Por Da Redação; Para O TechTudo


A McAfee, fabricante de antivírus, divulgou um novo estudo analisando as ameaças mais perigosas encontradas na Internet no primeiro trimestre de 2014. E a constatação não é positiva: os golpes online  – como phishing e malware – aumentaram em relação aos três últimos meses de 2013.

Relatório da McAfee mostra os maiores perigos da Internet no início de 2014 (foto: Reprodução/McAfee) — Foto: TechTudo

Nos dados sobre phishing, por exemplo, houve um crescimento de 30% neste curto período. Os Estados Unidos lideram o ranking de países que originam mais links suspeitos, sendo responsável por 55% dos casos, enquanto apenas 2% deles são do Brasil.

O número de URLs suspeitas apresentou um crescimento recorde, atingindo 18 milhões de casos – 19% a mais do que o último trimestre de 2013. O número de spam aumentou 34%, atingindo 7,5 trilhões de mensagens – dados muito superiores aos de e-mails legítimos, que segundo a McAfee é de 2 trilhões.

Qual é o melhor antivírus grátis? Veja no Fórum do TechTudo.

Uma das fontes de malwares mais comuns nos últimos meses foram clones do jogo Flappy Bird. O aplicativo foi desativado em fevereiro de 2014, no alto de sua popularidade, o que levou a criação de vários apps similares. A McAfee analisou 300 cópias diferentes e encontrou códigos suspeitos em 232 deles, ou seja, 77% dos aplicativos.

Os problemas dos "clones" do app variavam entre fazer chamadas sem a autorização do usuário, ler, enviar ou deletar mensagens de SMS e até mesmo instalar novos aplicativos.

Cópias do jogo Flappy Bird eram usadas para disseminar golpes na Internet (foto: Reprodução/McAfee) — Foto: TechTudo

Outra descoberta da McAfee foi um novo recurso das botnets, que agora seriam capazes de minerar moedas virtuais, como bitcoins, usando recursos dos computadores infectados. A desenvolvedora de segurança online alerta, entretanto, que esse método não é eficaz, já que para minerar uma quantidade significativa seria necessário usar muita memória, o que revelaria o vírus.

A McAfee também alerta que estão aumentado o número de casos registrados de rootkit – um tipo de código malicioso que esconde certos tipos de atividades no sistema operacional. O número de casos havia caído no final de 2013 e um dos motivos seria a maior segurança da arquitetura de 64 bits, mas os casos voltaram a crescer neste ano.

Via McAfee

Mais do TechTudo