Por Da Redação; da Build 2015


A Microsoft apresentou mais novidades do Windows 10 durante a Build 2015, evento para desenvolvedores que acontece entre 29 de abril e 1º de maio, em San Francisco. O Project Spartan, navegador sucessor do Internet Explorer, mudou de nome: agora é Microsoft Edge, integrado à Cortana. Outras surpresas da companhia incluem o HoloLens e a chegada de apps do Android e iOS ao Windows 10. A data de lançamento do sistema, porém, permanece um mistério. O TechTudo está presente na conferência e conta tudo o que acontece em todas as áreas: software, hardware e games.

Veja, no vídeo abaixo, as principais novidades do Windows 10 apresentadas na Build 2015

Satya Nadella, atual CEO da Microsoft, iniciou o discurso que abriu o evento falando sobre o passado. "De fato, estamos voltando à verdadeira origem da companhia", disse. "A Microsoft foi fundada por dois desenvolvedores que tinham a ambição de motivar desenvolvedores a criar grandes coisas. A nossa missão é dar poder para todas as pessoas e organizações do planeta para conquistarem mais", lembra.

A nostalgia se explica: O Windows 10, sucessor do Windows 8, traz de volta uma série de recursos para os computadores, incluindo um renovado Menu Iniciar, após pedidos e críticas ao atual software. Cross-platform, o Windows 10 vai funcionar no computador, no smartphone e no tablet sob um único código.

Build Microsoft 16 (Foto: Elson Junior/TechTudo) — Foto: TechTudo

Terry Myerson, vice-presidente de software, aproveitou para criticar a concorrência e reforçar o conceito. "Com a Apple, você pode escolher entre investir no Mas OS X ou no iOS. Com o Google, em investir no Android ou no Chrome OS. O Windows é um único sistema operacional", disse Myerson.

Windows 10 e Office rodam em smartsphones e computadores com o mesmo visual (Foto: Reprodução/Microsoft) — Foto: TechTudo

"O Windows 10 representa uma nova geração do Windows, construída para uma era de uma computação mais pessoal", disse Nadella, citando Raspberry Pi, computadores holográficos e celulares. "Temos uma plataforma unificada. Tudo, do Raspiberry Pi ao HoloLens, é feito para um sistema", afirma.

Microsoft Edge

Após muita expectativa, a Microsoft finalmente apresentou o nome do seu novo navegador: Microsoft Edge. A novidade foi recebida com surpresa, já que Spartan era o nome favorito dos consumidores. Até o chefe do Windows, Joe Belfiore, se enrolou ao falar do navegador, chamando-o pelo antigo nome.

Microsoft Edge (Foto: Reprodução) — Foto: TechTudo

Partindo para as funcionalidades, o Edge terá ainda aplicativos da web e extensões integradas, podendo ser facilmente importadas do Chrome. A gigante de software mostrou ainda uma nova página inicial do navegador, que reunirá sites mais visitados e também informações importantes, aproveitando as capacidades da Cortana e a novíssima função de anotações.

Continuum

A Microsoft dedicou parte do tempo para demonstrar como o Continuum vai funcionar entre computadores e tablets. Nesses dispositivos, o Windows vai ser capaz de adaptar a interface automaticamente para telas sensíveis ao toque ou mesmo para as comum, que usam mouse e teclado.

Já os Lumias apresentarão uma interface com área de trabalho, como a de computadores, ao serem conectados a monitores, mouse e teclados via USB ou Bluetooth. A novidade promete transformar os celulares em “PCs portáteis”, capazes de editar mais confortavelmente documentos do Pacote Office, em programas como Word, PowerPoint e Excel, por exemplo.

O Continuum para smartphones deve funcionar apenas com os aplicativos modernos. Ou seja, aqueles criados para dispositivos móveis, baseados em blocos dinâmicos. Sendo assim, não será possível abrir um aplicativo de desktop antigo ou mais pesado, baseado em sistema Win32.

Hololens

Partindo para o HoloLens, a Microsoft demonstrou mais um pouco sobre como o aparelho vai funcionar. Além dos hologramas tridimensionais, os óculos também poderão as tradicionais janelas de aplicativos de computadores em qualquer lugar do ambiente. O HoloLens oferecerá a possibilidade de redimensionar as telas flutuantes, ajustando o tamanho do seu interesse.

Além disso, será possível pedir para que elas lhe acompanhem pela casa, o que pode ser ótimo para quem não quer perder nenhum detalhe de um filme.

HoloLens Build 2015 (Foto: Reprodução/Microsoft) — Foto: TechTudo

Os óculos holográficos da Microsoft também poderão ser controlados por mouse, além dos dedos da mão, fazendo gestos no ar. O suporte a essa interação promete agradar quem precisa de mais precisão para trabalhar, além de trazer uma certa familiaridade para este “novo mundo”.

Hologramas para ensino

O HoloLens também deve ganhar funções focadas em medicina e ensino. A Microsoft anunciou parceria com universidades e institutos de saúde para recriar modelos tridimensionais do corpo humano e ajudar a verificar com mais detalhes um osso quebrado, o sistema circulatório e outros. A habilidade deve ser estendida também para áreas como arquitetura, engenharia, design, entre outras.

A Microsoft deu ainda mais detalhes de como o HoloLens é construído para oferecer uma experiência totalmente livre de fios e ajustável à anatomia do usuário. Os óculos da Microsoft não necessitarão de conexão com smartphones para funcionar, como ocorre atualmente com o Google Glass e outros rivais.

O Windows 10 também vai apostar pesado na Internet das Coisas (IoT). Os HoloLens também serão capazes de interagir com objetos reais e construir hologramas a partir deles, como foi demonstrado com um robô. O dispositivo pode também escanear o ambiente, perceber mudanças e até propor soluções, caso necessário.

Proposta ousada

A Microsoft bateu o martelo e anunciou uma proposta ousada: ter um bilhão de dispositivos rodando o Windows 10 em até três anos após o lançamento. O número seria superior à quantidade de usuários com Androids KitKat e iOS 8 no mundo. No entanto, a conta deve incluir dispositivos atualizados, e não somente os novos, e abranger todas as categorias de aparelhos suportados.

Microsoft 1 Billion (Foto: Reprodução/Microsoft) — Foto: TechTudo

Para atrair tantas pessoas, a Microsoft promete facilitar a vida de quem usa computadores: a Windows Store vai incluir apps .NET e Win32 (versões para desktop). Sendo assim, o usuário de PC não vai mais precisar baixar os instaladores separadamente.

A Build 2015 deu ainda mais alguns detalhes sobre os apps universais. Ao mostrar o aplicativo do USA Today, programa popular nos Estados Unidos, foi possível continuar o mesmo artigo aberto nos computadores em na versão para os smartphones Lumias. Tudo estava sincronizado na nuvem. Mesmo conceito que será usado em seus próprios programas, como o Office.

Office 2016

Em uma bancada repleta de dispositivos, entre computadores Windows e um iPad, Nadella mostrou rapidamente como a nova interface do Office 2016 vai se comportar em diferentes plataformas e integrada à rotina dos usuários, com conexões com outros aplicativos e acesso rápido a informações.

Office 2016 (Foto: Reprodução/Microsoft) — Foto: TechTudo

O Outlook 2016, parte do pacote, ganhou uma parceria com o polêmico Uber, serviço de aluguel de carros de passeio, que poderá ser integrado com o calendário do app. Assim, é possível ser avisado antes de um evento e já chamar um carro para transportar o usuário em pouquíssimos passos.

Visual Studio

Uma novidade que veio para agradar os desenvolvedores - e os consumidores que terão novos apps - foi uma nova e atualizada ferramenta de desenvolvimento completa, gratuita, para todos os sistemas e também para nuvem. A Microsoft anunciou que o Visual Studio será disponibilizado gratuitamente não só para Windows (VS Code), mas também para Linux, Mac OS X (Apple) e via browser.

Visual Studio (Foto: Reprodução/Microsoft) — Foto: TechTudo

A grande promessa para os consumidores é de que a manobra da Microsoft possa atrair mais desenvolvedores e aplicativos para o Windows 10, já que torna a plataforma de desenvolvimento da empresa bastante atrativa. O download estará disponível a partir desta quarta-feira (29).

Apps Android e iOS no Windows

A Microsoft resolveu radicalizar a sua tentativa de atrair mais apps para a Windows 10. Em uma iniciativa batizada de Plataform Bridge, ponte entre plataformas, a empresa vai trazer os apps do Android e iOS para os seus celulares.

O Windows 10 trará uma espécie de “subsistema” Android embutido, que rodará os apps do sistema rival, substituindo os serviços do Google pelos da Microsoft. Além disso, o Visual Studio ganhará uma visualização para a plataforma do robô, permitindo a conferir como o app ficará nos smarts que não são Windows.

A compatibilidade com os apps do iOS chegou cercadas de cutucada à rival Apple. Um executivo da Microsoft chegou a dizer que os desenvolvedores poderão visualizar todas as "bizarrices do Objective C", o código de apps do iOS. Além disso, a empresa mostrou um jogo onde maçãs eram destruídas e uma conquista da Xbox Live foi desbloqueada celebrando o fato.

Atualização gratuita por um ano

A Microsoft lembra ainda que a atualização para o Windows 10 em dispositivos Windows 7, Windows 8.1 e Windows Phone 8.1 novos ou existentes é gratuita para os que a fizerem ainda no primeiro ano.

A desenvolvedora do Windows transmite, ao vivo, a Build 2015 e suas sessões para desenvolvedores no site (microsoft.com/build2015). Acompanhe as novidades sobre o evento no TechTudo.com.br.

Sem datas e sem novos produtos

A Microsoft fez jus à proposta da Build e deixou muitas coisas aguardadas de fora da conferência. O Windows 10 segue sem uma data de lançamento oficial e os fãs dos smarts Lumias vão continuar à espera de um top de linha. A Build acontece até sexta-feira (1º) com cobertura do TechTudo diretamente de São Francisco, nos Estados Unidos.

*Colaborou Melissa Cruz

Mais do TechTudo