Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


Conseguir conectividade entre celulares, tablets e TV sem precisar de Internet e de maneira segura. Parece ideal, mas será que é possível? A tecnologia de Wi-Fi Direct começa a se tornar popular, mas a maioria das pessoas ainda não sabe da sua utilidade. Para esclarecer e descomplicar a tecnologia para você, o TechTudo explica tudo sobre essa nova forma de conectar gadgets.

WiFi Direct é a rede formada por dispositivos wireless compatíveis (Foto: Reprodução/Wireless Alliance) — Foto: TechTudo

O que é?

Todos os equipamentos portáteis, capazes de estabelecer conexão wireless, possuem um controlador  e uma antena. Em tese, seria fácil criar redes entre esses dispositivos. Bastaria um protocolo para que eles “conversem” entre si. Esse raciocínio é o que está por trás de uma tecnologia conhecida como Wi-Fi Direct, cada vez mais comum em absolutamente tudo que usa interface wireless.

O Wi-Fi Direct é um sistema de conexão entre dispositivos que dispensa o uso de um roteador. Suponha que você tenha um smartphone e um televisor com esse sistema. Isso significa que você pode conectar um aparelho no outro, sem o uso do roteador. Com isso, fica mais fácil distribuir conteúdo de um aparelho para o outro.

No papel, a ideia é que o Wi-Fi Direct também permita descobrir todos os dispositivos que suportam a tecnologia na região. Cabe ao usuário optar pelos quais deseja estabelecer conexão.

Mas isso não o mesmo que Bluetooth faz?

É, a ideia é a mesma. Só que essa tecnologia é muito mais rápida e segura, dado os níveis de encriptação de dados que são suportados pelas interfaces wireless, como WPS e WPA2.

WiFi Direct permite a conexão de dispositivos diferentes, via wireless, sem o uso do roteador (Foto: Divulgação/D-Link) — Foto: TechTudo

O Wi-Fi Direct substitui o roteador?

Esse padrão foi desenvolvido com vistas a suportar tarefas que não dependem da Internet. Suponha que você queira imprimir um arquivo que esteja no seu celular. Se o smartphone e a impressora possuírem Wi-Fi Direct, você pode, simplesmente, enviar o arquivo via wireless para a impressora. Você não precisa de cabos e nem de Internet.

Também é possível compartilhar rede pelo Wi-Fi Direct, mas essa tecnologia é melhor aproveitada em situações em que o usuário compartilhe dados numa rede direta.

Como funciona?

O Wi-Fi Direct usa dois recursos para mapear as redondezas: o Direct Device Discovery e o Service Discovery. O primeiro rastreia a área em que você está para localizar dispositivos que possuam Wi-Fi Direct, listando-os de maneira que o usuário escolha aos quais deseja se conectar. O Service Discovery lista serviços na área, como impressoras e TVs.

A Wi-Fi Alliance, entidade global que une fabricantes e desenvolvedores para padronização e desenvolvimento das interfaces wireless, criou essa tecnologia de modo que ela seja retrocompatível. Ou seja, mesmo dispositivos mais antigos terão capacidade de participar dessa rede descentralizada.

Além disso, a aplicação dessa tecnologia por fabricantes não deve adicionar custos de fabricação, uma vez que o protocolo usa o hardware convencional de qualquer sistema Wi-Fi: chips controladores e antenas.

Android, Windows Phone e iOS oferecem suporte ao WiFi Direct (Foto: Reprodução) — Foto: TechTudo

Wi-Fi Direct entre plataformas diferentes

Essa tecnologia faz parte do acordo global que rege o DLNA, o conjunto de padrões técnicos que estabelece linhas gerais para o funcionamento de interfaces que visem conectar aparelhos e sistemas operacionais distintos. Então, em tese, o Wi-Fi Direct deve ser capaz de conectar seu iPhone com a TV da LG e seu Xbox 360, por exemplo. Contudo, o padrão ainda está se popularizando, então a conectividade nem sempre será tão simples.

Mais do TechTudo