Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


A gigante russa Mail.ru acaba de anunciar um acordo para a compra do VKontakte, rede social mais popular do país, e que cresceu muito em outros locais (inclusive no Brasil) após o anúncio do fechamento do Orkut, em 30 de setembro. Por US$ 1,47 bilhão (R$ 3,43 bilhões), a empresa, que já tinha 52% das ações do VK em 2007, adquiriu os outros 48% e tornou-se a única dona do site.

VK, maior rede social russa, foi comprada pelo Mail.ru (Foto: Divulgação/VK) — Foto: TechTudo

Fundada em 1998, a companhia, que iniciou como um serviço de e-mails, hoje é dona de boa parte dos grandes sites russos. De acordo com a comScore, em 2013, 86% dos usuários da Internet na Rússia acessam suas páginas mensalmente. Ela já controlava as outras duas redes sociais mais populares do país, Odnoklassniki (odnoklassniki.ru) e Moy Mir (moymir.ru), antes de comprar o VKontakte.

O VK, por sua vez, é considerado o “Facebook russo” por ser a maior rede social do país. Segundo dados da Alexa Internet, em 2013, ele era o segundo site mais acessado da Federação Russa, com acesso de 33 milhões de usuários por dia. Foi fundado em 2006 e lembra muito o Orkut. Tanto que muita gente no Brasil migrou para ele após o anúncio dado pelo Google.

Ou seja, agora, o maior serviço de e-mail e a rede social mais popular da Rússia pertencem ao Mail.Ru Group Limited, que já detinha 52% das ações do VKontakte, e agora finalizou a aquisição dos outros 48%. O valor do acordo é de US$ 1,47 bilhão (R$ 3,43 bilhões). Como parte da negociação, disputas antigas por ações e brigas judiciais também foram encerradas.

“Aceito a decisão dos meus ex-parceiros de abandonarem suas queixas sobre o Telegram e de transferir as entidades americanas para meu controle. De minha parte, encerro as críticas contra a UCP e parabenizo todas as partes envolvidas no acordo”, afirmou Pavel Durov, fundador do VK.

Enquanto os usuários de outras redes sociais ainda estão conhecendo o VK, executivos do Mail.ru planejam desenvolver a rede e deixá-la ainda melhor. "A consolidação de 100% da compra do VK e o término de todos os litígios permitirá maior foco no produto e no seu desenvolvimento. Respeitamos os resultados bem sucedidos conduzidos pela equipe do VK e não planejamos mudanças significativas na equipe ou no próprio produto", explicou Dmitry Grishin, confundador e CEO do Mail.Ru Group. 

O VK pode ser comparado a redes sociais como Orkut, Facebook e Google+ e permite baixar e publicar arquivos como músicas e vídeos em comunidades de usuários segmentadas por temas. Já o Telegram, mensageiro do mesmo grupo, também criado por Pavel Durov, é um rival do WhatsApp Messenger.

Veja os comparativos:

Mais do TechTudo