App ou pulseira inteligente? Veja qual é melhor para levar para a academia

Em dúvida sobre qual ferramenta usar para monitorar seus treinos? Conheça detalhes de cada uma e descubra qual é a melhor para você.

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Isabela Giantomaso, para o TechTudo

Os aplicativos para celular e as pulseiras inteligentes são métodos que podem monitorar exercícios de atletas ou de quem quer perder peso. De um lado, os apps para academia oferecem inúmeros recursos, desde funções para controlar os passos até ferramentas para criar seu próprio treino e compartilhar o progresso. Do outro, as pulseiras, ou fitness trackers (rastreador fitness, em tradução livre), podem entregar mais conforto e segurança ao dispensar um smartphone por perto, além de reconhecer atividades físicas e frequências cardíacas automaticamente.

Para ajudar você a identificar qual é a melhor opção para levar para a academia, comparamos funções, praticidade e a disponibilidade dessas ferramentas.

App ou pulseira inteligente? Veja detalhes de cada opção para a academia (Foto: Ana Marques/TechTudo) App ou pulseira inteligente? Veja detalhes de cada opção para a academia (Foto: Ana Marques/TechTudo)

App ou pulseira inteligente? Veja detalhes de cada opção para a academia (Foto: Ana Marques/TechTudo)

Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no seu celular

Funções

Tantos os apps quanto as pulseiras inteligentes permitem definir metas, acompanhar os exercícios físicos e monitorar o progresso dos usuários. A diferença entre as duas opções está nos detalhes de atividades, já que os programas para celular podem ser configurados para determinados esportes além da academia, como tênis ou yoga, enquanto a maioria das fitness trackers apenas reconhecem o esforço e calculam os gastos energéticos.

Nos apps, ainda é possível ter ferramentas extras como acompanhamentos dos níveis de glicose ou da ingestão de cafeína. O contador de passos e de frequência cardíaca, recursos automaticamente disponíveis nas pulseiras, são habilitados nos smartphones mais novos com ajuda de sensores e tecnologias específicas.

Aplicativos monitoram em detalhes seu batimento cardíaco, quantas calorias perdeu e tempo de exercícios (Foto: Divulgação/Fitbit) Aplicativos monitoram em detalhes seu batimento cardíaco, quantas calorias perdeu e tempo de exercícios (Foto: Divulgação/Fitbit)

Aplicativos monitoram em detalhes seu batimento cardíaco, quantas calorias perdeu e tempo de exercícios (Foto: Divulgação/Fitbit)

Praticidade

A praticidade de usar e carregar um app ou uma pulseira inteligente pode ser o ponto crucial para definir qual é o melhor método para você. As fitness trackers, ou até mesmo smartwatches com recursos para monitorar exercícios, podem ser presas ao pulso, o que permite dados mais precisos por conta do contato com a pele. Já o aplicativo é mais manual e, mesmo com os sensores do celular, precisa de comandos para a atividade que vai iniciar.

Assim, é possível observar que as pulseiras oferecem mais conforto e sensação de segurança ao sair na rua para correr, por exemplo, já que dispensam um smartphone no bolso. Este ponto deve ser colocado no papel também por quem faz atividades de alta intensidade, nas quais carregar um aparelho pode atrapalhar o desempenho; ou com contato físico, onde há o risco de quebrar o celular. A maioria das fitness trackers também é à prova d'água, o que expande o monitoramento de exercícios para esportes como natação ou canoagem.

Pulseiras como a Mi Band dispensam o celular por perto e têm design discreto (Foto: Raíssa Delphim/TechTudo) Pulseiras como a Mi Band dispensam o celular por perto e têm design discreto (Foto: Raíssa Delphim/TechTudo)

Pulseiras como a Mi Band dispensam o celular por perto e têm design discreto (Foto: Raíssa Delphim/TechTudo)

Em relação ao uso de apps, vale ressaltar que os softwares devem gastar bateria do smartphone enquanto monitoram os exercícios, além de ocupar espaço na memória do telefone. Entretanto, quem costuma ouvir música na academia deve lembrar que terá que carregar o celular no bolso ou em uma case de proteção, caso a pulseira ou relógio inteligente não disponha dessa funcionalidade. Desse modo, um gadget extra pode não fazer sentido, já que o usuário terá sempre um aparelho compatível com apps por perto.

Disponibilidade

A principal vantagem dos aplicativos é que a maioria deles pode ser baixada de forma gratuita. Além disso, há opções de programas para praticamente todos os celulares com os sistemas operacionais Android, iOS e Windows Phone.

A variedade dos apps permite escolher qual baixar de acordo com seu objetivo. Há programas que criam treinos personalizados, monitoram batimento cardíaco, níveis de glicose e até mesmo acompanham seu sono, como o OptimizeMe. O Google e a Apple também oferecem softwares em seus sistemas que auxiliam na perda de calorias: Google Fit e app Saúde.

Moto 360 Sport também pode monitorar atividades físicas como pulseira inteligente (Foto: Caio Bersot/TechTudo) Moto 360 Sport também pode monitorar atividades físicas como pulseira inteligente (Foto: Caio Bersot/TechTudo)

Moto 360 Sport também pode monitorar atividades físicas como pulseira inteligente (Foto: Caio Bersot/TechTudo)

No caso das pulseiras inteligentes há opções mais básicas, como a Smartband, da Sony, com preço médio de R$ 129, e a Mi Band (R$ 95) que não pesam no bolso e têm design mais simples e discreto. Entretanto, caso queira um gadget mais completo o usuário pode optar por um smartwatch com ferramentas para te acompanhar na academia. O Moto 360 Sport está à venda no Brasil por R$ 2.279. Ainda há o TomTom Spark Cardio + Music (R$ 1.999), o Samsung Gear Fit 2 (R$ 950) e o Apple Watch (R$ 2.999) que também oferecem sensores para monitorar exercícios.

Conclusão

Tanto os apps quanto as pulseiras inteligentes são boas opções para levar para a academia, definir metas e monitorar progressos. Entretanto, enquanto um é mais prático o outro pode ser mais personalizado e grátis. As fitness trackers devem ajudar principalmente atletas de alto rendimento ou que praticam esportes com contato físico, já que o gadget dispensa o celular no bolso e ainda são à prova d'água. Há modelos de cerca de R$ 100, mas também é possível optar por um smartwatch de mais de R$ 2 mil.

Google Fit é uma das opções de app para monitorar atividades e estabelecer metas (Foto: Divulgação/Google) Google Fit é uma das opções de app para monitorar atividades e estabelecer metas (Foto: Divulgação/Google)

Google Fit é uma das opções de app para monitorar atividades e estabelecer metas (Foto: Divulgação/Google)

Já os aplicativos para Android, iPhone (iOS) ou Windows Phone oferecem opção para personalização e acompanhamento do treino com ajuda de sensores dos próprios smartphones. A maioria é grátis, mas exige um trabalho manual antes de cada atividade e podem gastar a bateria do celular mais rápido.

Se estiver em dúvida de qual é melhor para te acompanhar nos exercícios físicos vale a pena considerar o tipo de atividade que costuma fazer e quais dados do treino quer monitorar. Além disso, detalhes como quanto quer pagar pelo serviço e até mesmo se você escuta música enquanto se exercita são importantes para definir a opção mais adequada para você.

MAIS DO TechTudo