Publicidade

Por Da Redação; Para O TechTudo


Quase sete anos – e oito smartphones – depois, o Google colocou o fim da linha Nexus, que ganhou destaque por oferecer celulares com o chamado "Android puro". Os celulares serviram como referência de funcionamento do sistema, com direito a atualizações mais rápidas, mas nunca decolaram em termos de popularidade.

No Brasil, somente três modelos chegaram a ser vendidos oficialmente. Os preços também sofreram várias mudanças, passando de valores subsidiados no começo para o mesmo patamar do iPhone 6.

Google Pixel Silver (Foto: Divulgação/ Google) — Foto: TechTudo

O anúncio do fim dos Nexus aconteceu na terça-feira (4), quando a gigante das buscas lançou os celulares Google Pixel e Google Pixel XL, os primeiros sem selo de fabricantes parceiras – na prática, porém, eles são produzidos pela HTC. Já a agora encerrada linha Nexus também foi composta de quatro tablets e dois reprodutores de mídia, como você verá a seguir.

Nexus One

O primeiro Nexus chegou aos Estados Unidos em janeiro de 2010, fabricado pela HTC e equipado com Android 2.1. O hardware era avançado para a época, com tela maior do que no iPhone 4 – ela tinha 3,7 polegadas e resolução de 800 x 480 pixels. Desde aquela época, a preferência já era por processadores da Qualcomm, na ocasião um Scorpion de 1 GHz.

Nexus One, com Android 2.1 Eclair, lançado em 2010 (Foto: Divulgação) (Foto: Nexus One, com Android 2.1 Eclair, lançado em 2010 (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

Embora a tela fosse touch, o aparelho ainda veio com uma segunda forma de interação: uma espécie de “mouse” na forma de um ponteiro circular na parte inferior, que servia de cursor para clicar em menus. Completaram as especificações do aparelho um conjunto de 512 MB de RAM e armazenamento, além de câmera traseira de 5 megapixels.

Nexus S

Em dezembro de 2010, o Google anunciou o Nexus S, em parceria com a Samsung. A ideia era mostrar o funcionamento do Android 2.3 Gingerbread, que permaneceu como o mais popular do mundo por muito tempo depois do lançamento. O display aumentou para 4 polegadas, porém com os mesmos 800 x 480 pixels de resolução, e o armazenamento era de 16 GB, um número altíssimo para a época.

Outra novidade foi a presença de NFC, tipo de comunicação que só agora começa a se popularizar com sistemas de pagamentos digitais como Samsung Pay e Apple Pay. O Nexus S foi atualizado até o Android 4.1 Jelly Bean, que permanece presente em 5,6% dos dispositivos atualmente, na sexta posição entre versões do Android ativas.

Nexus S, fabricado pela Samsung, lançado em dezembro de 2010 com Android 2.3 Gingerbread (Foto: Divulgação) (Foto: Nexus S, fabricado pela Samsung, lançado em dezembro de 2010 com Android 2.3 Gingerbread (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

Galaxy Nexus

Segundo aparelho fabricado pela Samsung, o Galaxy Nexus estreou em novembro de 2011 com um design diferenciado e também era conhecido como Galaxy X. O aparelho se destacou pelo display curvo de 4,65 polegadas Super Amoled com resolução HD (1280 x 720 pixels), características que causam inveja até em alguns modelos atuais. O processador saltou para dual-core de 1,2 GHz e a memória RAM, para 1 GB, com direito a armazenamento interno de 16 GB ou 32 GB.

O aparelho foi a vitrine do Android 4.0 Ice Cream Sandwich, que marcou a primeira grande mudança de design do sistema, herdado da versão 3.0 Honeycomb, presente somente em tablets. O celular foi o primeiro Nexus a ser vendido oficialmente no Brasil, comercializado com o nome de Galaxy X por causa de uma briga no registro de marcas.

Galaxy Nexus, da Samsung, lançado em 2011 com Android 4.0 (Foto: Divulgação) (Foto: Galaxy Nexus, da Samsung, lançado em 2011 com Android 4.0 (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

Nexus 4

A quarta geração dos Nexus,  fabricada pela LG e lançada em novembro de 2012, foi marcada por outra grande inovação no design. O Nexus 4 foi elogiado pelo visual elegante principalmente por conta do vidro estilizado na parte traseira. O hardware também não ficou atrás, com chipset quad-core Snapdragon de 1,5 GHz e 2 GB de RAM, além de uma câmera de 8 megapixels com foco automático.

