Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


Como tudo na vida, na Internet há momentos em que as novidades se transformam em verdadeiros fenômenos. Porém, em algum tempo, caem no esquecimento. O Orkut, primeira rede social a se tornar popular no Brasil, é o mais novo hit dos anos 2000 a ter sua aposentadoria anunciada. Além do site de relacionamento do Google, outros ícones da web já foram descontinuados e tirados do ar. Há, ainda, aqueles que se renovaram, ou foram substituídos por novas plataformas. Para matar um pouco a saudade da última década, o TechTudo preparou uma lista com os gigantes que caíram no ostracismo.

Orkut, ICQ, MSN e outros serviços do ano 2000 caíram no esquecimento após virarem fenômeno (Foto: Arte/TechTudo) — Foto: TechTudo

- Orkut

O Orkut é o serviço online mais recente a ter seu fim decretado. Criado em 24 de janeiro de 2004, o serviço do Google foi considerado sinônimo de redes sociais no Brasil até ser engolido pelo Facebook. Entre os principais recursos da rede estavam o mural de recados (scraps), as comunidades, os depoimentos, o card de sorte do dia, as mensagens privadas, os aplicativos e jogos, o registro de visitantes recentes de perfil e a classificação do usuário em confiável, legal e sexy.

Orkut é o mais novo serviço a ter a aposentadoria anunciada pelo Google (Foto: Divulgação/Orkut) (Foto: Orkut é o mais novo serviço a ter a aposentadoria anunciada pelo Google (Foto: Divulgação/Orkut)) — Foto: TechTudo

Em seu ápice, chegou a possuir 40 milhões de usuários ativos, cerca da metade da população brasileira com acesso à Internet. No entanto, as frequentes trocas de visual, disseminação de perfis falsos, vírus e as investidas do Facebook no país fizeram com que a rede social perdesse a liderança em 2012. Nos últimos meses, o número de pessoas conectadas ao Orkut era de apenas seis milhões de internautas, o que pode ter sido decisivo para que o Google anunciasse o fim da rede em setembro de 2014.

- MSN Messenger (Windows Live Messenger)

Se o Orkut reinou nos corações brasileiros quando o assunto era rede social, o MSN foi quem brilhou em mensagens instantâneas. Criado em 22 de julho 1999, o programa da Microsoft ganhou popularidade ao vir incluído no Windows XP e foi o responsável por destronar o bate-papo do ICQ. Para se conectar, tudo o que o usuário precisava era de uma conta de e-mail (Hotmail, Live ou MSN).

MSN Reviver (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Entre as funcionalidades de destaque do MSN estava a possibilidade de enviar mensagens de texto, aúdio, vídeo e arquivos e fazer conversas em grupo com amigos. Em julho de 2009, o serviço registrou mais 330 milhões de usuários em todo o mundo, mas começou a perder espaço para outras ferramentas como o chat integrado ao Facebook, o Google Talk (atual Hangouts), entre outros. No último ano, a Microsoft começou um processo de migração de usuários para Skype e desativou o serviço no dia 27 de maio de 2013.

- ICQ

O ICQ foi o grande pioneiro no ramo de mensagens instantâneas, revolucionando a comunicação rápida entre pessoas online. Nascido em 15 de novembro de 1996, o programa foi lançado em versão beta para o Windows 95 e alcançou a marca de 1 milhão de usuários em dois anos. A equipe responsável pelo mensageiro também foi uma das primeiras a investir nos celulares, lançando uma versão móvel do serviço em 1999 (ICQ WAP, ICQ SMS e ICQ para Java).

ICQ agora também nos celulares (Foto: Divulgação/ICQ) — Foto: TechTudo

Assim como o MSN, o ICQ se destacou por oferecer a troca de mensagens em tempo real entre usuários, que poderiam acessar o serviço através de software, web, celular e e-mail e tinham ainda um número de identificação único. Apesar da marca de 100 milhões de usuários ativos em 2001, o programa não suportou a concorrência da Microsoft, que incluiu o MSN no Windows. Atualmente, o ICQ tenta ganhar novo fôlego com novas funcionalidades em smartphones e tablets.

O MySpace foi mais uma rede social destronada pelo Facebook, mas que ainda sobrevive. Criada em 2003, a rede trazia funcionalidades básicas deste tipo de serviço, como mensagens, e-mail interno, fóruns e grupos. Chegou a liderar por muitos anos e se manter como uma das mais populares dos Estados Unidos, mas foi também ultrapassada pela rede de Mark Zuckerberg rapidamente.

MySpace já foi rede mais popular nos EUA, mas perdeu espaço para o Facebook (Foto: Divulgação/MySpace) (Foto: MySpace já foi rede mais popular nos EUA, mas perdeu espaço para o Facebook (Foto: Divulgação/MySpace)) — Foto: TechTudo

A história do MySpace é marcada por reviravoltas. Em 2005, a dona da rede foi comprada por US$ 580 milhões pela News Corporation, mas foi vendida por “apenas” US$ 35 milhões de dólares seis anos depois. No fim de 2012, o MySpace passou por uma reformulação e foi relançado com novas funcionalidades e características, especialmente voltadas para interações musicais e seus fãs.

