Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


O Apple Watch foi anunciado nesta segunda-feira (9) e vai custar US$ 349 (cerca de R$ 1090) em sua versão mais barata. O preço é salgado, se comparado à maioria dos rivais. Será que vale gastar mais nele do que em um Moto 360, por exemplo? Confira abaixo as características de cada um e a nossa conclusão.

O Apple Watch: visual premium, preço salgado

O relógio inteligente tem exatas 38 variações dentre os seus três modelos: tradicional, esportivo e de luxo. Isso sem falar nas diversas pulseiras que podem ser compradas à parte. Tantas opções de personalização dão a ele uma grande vantagem em relação aos seus rivais, pelo fato de deixar que o usuário tenha um gadget com a sua cara.

Relógio da Apple tem três modelos, com diversas variações (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

O modelo mais básico é o Sport, com case de alumínio e tela de 38 mm, que sai pelo valor de US$ 349. Os mais caros chegam a custar US$ 17 mil (R$ 53 mil), pois têm acabamento com ouro. Pelo visual e pela variedade, portanto, o Apple Watch não vai deixar em nada a desejar a seus rivais.

Em funcionalidades, ele tem, em todos os modelos, resistência à água, display Retina com Force Touch, sensores de luz, acelerômetro, giroscópio, medidor de batimentos, Bluetooth, resistência à água, microfone, Wi-Fi e alto falante. Ele roda o iOS, com uma espécie de versão portátil dos apps, além de ser compatível com o iPhone 5 ou superior.

O Apple Watch permitirá atender ligações, ler e responder e-mails, medir os batimentos cardíacos do usuário, monitorar atividades de saúde, receber notificações de quaisquer aplicativos do iPhone, fazer pagamentos com o Apple Pay e também realizar comandos com a assistente virtual Siri.

Os rivais: para quem pretende economizar

Tirando o Samsung Gear S, com tela curvada, que também custa US$ 350, todos os outros principais rivais do Apple Watch até o momento são mais baratos do que ele. Até mesmo os recém-lançados no MWC 2015, como o Pebble Time Steel, por US$ 299, e os modelos mais clássicos, como o Moto 360, por US$ 229.

Moto 360 é equipado com o Android Wear e chegou ao Brasil por R$ 899 (Foto: Isadora Díaz/TechTudo) — Foto: TechTudo

Ainda há outros relógios inteligentes bem interessantes no mercado, como os novos LG Watch Urbane e Urbane 4G, Sony SmartWatch 3, Asus ZenWatch e Pebble Time. Mas todos eles, menos os Pebble, são de uma compatibilidade voltada mais para dispositivos Android, bem diferente do Apple Watch.

Atualmente, quase todos os relógios têm as mesmas características, como monitorar os dados de exercícios, interagir com mensagens, e-mails e telefones, além de receber as notificações dos smartphones. O que mais varia, então, são a compatibilidade e o visual.

Por isso, em termos de desempenho, não vale a pena pagar mais pelo Apple Watch. Afinal, ele não possui grandes diferenciais que façam com que ele mereça ser cerca de US$ 300 (em torno de R$ 900) mais caro do que os principais relógios das companhias rivais. Porém, há outros motivos para isso.

Conclusão: vale se você tiver um iPhone

O principal motivo para se comprar um Apple Watch, sem dúvida, é se você já tem um iPhone. O relógio da Apple foi feito justamente para ter a melhor integração possível ao smartphone da empresa da maçã. Porém, é importante lembrar que ele é compatível e funciona bem somente com iPhone 5 ou superior, e com o iOS 8.2 instalado.

Relógio da Apple é o ideal para quem tem o iPhone (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Outra razão que pode fazer com que o consumidor prefira o Apple Watch é o seu visual. O estilo de um aparelho que você vai vestir diariamente é fundamental. Portanto, a opção de se escolher entre vários modelos diferentes, com características parecidas e ótimo funcionamento, vale bastante.

Se você tem um Android, não opte pelo Apple Watch. Se tem um iPhone, porém, vale a pena investir no relógio. A integração entre eles promete ser bem interessante. Mas não sabemos ainda quanto ele deve custar no Brasil, o que também poderá influenciar muito nesta decisão. Caso a diferença não seja tão grande, será uma boa aquisição.

Mais do TechTudo