Por Da Redação; Para O TechTudo


Ashley Madison, site que promove "puladas de cerca", continua dando o que falar. Na quarta-feira (26), uma pesquisa feita com os dados vazados dos usuários comprovou que a maioria dos perfis femininos cadastrados na rede é falso. Quase nenhuma das 5,5 milhões de mulheres inscritas usou a rede social.

Já havia uma suspeita de que muitos perfis femininos eram falsos. Para confirmar, Annalee Newitz, a editora-chefe do site Gizmodo, resolveu analisar as informações para descobrir quantas mulheres realmente usam a plataforma. Para sua surpresa, os números são, no mínimo, muito confusos.

Dados de 37 milhões de usuários do Ashley Madison teriam sido divulgados na Internet (Foto: Reprodução/Ashley Madison) (Foto: Dados de 37 milhões de usuários do Ashley Madison teriam sido divulgados na Internet (Foto: Reprodução/Ashley Madison)) — Foto: TechTudo

Qual é o melhor antivírus grátis? Comente no Fórum do TechTudo.

Newitz descobriu ainda que quase 70 mil perfis foram criados pelo mesmo IP, que vem de um computador localizado dentro da empresa desenvolvedora, o que sugere fraude e contas falsas para atrair homens.

A saída foi checar esses dados após desconfiar que funcionários da empresa estavam criando contas falsas. A editora encontrou 10 mil perfis com e-mails da empresa, como @ashleymadison.com, 100@ashleymadison.com, 300@ashleymadison.com etc, "sem o menor pudor". Desses 10 mil e-mails da desenvolvedora, mais de nove mil foram usados para criar contas de mulheres, que nunca existiram.

São cerca de 5,5 milhões de perfis femininos para mais de 31 milhões masculinos (Foto: Reprodução/Gizmodo) — Foto: TechTudo

Um carimbo mostra a última vez que os usuários verificaram seus e-mails e, durante a análise, Newitz percebeu que apenas 1.492 mulheres haviam acessado as suas caixa de entrada de mensagens.

Estima-se que cerca de 12 mil mulheres já tenham usado o site, já que esse é o número de perfis femininos excluídos. Como é necessário pagar para deletar a conta, as exclusões tendem a ser de usuários reais.

Foi descoberto também que o sobrenome feminino mais usado no site é o mesmo de um ex-funcionário da empresa. Coincidência? Além disso, Ashley Madison está oferecendo recompensa de até 500 mil dólares canadenses (cerca de R$ 1,3 milhão) para quem enviar informações sobre os hackers.

Via Gizmodo

Mais do TechTudo