- mIRC

O mIRC divide com o ICQ o posto de pioneiro em conversa virtual. No entanto, ao contrário dos demais, o programa era bastante simples e pouco intuitivo. Sua principal característica era a utilização do protocolo Internet Relay Chat (IRC), que servia para a troca de mensagens em fóruns e salas de chat.

mIRC é um dos pioneiros nas mensagens instantâneas, apesar de pouco intuitivo (Foto: Divulgação/mIRC) (Foto: mIRC é um dos pioneiros nas mensagens instantâneas, apesar de pouco intuitivo (Foto: Divulgação/mIRC)) — Foto: TechTudo

Um dos grandes diferenciais do mIRC é que, para entrar no serviço, o usuário é que precisava escolher o servidor no qual gostaria de conectar. No Brasil, por exemplo, o BrasNET e BrasIRC eram os mais populares. Assim como boa parte dos serviços citados, o mIRC ainda continua ativo, mas sua utilização caiu muito e está muito ligada a usuários do Linux em busca de informações.

- Napster

O Napster foi o responsável por causar um verdadeiro rebuliço na indústria fonográfica da década de 2000. Lançado em 1999, o pioneiro no serviços de troca de arquivos P2P (Peer-to-peer) foi amplamente utilizado para a distribuição de músicas em MP3. Para isso, o programa utilizava não usava servidores para fazer a transferência, mas conectava os computadores dos usuários.

Napster foi um fenômeno cercado de polêmicas por promover compartilhamento de músicas ilegal (Foto: Reprodução/Napster) — Foto: TechTudo

O grande problema do Napster, porém, é que toda essa troca de músicas era considerada ilegal, o que fez a indústria fonográfica e inúmeros artistas a processarem os responsáveis pelo programa. Após batalhas judiciais e indenizações milionárias, o serviço tentou adotou um modelo pago de streaming.

Assim como o Napster, outros programas P2P, como o eMule e Shareaza, sofreram com o abandono dos usuários. Alguns, ainda existem, mas perderam espaço para o compartilhamento via torrent.

- Fotolog

Se o Instagram é a moda mais recente para o compartilhamento de fotos, o Fotolog foi um dos precursores dos álbuns virtuais na década passada. Criado em 2002, a ferramenta se destacava por oferecer usabilidade simples em um tempo onde redes sociais mais populares como o Orkut possuiam ferramentas bastante limitadas.

Fotolog também se renova para a web móvel com aplicativos (Foto: Divulgação/Fotolog) — Foto: TechTudo



Ao chegar o Brasil, a rede alcançou tamanha popularidade que foi obrigada a limitar a criação de contas a um máximo de cem por dia para evitar problemas técnicos. Atualmente, o Fotolog ainda permanece ativo, com versões para iOS e Android, e tem cerca de 33 milhões de usuários em todo mundo, bem longe dos 200 milhões de usuários do Instagram em março deste ano.

- Second Life

O Second Life foi um simulador virtual que se tornou uma febre na metade dos anos 2000. Criado em 2003, este programa recriava um mundo virtual no qual o usuário poderia interagir com outros internautas, passear em um ambiente 3D e até voar. No seu auge, o aplicativo chegou a receber poderosos investimentos de empresas, que montaram estandes virtuais para mostra e teste de produto.

Second Life é um simulador online bastante popular na última década (Foto: Divulgação/Second Life) (Foto: Second Life é um simulador online bastante popular na última década (Foto: Divulgação/Second Life)) — Foto: TechTudo

Oficialmente, o Second Life chegou ao Brasil apenas em 2007, mas não obteve o sucesso esperado e teve suas atividades no país encerradas dois anos depois. Atualmente, o simulador ainda existe e é possível baixá-lo, porém está longe de ser o sucesso da última década. Conheça os motivos da queda de popularidade do simulador que vai ganhar sequência com Oculus Rift.

- Colheita Feliz

O Colheita Feliz foi primeiro grande jogo social do Brasil, lançado em junho de 2009. O usuário deveria cuidar de uma fazenda virtual, fazendo plantações, criando animais, combatendo pragas e ajudando ou roubando as plantações dos amigos. Em seu auge, o chegou a ser utilizado por mais de 22 milhões de pessoas. Os servidores ficavam algumas horas fora do ar tamanha sua popularidade.

Colheita Feliz foi o primeiro grande fenômeno das redes sociais, mas perdeu fôlego com o Orkut (Foto: Divulgação/Mentez) — Foto: TechTudo

Apesar do sucesso, o Colheita Feliz não resistiu e caiu no esquecimento. Além da concorrência de novos jogos do gênero, o aplicativo da Mentez também sofreu bastante com a queda do Orkut e a ascensão do Facebook no país. Atualmente, o aplicativo usa o nome inglês "Happy Harvest" e incentiva os usuários a migrarem seus dados para a rede de Mark Zuckerberg.

- Habbo Hotel

O Habbo, como é popularmente chamado, é um game social que mistura simulação e chat como o Second Life, mas com um visual mais simples. Criado em 1999 e lançado no ano seguinte, o jogo se passa em um hotel com quartos e salas virtuais. Inicialmente, os usuários podiam interagir entre si e dançar, mas novas funcionalidades foram adicionadas ao longo do tempo.

Habbo Hotel ainda existe, mas passou por grandes reviravoltas e não tem a mesma popularidade de antes (Foto: Divulgação/Habbo) — Foto: TechTudo

O Habbo Hotel não chegou a ser considerado um fracasso, tendo atualmente 28 milhões de personagens cadastrados no Brasil e 19 milhões de visitas mensais. Entretanto, o game social está longe de ser uma febre como na última década e passou por inúmeras reviravoltas, tendo sua primeira versão fechada e relançada em novembro de 2009.

Mais do TechTudo