator econômico pesa, mas o objetivo também é manter o usuário jogando um game pelo maior tempo possível. Independente de terminar a campanha tradicional do jogo, o gamer terá também novos desafios a cumprir.

Games para PS4 têm DLCs na PS Store (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

São muitos os games que se utilizam destes recursos atualmente. Além de novos modos de jogo e opções de personalização, os DLCs também podem ser moedas e créditos pra compras in-game, como a Virtual Currency do NBA 2K14 e os Fifa Points do Fifa 14.

Os DLCs mais famosos, no entanto, são mesmo em jogos de luta, como Mortal Kombat, que oferece roupas diferentes e personagens via download, de aventura, como modos de jogo, armas e roupas em GTA 5 e The Last of Us, além dos FPS como CoD e Battlefield.

Xbox One também tem muitos DLCs (Foto: Murilo Molina/TechTudo) — Foto: TechTudo

Os “season passes”, assinaturas que desenvolvedoras lançam para usuários baixarem todos os DLCs de um determinado game, também estão fazendo bastante sucesso no mercado de games atual.

Como surgiram os DLCs

A história dos DLCs nasce ainda em 1997, no Total Annihilation, um jogo de computador da Cavedog que, a cada mês, oferecia novos conteúdos adicionais. Já nos consoles, o Dreamcast foi o primeiro a suportar DLCs online, mas ainda em tamanho bem limitado.

Game de 97 foi primeiro a ter DLCs (Foto: Reprodução/Desura) (Foto: Game de 97 foi primeiro a ter DLCs (Foto: Reprodução/Desura)) — Foto: TechTudo

A popularização se deu mesmo no Xbox, quando a Microsoft começou a oferecer uma série de variados conteúdos extras para seus jogos, como Splinter Cell, Halo 2 e Ninja Gaiden. Todos disponibilizados pela Xbox Live, e à época, a maioria ainda de graça.

Entretanto, com a chegada do Xbox 360, a empresa integrou ainda mais esse conteúdo, com uma sessão inteira do console para o Marketplace da Xbox Live. Foi lá também que nasceu o sistema de pontos (Microsoft Points) e o uso de códigos de cartões.

DLC de Halo 2 bombou no Xbox (Foto: Reprodução/Softpedia) — Foto: TechTudo

Posteriormente, a Nintendo e a Sony adotaram modelos semelhantes com os Nintendo Points no Wii Shop Channel e os PSN Cards da PlayStation Store, respectivamente. E, então, começou-se a utilizar bastante este artifício.

DLCs famosos nos últimos anos

Diversos DLCs ganharam fama, e tornaram games famosos ainda mais populares nos últimos anos. A expansão Blood Dragon para o Far Cry 3, que dá um ar futurista ao seu jogo tradicional, é uma delas.

Far Cry 3: Blood Dragon foi sucesso (Foto: Divulgação/Ubisoft) — Foto: TechTudo

GTA IV: The Ballad of Gay Tony é outra expansão lembrada com carinho pelos gamers. Lançada em 2010, era uma continuação do game principal, mas com várias novidades, como armas e veículos diferenciados, além de um novo protagonista.

Fallout 3: Point Lookout, L.A. Noire: The Naked City, Assassin’s Creed: Brotherhood – The Da Vinci Disappearance, Mass Effect 3: The Citadel e Skyrim: Dragonborn também estão nesta lista de expansões aclamadas pelos gamers.

GTA IV tem DLC bem famoso (Foto: Divulgação/Rockstar) — Foto: TechTudo

Todos estes DLCs são grandes mudanças nos jogos, expandindo-os com vários novos desafios. Além deles, há também uma série de downloads de add-ons mais básicos, de roupas, novos personagens, vestimentas e etc.

Críticas aos DLCs

Muitos usuários não gostam dos DLCs e fazem duras críticas às fabricantes pelo fato de este tipo de conteúdo estar se tornando cada vez mais comum. Segundo quem não curte, este modelo de comercialização é só mais uma forma de arrecadar dinheiro.

Há quem alegue que, agora, em muitos games quem tem mais dinheiro para comprar os conteúdos se dá melhor, e outros criticam o fato de muitas partes que tornam os games mais interessantes estarem sendo vendidas separadamente.

Existem diversas montagens ironizando a questão das expansões e dos conteúdos que devem ser baixados com preços relativamente altos atualmente. Há quem diga que nos games antigos, os personagens eram secretos. Hoje, são compráveis.

O futuro dos DLCs

Apesar das críticas, a tendência é de que, os DLCs continuem a ter grande presença nos consoles da nova geração. No próprio PlayStation 3, o “melhor game de 2013″, The Last of Us, terá uma expansão lançada em fevereiro desse ano.

The Last of Us ganhará expansão (Foto: Divulgação/Naughty Dog) — Foto: TechTudo

GTA 5, Assassin’s Creed 4, Call of Duty: Ghosts e Battlefield 4 são outros exemplos de games atuais que têm conteúdo extra via download. Portanto, não há dúvida de que os DLCs chegaram para ficar. Gratuitos ou pagos, eles já são partes vitais dos games.

Você já comprou DLCs na PSN? Opine no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo