Publicidade

Por Da Redação; da Redação


Desde os anos 80 os consoles de videogame são alvo de boatos e histórias absurdas que nem sempre são desvendadas. Quem nunca assoprou um cartucho ou ouviu que o videogame estragaria a televisão? O TechTudo preparou uma lista com os melhores mitos e verdades. Confira!

Assoprar o cartucho poderia danificar o jogo (Foto: Lucas Mendes/TechTudo) — Foto: TechTudo

- Assoprar o cartucho ajuda

Mito: Quem jogava consoles que usavam cartuchos com certeza assoprou alguma fita para que voltasse a funcionar. Muitos gamers afirmam que a “assopradinha” realmente ajudava.

Verdade: Técnicos em games e, principalmente, donos de locadoras de jogos, odiavam esse mito. Afinal, as pequenas gotículas de saliva que saiam após o sopro colocavam a vida do cartucho em risco, corroendo e queimando a fita em pouco tempo. O recomendado sempre foi limpá-los com álcool isopropílico.

- Vire o PS1 de cabeça para baixo que ele volta a funcionar 

Mito: Alguns games no PlayStation 1 que simplesmente paravam de rodar voltavam a funcionar quando virados de cabeça para baixo.

Verdade: Com o tempo, os canhões de leitura de mídia tanto em consoles quanto em CDs players começam a perder o alinhamento, deixando também o laser do aparelho prejudicado. Se o console fosse para uma assistência, a leitura voltaria ao normal rapidamente. Porém, as manobras com o PS1 funcionavam milagrosamente e alinhavam os canhões.

PlayStation One (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

- Videogame estraga a televisão

Mito: Pais, mães e até mesmo gamers acreditavam que jogar videogame poderia estragar a televisão, deixando a imagem ruim.

Verdade: Televisões de plasma possuem um problema que deixa imagens estáticas exibidas de forma contínua quando a TV está ligada. O burn-in, como é chamado o defeito, faz com que as imagens fiquem como sombras na tela. Porém, isso não acontece apenas com o uso de videogames e o mito é bem mais antigo do que as TVs de plasma. Talvez, a história possa ter surgido com a ideia de que tudo que é muito usado, um dia estraga. 

Jogar videogame não estragava a televisão (Foto: Lucas Mendes/TechTudo) — Foto: TechTudo

- Xbox One espiona pessoas através do Kinect

Mito: As câmeras e microfones do Kinect podem gravar tudo que está por perto e enviar para um servidor da Microsoft.

Verdade: De acordo com a Microsoft, os comandos de voz recebidos pelo Kinect quando o Xbox One está ligado são realmente gravados e enviados para servidores, mas o áudio é transformado em documentos de texto. Já as imagens dos usuário são transformadas apenas em informações numéricas.

Kinect (Foto: gengame.net) — Foto: TechTudo

- Há milhões de cartuchos de Atari enterrados no deserto do Novo México

Mito: Em 1983, caminhões carregando 10 milhões de cartuchos de Atari foram enterrados em um deserto do Novo México, nos EUA.

Verdade: Dessa vez, a história realmente aconteceu e apenas o número de cartuchos não foi confirmado. O lucro com o Atari em 1982 não foi nem um pouco bom e a empresa teve grandes prejuízos, principalmente com um game baseado no filme E.T., de Steven Spielberg, e com o famoso Pac-Man. Assim, com milhares de cartuchos encostados, sem ter quem queira, a empresa enterrou todos em um depósito de lixo e mandou os donos do local esmagarem e cobrirem tudo com concreto. Infelizmente, a destruição foi mais rápida que a notícia e os fãs de videogames conseguiram resgatar apenas alguns cartuchos, que foram leiloados anos depois.

Cartucho Atari no deserto (Foto: Kotaku) — Foto: TechTudo

- O míssil do PlayStation 2

Mito: Um relatório publicado em 2000 pela World Net Daily, portal de notícias norte-americano, afirmou que uma fonte militar teria revelado que o PlayStation 2 poderia ser usado para “calcular dados de balística para mísseis de longo alcance e ajudar em armas nucleares”. As reportagens na época afirmavam também que o presidente do Iraque, Saddam Hussein, estava estocando mais de 4.000 consoles para criar um poderoso computador que colocaria a população mundial em alerta.

Verdade: O PlayStation 2 tinha um hardware poderoso para a época de lançamento e a Emotion Engine chamou atenção por receber promessas avançadas. No final, tudo ficou parecendo uma jogada de marketing da Sony. No relatório divulgado, a fonte de inteligência militar não identificada dizia que “os recursos gráficos do Playstation são surpreendentes e cada unidade contém uma CPU de 32 bits, tão poderosa quanto processadores encontrados em desktops”. Alguns jornais afirmaram que o presidente iraquiano comprou centenas de consoles em apenas dois meses, mas que se a intenção era usar o PS2 como arma, isso levaria muitos anos para ser desenvolvido.

PlayStation 2 (Foto: Divulgação/PlayStation) — Foto: TechTudo

- Entrada misteriosa nos consoles Nintendo

Mito: O Nintendo Entertainment System, conhecido como Nintendinho, tinha uma entrada na parte de baixo do console muito parecida com entradas do Super Nintendo e Nintendo 64. Alguns diziam que elas serviriam para rodar cartuchos do Mega Drive, da Sega.

Verdade: A entrada inferior foi projetada para fazer um link de vários videogames. A conexão dos consoles serviria para jogar incríveis partidas multiplayer. Porém, a ideia nunca foi concretizada e a entrada apenas ficou na memória.

A entrada misteriosa nos consoles Nintendo serviria para partidas multiplayer (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

- CDs do PS1 com músicas 

Mito: Os CDs do PlayStation 1 tinham músicas gravadas que poderiam ser escutadas em simples CDs players.

Verdade: A mídia utilizada no PSOne era o famoso CD-R. Com isso, alguns sons do jogo gravado poderiam ser escutados se colocasse o game em um CD player. Porém, não eram sons que substituíam as trilhas sonoras dos jogos.  

Em alguns jogos do PS1 você conseguia ouvir sons com a mídia em um CD player (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

- Aquecimento do Xbox 360

Mito: Após jogar muitas horas, o Xbox aquece e uma luz começa a piscar. Tempo depois, o console queima.

Verdade: Os primeiros Xbox 360, como Opus e Falcon, tiveram uma engenharia mal feita e, após jogar muitas horas, ocorria um aquecimento e o acúmulo de calor derretia a pasta protetora dos chips, prejudicando-os em pouco tempo. Porém, o problema foi resolvido por volta de 2008, com a versão Jasper.

Após muitas horas de jogo o Xbox aquecia e podia até queimar (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Mais do TechTudo