Publicidade

Por Da Redação; da IFA; em Berlim


O Marshall London Phone foi uma das grandes atrações da IFA 2015. Com cara de "malvado", detalhes em dourado e focado na experiência de som, o London consegue se destacar mesmo em meio a smartphones da Sony, Huawei e Samsung. Seu controle de volume e dupla saída para fone são um grande diferencial.

O smartphone, logicamente, tem aplicações específicas para áudio. E elas não deixam nada a desejar: o som realmente impressiona, os dois alto-falantes frontais entregam alta qualidade e, mesmo com o volume alto, não há chiados.

A novidade continua com o M-Button, na parte superior do celular, que é um atalho ao player de música: basta um clique e lá estão suas músicas. Na parte lateral, há um scroll (similar a de rádios antigos) que regula o volume de maneira mais precisa que um botão comum de smartphone.

Uma das funções que mais chamam atenção é também uma das mais simples: o London tem duas entradas para fone de ouvido. Além disso, um aplicativo para DJs divide as saídas de áudio do aparelho em dois canais. Enquanto uma pessoa (e o auto-falante do smartphone) ouve uma das músicas, outra pessoa escuta uma música diferente em seu fone de ouvido.

Completando as inovações de áudio, quem desejar gravar músicas pelo celular não ficará para trás. A Marshall teve a preocupação de colocar dois microfones que gravam som estéreo. O sensor diminui automaticamente os ruídos externos, melhorando a qualidade de áudio mesmo em lugares mais barulhentos.

O London é, também, muito bonito. Seu design segue o estilo dos amplificadores da Marshall, com detalhes em preto e dourado, e pode deixar os amantes de música realmente apaixonados. A tela de 4,7 polegadas é confortável até para quem tem as mãos pequenas.

As especificações gerais não surpreendem, mas também não decepcionam. São 2 GB de memória RAM e 16 GB de armazenamento, que podem ser expandidos com cartão microSD. A câmera traseira possui 8 megapixels e a frontal 2 MP e sua bateria tem 2500 mAh. O Marshall London custa £ 399, mas ainda não há previsão de venda no Brasil.

Mais do TechTudo