Por Da Redação; de Tóquio*


Digimon Story: Cyber Sleuth é o mais novo game da série a ser lançado no ocidente, para PS4 e PS Vita. O título chega apenas no ano que vem, mas a Bandai Namco promete suprir a necessidade dos fãs com um título que há muito tempo era esperado. O TechTudo testou os primeiros minutos da aventura e conversou com os produtores, no Japão.

Adaptações necessárias

Segundo Kazumasa Habu, produtor do game, o jogo é uma adaptação de vários elementos das séries animadas de Digimon. Ele traz os monstrinhos mais famosos em suas representações mais fieis o possível. Fã de animações japonesas, Kazumasa garante que os fãs não devem se decepcionar com o conteúdo.

Cena de exploração em Digimon Story (Foto: Divulgação/Bandai Namco) (Foto: Cena de exploração em Digimon Story (Foto: Divulgação/Bandai Namco)) — Foto: TechTudo

Contudo, ele garante que não há planos para adaptar nos games o desenho “Digimon Tri”, que foi lançado recentemente em serviços oficiais de streaming e com legendas em português. “Talvez no futuro, em outro momento, mas por ora não temos planos nesse sentido”, garantiu.

Sobre a demora para lançar no ocidente, o produtor se disse satisfeito em finalmente poder atender a demanda dos fãs. “Sabemos que Digimon era enorme fora do Japão também. Queríamos muito lançar o jogo em outros territórios, mas acreditamos que a espera valerá a pena, já que inserimos muitos extras e ainda criamos uma versão de PS4”, disse.

Personagens de Digimon Story (Foto: Divulgação/Bandai Namco) — Foto: TechTudo

RPG de exploração

Digimon Story Cyber Sleuth é um RPG com sistema de exploração de masmorras. Pense, porém, que no lugar das masmorras temos localidades reais do Japão, como uma estação de metrô em Tóquio ou uma rua movimentada em Shibuya. Segundo a produção, todos esses locais foram representados fielmente, baseando-se em fotos e em conhecimento da equipe.

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

A exploração apresenta controle simples. Na fase que jogamos, cabia ao Digiescolhido controlar uma falha na matriz virtual, que estava permitindo a Digimons selvagens invadirem o mundo real. Acompanhado de sua própria equipe de monstrinhos digitais, o jogador precisa invadir o lugar, lutar contra os inimigos e conter a falha.

Kazumasa Habu, produtor de Digimon Story (Foto: Felipe Vinha) (Foto: Kazumasa Habu, produtor de Digimon Story (Foto: Felipe Vinha)) — Foto: TechTudo

De longe, Cyber Sleuth lembra um pouco a série Persona, tanto pelo estilo visual, quanto pela exploração de masmorras. A maior similaridade, porém, está nas batalhas, sempre em turnos e com a possibilidade de combinar golpes entre os seus Digimons.

E por falar neles, saiba que é sempre possível andar com pelo menos três em tempo real – eles ficam no mapa, andando atrás do jogador. O game também permite ter uma equipe reserva, que pode ser substituída pela atual em qualquer momento, seja dentro de uma luta ou fora, organizando pelo menu.

Digimon Story traz personagens clássicos e conhecidos (Foto: Divulgação/Bandai Namco) — Foto: TechTudo

As batalhas são realizadas como qualquer RPG em turno. Cada Digimon ou inimigo atacam por vez, com os golpes escolhidos previamente pelo jogador. Ele pode ser um ataque simples ou especial, de acordo com a disponibilidade de poder naquele momento. Funciona bem pela simplicidade, ainda que talvez falte um nível de profundidade mais elaborado.

No geral, Cyber Sleuth agrada e tem tudo para ser sucesso entre os fãs. O lançamento ocidental está marcado para 2 de fevereiro nos EUA, somente no PS4 e Vita, e vem ainda com benefícios exclusivos de pré-venda – como Digimons adicionais e “roupinhas” para os monstrinhos do jogador.

*O Colaborador viajou à Toquio a convite da Namco Bandai

Pokémon X & Y atenderam as suas expectativas? Comente no Fórum do TechTudo!

Mais do TechTudo