A tela quase não aumentou de tamanho, chegando a 4,7 polegadas, mas a resolução sofreu melhora sensível, para 1280 x 768 pixels. O Nexus 4 veio para o Brasil com Android 4.2 Jelly Bean e foi o primeiro da linha a contar com carregamento sem fio, algo que até hoje não se vê no iPhone.

Nexus 4, o smartphone top de linha do Google (Foto: Isadora Díaz/TechTudo) — Foto: TechTudo

O modelo ainda pode ser encontrado em lojas online por menos de R$ 700.

Nexus 5

Último celular "do Google" a desembarcar oficialmente no mercado nacional, o Nexus 5 foi anunciado em 2013 chamando atenção pela otimização entre hardware e software. Internamente, trouxe chipset quad-core Qualcomm Snapdragon 800, 2 GB de RAM e 16 ou 32 GB de armazenamento. A tela saltou para 4,95 polegadas e finalmente chegou ao Full HD (1920 x 1080 pixels), com proteção Gorilla Glass. Até hoje ele é considerado por muitos o aparelho com desempenho mais equilibrado da linha.

Fabricado pela LG, assim como o Nexus 4, o smartphone sofreu uma mudança grande no design da parte traseira, que ganhou um acabamento de policarbonato mais resistente, de modo a evitar dores de cabeça com vidro trincado. Já em termos de software, o modelo estreou o Android 4.4 Kitkat, que permanece como a versão única mais popular no planeta.

Nexus 5, de novo da LG, lançado em 2013 com Android 4.4 Kitkat (Foto: Divulgação) (Foto: Nexus 5, de novo da LG, lançado em 2013 com Android 4.4 Kitkat (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

O celular ainda é vendido online por menos de R$ 800.

Nexus 6

A Google decidiu mudar de estratégia de preços e, em parceria com a Motorola, lançou em outubro de 2014 o Nexus 6 com preço de top de linha. O modelo foi baseado no Moto X e trouxe especificações potentes, incluindo uma tela enorme de 5,96 polegadas com resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels), processador Snapdragon 805 e 3 GB de RAM, além de 32 GB ou 64 GB de armazenamento.

Nexus 6 vinha equipado com processador quad-core e câmera de 13 megapixels (Foto: Divulgação/Google) (Foto: Nexus 6 vinha equipado com processador quad-core e câmera de 13 megapixels (Foto: Divulgação/Google)) — Foto: TechTudo

Outra vantagem ficou por conta do carregamento rápido de bateria, um dos primeiros modelos a oferecer o recurso. Além disso, a câmera traseira tinha 13 megapixels, com estabilização óptica de imagem e alto-falante duplo na parte frontal, gerando áudio estéreo. Este foi o celular de referência para anunciar as novidades do Android 5.0 Lollipop, versão do software que estreou o Material Design, padrão visual mais recente do Google.

Nexus 5X

Há um ano, a Google lançou uma dupla de aparelhos. O Nexus 5X era o modelo mais modesto, com sensor de impressão digital na parte traseira e câmera potente, de 12,3 megapixels, com foco a laser.

Nexus 5X conta com tela Full HD de 5,2 polegadas (Foto: Reprodução/Google) (Foto: Nexus 5X conta com tela Full HD de 5,2 polegadas (Foto: Reprodução/Google)) — Foto: TechTudo

Outras especificações incluem a tela de 5,2 polegadas com Full HD (1920 x 1080 pixels), processador Qualcomm Snapdragon 808, 2 GB de RAM e bateria de 2.700 mAh. No software, foi um dos aparelhos com Android 6.0 Marshmallow de fábrica, que iniciou o controle de permissões a aplicativos e tornou o sistema mais seguro.

Nexus 6P

Top de linha de 2015 e último Nexus lançado no mercado internacional, o Nexus 6P foi produzido pela Huawei e colecionou elogios pela junção de hardware de ponta e design premium. O celular foi o primeiro aparelho do Google a vir com acabamento todo em alumínio, e não deixou a desejar na performance com um processador Snapdragon 810, 3 GB de RAM e armazenamento de 32 GB, 64 GB e 128 GB.

Nexus 6P com leitor de digitais (Foto: Melissa Cruz / TechTudo) — Foto: TechTudo

A bateria também impressionou, com 3.450 mAh para alimentar uma tela de 5,7 polegadas e resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels). A câmera era a mesma do 5X, com um sensor de 12,3 polegadas. Juntamente com os Nexus 6 e 5X, o 6P foi um dos poucos a receber o Android 7.0 Nougat de forma oficial, entrando para a história como o último fruto de parceria da Google com uma fabricante terceirizada.

A partir de agora, com o Pixel, a gigante das buscas passa a controlar o hardware e o software, assim como já faz a Apple há nove anos com o iPhone.

Mais do TechTudo