Por Da Redação; Para O TechTudo


Ludwig van Beethoven faria 245 anos nesta quinta-feira (17). Em comemoração ao que seria o 245º aniversário do músico e compositor, nascido em 1770 em território que é hoje da Alemanha, o buscador prestou uma bela homenagem com um Doodle do Google. Trata-se de um jogo para navegador, em que o jovem Beethoven perde suas partituras das formas mais curiosas. O objetivo é juntar as partes com notas musicais na ordem correta para que a canção seja executada como foi composta no piano.

É preciso montar um quebra-cabeças de partituras na ordem certa para formar trechos de música clássica. Para completar as lacunas, basta ouvir partes da canção e organizá-la corretamente. 

Veja o vídeo de abertura do Doodle, que é seguido pelo jogo (google.com.br/logos/beethoven15).

História

Ludwig Van Beethoven, ou simplesmente Beethoven, foi um compositor alemão que viveu no século XVIII. Quase meio século depois de seu nascimento, a obra do músico continua imortalizada, sendo estudada e reproduzida ao redor do globo. Ouça sinfonias e sonatas de Beethoven no Música.

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

O compositor alemão começou a mostrar os sintomas da surdez em Viena (capital da Áustria), no ano de 1776, quando ele tinha 26 anos de idade. Ele foi diagnosticado surdo, com uma congestão dos centros auditivos, condição esta que o deixou sem ouvir gradativamente. A medicina ainda não tão avançada da época não foi capaz de tratar a doença do brilhante compositor.

Vendo seu caso apenas piorar, Beethoven entrou em depressão profunda e cogitou até mesmo o suicídio. Felizmente, não o concretizou. Em 1816, com 46 anos, ele já estava praticamente surdo. Entretanto, ele nunca perdeu 100% de sua audição.

Obras mais famosas e aclamadas

Durante a sua fase mais criativa e genial, Beethoven compôs obras que até hoje impressionam críticos de música. Ele chegou até mesmo a ser chamado de “uma criatura completamente indomável”.

Em 1802 ele apresentou a Sinfonia nº3 em Mi Bemol Maior, Op. 55, chamada de Eróica. Ela marcou o início do período romântico. Após Eróica, outras obras admiráveis surgiram, tais como a Sonata para Piano nº 21 em Dó maior, Op.53, intitulada de Waldstein; a Sonata para Piano nº 23 em Fá menor, Op.57, intitulada de Appassionata,; o Concerto para Piano nº 4 em Sol Maior, Op.58, em 1806; os Três Quartetos de Cordas, Op.59, intitulados de Razumovsky; a Sinfonia nº 4 em Si bemol Maior, Op.60; dentre tantas outras.

Em seus anos derradeiros, ele criou o que, para muitos, foi sua maior obra-prima, a Sinfonia nº 9 em Ré Menor, OP. 125. Nos dez anos que antecederam sua morte, já com a audição bem debilitada, ele compôs cerca de 44 obras musicais, a maioria quartetos para cordas.

Os instrumentos dominados pelo gênio

Beethoven começou a dar os primeiros passos no mundo da música com um piano. Seu pai, um alcoólatra inveterado, por vezes o trancava em um quarto na companhia apenas de um piano. E foi assim que o jovem Beethoven começou a aprender sobre música.

Mais tarde, um pouco mais velho, entrou para uma orquestra na condição de violinista. Ao longo de sua vida, Beethoven aprendeu a tocar vários instrumentos, entre eles, os já citados piano, violino e, também, órgão, viola, violoncelo, clarinete e outros. Os amigos diziam que o músico tinha uma técnica apuradíssima no piano.

Qual é o melhor Doodle do Google? Comente no Fórum do TechTudo. 

Referência no cinema

No cinema, o nome Beethoven remete muito mais a um cachorro do que ao talentoso compositor. Em 1992 foi lançado o filme Beethoven, O Magnífico. Uma comédia familiar que tem como protagonista um filho de cachorro da raça São-Bernardo.

Após ser roubado por dois ladrões e fugir, ele vai parar na casa da família Newton, que então passa a cuidar dele. Mal sabiam eles que o tal cachorrinho se tornaria gigante e tiraria a paz de todos da casa. O filme fez bastante sucesso, inclusive no Brasil, e até hoje é reprisado na TV.

Mais do TechTudo