Por Da Redação; Para O TechTudo


O Moto X, o Moto G e o Moto E de primeira geração são alguns dos lançamentos de celular mais populares dos últimos anos. A Motorola acertou ao produzir smartphones de bom desempenho e preço competitivo – que vai de R$ 599 a R$ 1.499. Os três telefones foram lançados, no Brasil, no período entre 2013 e 2014, com o Moto E como o modelo de entrada, o Moto G como o intermediário e o Moto X como o top de linha.  

Com novas gerações no mercado, os celulares podem estar ultrapassados em certos aspectos, mas isso não impede que ainda sejam boas opções de dispositivos intermediários. Quer saber se vale a pena comprar a primeira geração dos smartphones da Motorola? A hora é agora. Fizemos este texto especial levando em consideração a ficha técnica, incluindo tela, desempenho, câmera e custo-benefício dos aparelhos. 

Tela

Para começar, o Moto X da primeira geração tem tela de 4,7 polegadas HD (1280 x 720 pixels) com proteção Gorilla Glass. Já o Moto G tem um display mais compacto, de 4,5 polegadas, e mesma resolução do irmão mais velho (1280 x 720 pixels). O Moto E, para completar, é o mais simples entre os três aparelhos, com tela de 4,3 polegadas e resolução de 960 x 540 pixels.

Moto X e Moto G lado a lado (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Considerando que os consumidores têm preferido telas maiores atualmente, o tamanho do display dos três celulares pode não ser suficiente para assistir a vídeos e jogar. No entanto, para tarefas mais básicas, como acessar redes sociais e mensageiros, as melhores opções são o Moto X e o Moto G. O painel do Moto E (2014) é muito básico para os padrões de 2016, e pode decepcionar. 

Sistema operacional

Na época do lançamento, o Moto X estava à venda com o sistema de fábrica Android 4.2 (Jelly Bean). Já o Moto G chega com a versão 4.3 (Jelly Bean), no entanto, os dois smartphones receberam atualização para o Android 5.0 (Lollipo) em 2015. Enquanto isso, o Moto E, que foi lançado mais tarde do que o restante da linha Moto, chegou com Android 4.4 (KitKat), mas um ano depois, em 2015, recebeu também atualização para o Android 5.0 (Lollipop). 

Moto X e demais aparelhos da Motorola de primeira geração foram atualizados para o Android 5.0 Lollipop (Foto: Elson de Souza/TEchTudo) — Foto: TechTudo

Processador e desempenho

O Moto X tem processador dual-core, de 1,7 Ghz, memória RAM de 2 GB e armazenamento de 16 GB, 32 GB ou 64 GB. Confira o review completo do Moto X. Por sua vez, o Moto G 2013 vem com processador quad-core, de 1,2 GHz, com 1 GB de memória RAM. Além disso, para guardar arquivos, há o espaço interno de 8 GB ou 16 GB. O Moto E conta com chip dual-core, de 1,2 GHz, memória RAM de 1 GB e armazenamento interno mais modesto, de 4 GB, com suporte para cartão SD de até 32 GB.

Para um uso mais básico, os telefones da Motorola oferecem um processamento capaz de rodar jogos leves, redes sociais, abrir navegadores de internet, tirar fotos e até assistir a filmes, principalmente no Moto X 2013 e no Moto G 2013. Como sempre foi considerado um celular de entrada, o Moto E é mais simples e seu funcionamento pode não ser tão eficaz como o dos outros modelos.

Quanto à capacidade de bateria, o Moto X conta com 2.200 mAh, o que ainda pode ser visto como uma potência boa, em comparação com celulares recentes. Menos turbinados, o Moto G tem carga de 2.070 mAh e o Moto E oferece 1.980 mAh. Para a ficha técnica dos smartphones, dão conta do recado, porém detalhes mais apurados sobre a duração da carga só podem ser revelados com testes. Com isso, confira o review do Moto G.

Câmera

Para quem gosta de registrar fotos com o celular, a qualidade dos aparelhos de primeira geração não é tão potente. As melhores configurações estão no top Moto X, que apresenta câmera traseira de 10 megapixels e câmera frontal de 2 MP, com gravação de vídeos Full HD (1080p).

O Moto G tem recursos bem mais básicos, com lente principal de 5 megapixels, filmagens em HD e câmera frontal de 1,3 MP. Os dois aparelhos têm flash LED. O Moto E continua mais simples quando o assunto é a câmera, com sensor traseiro de 5 megapixels (sem flash), gravação de vídeos em 480p e sem câmera frontal. Quer saber mais sobre o Moto E? Confira o review completo.

Câmera do Moto G é mais fraca do que do Moto X (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

No resultado, o Moto X é o único aparelho do comparativo que oferece uma qualidade razoável para registrar fotos e vídeos. O Moto G e Moto E podem decepcionar os usuários no resultado das imagens, com configurações muito simples para os padrões atuais.

Disponibilidade e custo-benefício

Os celulares da primeira geração não estão mais disponíveis para compra no site da Motorola – ou seja, saíram de linha. Em uma pesquisa em sites de venda online não foram encontrados os modelos. Para comprar versões mais antigas, a opção é buscar pelos modelos a partir da segunda geração, com preços de R$ 1.499 para o Moto X, R$ 799 para o Moto G e R$ 599 para o Moto E.

Como atualizar o Android? Confira no Fórum do TechTudo.

Há ainda a possibilidade de achar os smartphones da primeira geração em sites de revendas. No entanto, quando o assunto é custo-benefício e disponibilidade, vale mais a pena pesquisar e comprar um dos modelos da segunda geração ou até investir mais um pouco, por exemplo, e levar os recentes Moto G 3 ou Moto X Play para casa. 

Mais do TechTudo