Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


A Apple aprensentou na terça-feira (9), a o tão esperado Apple Watch , relógio inteligente integrado com o sistema operacional iOS e com a assistente virtual Siri. Porém, antes do relógio da Apple, outros wearables com Android Wear já estavam disponíveis no mercado há um tempo, como o Samsung Gear Live, LG G Watch e Moto 360. Mas afinal, para que servem os smartwatches? 

Relógio da Apple tem visual arrojado (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Os relógios inteligentes funcionam, a princípio, como uma extensão do smartphone. A integração é feita via Bluetooth e oferece praticidade ao usuário para acessar informações e aplicativos, além de permitir a leitura e o envio de e-mails e SMS.

Tanto os gadgets Android, quanto o Apple Watch, possuem aplicativos que trazem informações sobre trânsito e localização. Eles também permitem a comunicação com contatos, controlar música, emitir comandos de voz, configurar alarmes e o calendário, receber notificações e ver a previsão do tempo. O auxiliar pessoal dos relógios do Android Wear, o Google Now, mostra até o seu cartão de embarque assim que você chega dentro do aeroporto.

Android Wear tem várias opções de apps (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

A tendência agora é que o aparelho passe a ganhar cada vez mais autonomia do smartphone e consiga efetuar funções sem seu apoio. Por isso alguns modelos mais recentes já buscam essa independência: o Apple Watch permite ao usuário atender uma chamada telefônica sem tirar o iPhone do bolso e o Gear S, da Samsung, possui entrada para cartão SIM, efetuando chamadas telefônicas próprias.

Muitos dos aparelhos ainda não estão disponíveis no Brasil e nem tem previsão de lançamento por aqui, como é o caso do Apple Watch e do LG G Watch. Já o Moto 360 e o Gear S devem chegar nos próximos meses, mas ainda sem preço confirmado. O importante é que cada vez mais esses gadgets estarão evoluindo e presentes em nossas rotinas.

Mais do TechTudo