Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


O Moto G 2 foi apresentado ao mundo em 2014, dando continuidade ao legado iniciado pelo Moto G 1, de 2013. Dois anos depois, a dúvida que muita gente se faz é se vale a pena comprar o Moto G de 2ª Geração, como ele também é conhecido. O celular apresenta bom hardware a um preço muito baixo.

Hoje em dia, a linha Moto G já chegou à sua quarta geração: além do Moto G 4, a Motorola lançou também o Moto G 4 Plus e o Moto G 4 Play. Se você está na dúvida sobre pegar o smartphone mais antigo – atualmente encontrado somente de segunda mão –, aqui nós abordamos os principais pontos, com as vantagens e desvantagens do G2.

Moto G 2 (Foto: Isadora Díaz/TechTudo) — Foto: TechTudo

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Pontos positivos

1. Android "puro" e atualizado

A Motorola, na época do lançamento do Moto G, impressionou por usar um Android praticamente "puro", com pouquíssimas modificações. Isso ia contra a prática comum da indústria, que costumava personalizar ao máximo o sistema operacional.

Um Android puro traz uma experiência de uso unificada e é menos suscetível a erros, bugs e travamentos. O chamado Android “puro” é desenvolvido diretamente pelo Google. Assim, o usuário usa o sistema operacional da forma que a sua criadora pensou e acha que é mais intuitivo e amigável ao consumidor.

Fora isso, com o Android puro, fica mais fácil de o aparelho receber mais atualizações. Prova disso é o próprio Moto G 2, que já foi atualizado para o Android 6, embora tenha sido lançado com o Android 4.4 (KitKat).

2. Câmera de qualidade suficiente para a maioria dos usuários

No Moto G de primeira geração, a câmera traseira era um grande motivo de reclamação para os usuários. Já na sua segunda geração, a Motorola investiu em um upgrade e a câmera evoluiu em comparação com a sua antecessora.

O sensor pulou de 5 megapixels para 8 MP e a lente do Moto G 2 tem uma abertura bem ampla, de f/2.0. Com isso, as fotos tiradas em ambientes bem iluminados têm um bom nível de detalhes e as cores são bem fieis. Mesmo as fotos tiradas em ambientes de baixa luminosidade possuem pouca granulação.

moto-g-2 (Foto: moto-g-2) — Foto: TechTudo

3. Preço baixo

Por se tratar de um celular lançado em 2014, a Motorola não fabrica novas unidades do Moto G 2. A única maneira de comprá-lo é recorrendo a sites de compra e venda de produtos usados ou sites de leilão.

Em uma rápida pesquisa, vimos que o Moto G 2 está na faixa dos R$ 350. Em alguns casos, até mesmo por menos de R$ 300. Sem dúvida, um preço bem baixo para um celular deste porte, ainda que esteja mais antigo.

Curtiu o lançamento do novo Moto G 4? Dê sua opinião no Fórum do TechTudo.

Pontos negativos

1. Hardware antigo e defasado

Por outro lado, adquirir um produto lançado em 2014 também significa comprar o hardware da época, com ficha técnica desatualizada e especificações que não são as mais modernas. Há dois anos, o Moto G não era o produto top de linha da Motorola, portanto, seu hardware já não era top de linha. Imagine agora, dois anos depois de lançado.

Até mesmo os smartphones intermediários atuais possuem o dobro de memória RAM e processadores muito mais potentes que os do Moto G 2. Portanto, comprar um Moto G usado é também comprar um conjunto de peças e componentes antigos e defasados.

2. Bateria com defeito

Uma das grandes reclamações dos usuários quanto ao Moto G de segunda geração é a sua bateria. Com o tempo, ela passa a apresentar vários defeitos. Muitas vezes a autonomia cai em mais de 50%, deixando o usuário na mão mais rapidamente.

Moto G2 vem com bateria menor do que o Moto G3 (Foto: Isadora Díaz/TechTudo) (Foto: Moto G2 vem com bateria menor do que o Moto G3 (Foto: Isadora Díaz/TechTudo)) — Foto: TechTudo

Outras vezes ela carrega de maneira muito devagar, chegando a ficar cinco ou seis horas ligado no carregador e ainda assim não atinge os 100%. Por ter a bateria removível, o usuário pode substituir por uma nova e em bom estado. Mas você há de concordar que realmente é muito incômodo passar por esse tipo de problema.

Além disso, há toda a perda de tempo em procurar por uma bateria adequada e que seja compatível com o seu Moto G 2. Todos estes problemas podem ser evitados se você comprar um celular novo e atual.

3. Baixa capacidade de armazenamento

Os Moto G 2 disponíveis para comprar atualmente possuem pouca memória interna, normalmente com 8 GB de armazenamento. Parte deste espaço é ocupado pelo Android, o que faz sobrar bem pouco espaço para os arquivos e aplicativos do consumidor.

É bem verdade que o dispositivo aceita cartão de memória, mas não é todo mundo que tem dinheiro para encomendar um microSD de grande capacidade. Também não é possível instalar certos apps no cartão de memória.

Mais do TechTudo