Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


O Google lançou o Android Wear há alguns dias como uma maneira de facilitar a adoção do sistema pelos principais fabricantes de eletrônicos do mundo. Porém, o presidente da Sony nos EUA, Ravi Nookala, declarou na última terça-feira (25) que a fabricante japonesa não entrará na onda lançada com o Moto 360 e continuará a usar a sua própria versão do Android para SmartWatches.

Sony SmartWatch não adotará Wear, mantendo sua versão do Android modificada pela companhia japonesa (Foto: Stella Dauer/TechTudo) — Foto: TechTudo

Segundo o executivo, o principal motivo seria o tempo já dedicado para adaptar o sistema operacional móvel para os produtos vestíveis da empresa. “Nós já investimos tempo e dinheiro nessa plataforma e vamos continuar nessa direção”, disse Nookala.

A iniciativa deixa a Sony isolada em relação as outras empresas no mercado de tecnologias vestíveis. Os concorrentes tendem a abraçar mais o sistema Wear do que as modificações realizadas no Android original, como é o caso da linha Sony SmartWatch. 

Com isso, o Google mantém como parceiros no sistema Android Wear o restante dos fabricantes que já investem no robô no mercado de smartphones, como Asus, HTC, LG e até a Samsung, que recentemente optou pelo Tizen na segunda geração do smartwatch Galaxy Gear 2.

Até agora, além da Motorola e seu Moto 360, a LG já anunciou seu relógio inteligente rodando o Androir Wear. Com um design de linhas retas, o G Watch ainda não teve suas configurações divulgadas, mas já se sabe que o Google Now está presente.

Mais do TechTudo