Por Filipe Garrett, para o TechTudo


email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Fotos podem revelar informações complementares na forma dos arquivos chamados metadados: detalhes técnicos e de catalogação referentes a uma imagem, que permitem saber quando e onde a foto foi tirada, a partir de qual equipamento e etc. Embora sejam muito úteis para profissionais, e até para quem gosta de manter álbuns organizados, esses dados podem ser usados para expor a privacidade do usuário — além de dar a possíveis invasores algumas informações sensíveis de localização e instrumentos para que os seus hábitos sejam mapeados. Entenda o que é metadata e saiba como se proteger com fotos na Internet e redes sociais.

Metadados são informações técnicas e de catálogo anexadas a arquivos de imagem — Foto: Caio Bersot/TechTudo Metadados são informações técnicas e de catálogo anexadas a arquivos de imagem — Foto: Caio Bersot/TechTudo

Metadados são informações técnicas e de catálogo anexadas a arquivos de imagem — Foto: Caio Bersot/TechTudo

Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no celular

Metadata: o que é?

Metadata, ou metadados, quando relacionados a imagens, são informações referentes à criação da foto, mais ou menos como as antigas anotações na parte de trás de fotografias de família. Essas ''etiquetas digitais'', também conhecidas como EXIF (Exchangeable image file format , ou Formato de Imagem Alterável em português), concentram informações como data e horário na qual a fotografia foi capturada, marca da câmera e até mesmo localização exata, via coordenadas de GPS, quando esse tipo de tecnologia está disponível no dispositivo usado.

Outros dados são informações técnicas sobre a máquina, como distância focal, tipo de sensor, abertura, obturador e configurações de ISO. Entretanto, em geral, as informações mais sensíveis do ponto de vista da segurança e da privacidade são as de data, hora e local em que foto foi registrada.

Quais são os riscos?

O problema dos metadados é o potencial que essas informações dão para que curiosos invadam a sua privacidade. Ao tirar uma foto de algo que deseja vender e publicar a imagem num site de vendas que não oculte esses dados ou oublicá-las em blogs, é possível de que criminosos acessem o EXIF para saber onde a foto foi tirada para tentar roubar o item, por exemplo.

Outro problema é a possibilidade de que você seja rastreado. Com as informações de suas fotos, alguém pode acompanhar os lugares que você frequenta, seus hábitos e horários, descobrir seu endereço residencial e de trabalho, por exemplo.

Como ver os dados das suas fotos?

No Windows 10, basta clicar em ''Propriedades'', com o botão direito do mouse, e em seguida, acessar a aba ''Detalhes'' para visualizar as informações EXIF anexadas a uma imagem. Em sistemas operacionais móveis, como celulares com Android e iPhone (iOS), o processo pode variar um pouco: em geral, basta selecionar a foto e procurar por ''Detalhes'' no app de galeria de imagens do sistema operacional.

Exemplo de algumas das informações de metadados de uma imagem no Windows 10 — Foto: Reprodução/Filipe Garrett Exemplo de algumas das informações de metadados de uma imagem no Windows 10 — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Exemplo de algumas das informações de metadados de uma imagem no Windows 10 — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Há, também, serviços online como o Metapicz (metapicz.com) que exibem esses dados ao fazer upload da imagem ou indicar a URL da foto em um site.

Metapicz exibe metadados de imagens  — Foto: Reprodução/Gabrielle Lancellotti Metapicz exibe metadados de imagens  — Foto: Reprodução/Gabrielle Lancellotti

Metapicz exibe metadados de imagens — Foto: Reprodução/Gabrielle Lancellotti

Como remover metadata de fotos?

Existem algumas formas de remover essas informações. Sem instalar nada, no Windows 10, basta clicar em “Remover propriedades e informações pessoais” na aba ''Detalhes''. Em celulares com Android e no iPhone (iOS), alguns aplicativos podem limpar essas informações das imagens.

No Android, o Exif Eraser é uma opção gratuita. Para iPhone (iOS), há o Metapho, que cumpre a mesma função. Editores de imagem, como Lightroom, Gimp e Photoshop também permitem que o usuário apague esses dados na foto.

Metadados também podem ser visualizados em celulares e tablets — Foto: Reprodução/Filipe Garret Metadados também podem ser visualizados em celulares e tablets — Foto: Reprodução/Filipe Garret

Metadados também podem ser visualizados em celulares e tablets — Foto: Reprodução/Filipe Garret

Redes sociais e o metadata

A conduta na questão dos dados EXIF pode variar de site para site. De acordo com um experimento da Kaspersky Lab, o Instagram apaga esses dados quando você envia uma imagem. Porém, outras redes sociais podem não ter o mesmo comportamento: Google Photos, Tumblr e Flickr não deletam metadados. O Flickr, por exemplo, conserva essas informações sob o ponto de vista de que são úteis para fotógrafos profissionais que usam a plataforma como fonte de inspiração.

Eis o resultado do experimento:

  • Facebook e Twitter deletam metadados;
  • Google+ não;
  • Instagram apaga metadados;
  • Flickr, Google Photo, e Tumblr não.

Os serviços que não apagam metadados, normalmente, oferecem uma opção para ''escondê-los''. Mas, essas informações ainda podem ser armazenadas para uso da empresa — o que é diferente de expor dados indiscriminadamente.

Em outros casos, a rede limpa os dados da imagem antes de publicá-la, mas pode conservar uma cópia dessas informações. Facebook e Twitter funcionam assim, mantendo dados precisos sobre cada foto que você publicou anexados ao volume de dados pessoais da sua conta. Saiba como baixar no Facebook e no Twitter.

A melhor forma de garantir a sua privacidade, porém, é enviar imagens sem metadata. Ou, no mínimo, ter muito cuidado com o tipo de informação associada às suas fotos, evitando dados que possam expor você, como data, horário e localização geográfica da sua casa ou do trabalho.

Facebook é seguro ou tem falha de segurança? Troque ideias no Fórum do Techtudo.

MAIS DO TechTudo