Computadores

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


É possível encontrar processadores de última geração a preços na faixa dos R$ 500: R3 1200 da AMD e Core i3 7100 da Intel são dois desses exemplos. Voltados para o mercado de entrada, os dois processadores têm preços muito parecidos, mas apresentam diferenças significativas em relação às especificações técnicas, perspectiva de performance e até recursos extras embarcados.

Para saber melhor quais são as semelhanças e diferenças, descubra abaixo qual das duas CPUs de entrada é a melhor escolha para o seu bolso e necessidades.

Ficha técnica

Ficha técnica do R3 1200 mostra especificações superiores — Foto: Divulgação/AMD Ficha técnica do R3 1200 mostra especificações superiores — Foto: Divulgação/AMD

Ficha técnica do R3 1200 mostra especificações superiores — Foto: Divulgação/AMD

De saída, o processador da AMD tem uma vantagem diante da opção da Intel: o R3 1200 é uma CPU quad-core, enquanto que o i3 7100 tem apenas dois núcleos. Em geral, essa diferença pode ser significativa em aplicações mais exigentes e que são desenvolvidas para tirar proveito de múltiplos núcleos de processamento, como jogos e softwares de edição de imagem.

O dobro de núcleos do processador da AMD chega a compensar a velocidade mais elevada do i3. Enquanto que o R3 1200 roda a 3.1 GHz, o processador da Intel vai a 3.9 GHz. Outro trunfo considerável do R3 1200 é a quantidade de memória cache em L3: são 8 MB contra apenas 3 MB do Core i3 7100.

Desempenho

Na prática, o perfil técnico dos dois modelos leva a comparativos que colocam o processador da Intel em vantagem, quando o fator da análise é o desempenho de processamento para um único núcleo (sobretudo no uso de aplicações mais simples e mais antigas). Quando o teste considera performance de múltiplos núcleos, o AMD, com o dobro deles, é melhor.

Vídeo e tecnologias extras

Core i3 tem placa de vídeo integrada e suporte a Optane — Foto: Divulgação/Intel Core i3 tem placa de vídeo integrada e suporte a Optane — Foto: Divulgação/Intel

Core i3 tem placa de vídeo integrada e suporte a Optane — Foto: Divulgação/Intel

Os processadores R3, R5 e R7 da AMD não possuem nenhum tipo de capacidade gráfica. Computadores construídos em torno dessas CPUs, portanto, precisam de placa de vídeo externa. Isso significa, na prática, que você precisa abrir mais o bolso para montar um computador com o processador da AMD.

A coisa é diferente no caso do i3, já que todo processador da Intel vem acompanhado de uma GPU com fôlego suficiente para rodar vídeo em 4K. Embora a placa gráfica da Intel esteja longe de ser adequada para games, ela permite economizar na montagem de computadores que serão usados para aplicações mais simples.

Outro diferencial está no fato de que a CPU da Intel funciona com as unidades Optane, que servem para acelerar o funcionamento de computadores convencionais e que não possuem SSDs. Do outro lado, a AMD não oferece nada parecido.

Consumo

No geral, processadores são mais ineficientes do ponto de vista energético — Foto: Divulgação/AMD No geral, processadores são mais ineficientes do ponto de vista energético — Foto: Divulgação/AMD

No geral, processadores são mais ineficientes do ponto de vista energético — Foto: Divulgação/AMD

Aqui a Intel sai vencedora com relativa facilidade. O Core i3 7100 atinge uma TDP de 51 watts, segundo os números oficiais do fabricante. Do outro lado, o Ryzen R3 1200 chega a dissipar 65 watts de energia em situações de alta demanda.

Vale lembrar que esses valores, medidos em watts, consideram a quantidade total de energia que é desperdiçada pelo processador na forma de calor, em situações que a CPU opera na sua capacidade máxima. Números precisos de quanta eletricidade cada um deles gasta serão sempre menores, variando muito conforme o uso.

Entretanto, a lógica é a seguinte: se o processador da AMD tem TDP mais alta do que o da Intel, ele efetivamente desperdiça uma quantidade maior de eletricidade na forma de calor durante o seu funcionamento. E, no fim das contas, desperdício é ineficiência.

Custo-benefício

Aqui as comparações ficam ainda mais interessantes porque os preços dos dois produtos são bem parecidos. Embora lançado há pouco tempo, o R3 da AMD já pode ser encontrado no país por preços na casa dos R$ 490.

Com mais tempo no mercado, o processador da Intel é mais caro: R$ 515, em média. A diferença é bem pequena: apenas R$ 25 separam os dois modelos. Entretanto, a conta para o lado da AMD pode ficar desfavorável se você não tiver uma placa de vídeo em mãos.

Conclusão

Em termos gerais, os processadores são ótimas escolhas para quem procura CPUs de última geração a preços mais convidativos. Entretanto, se a sua ambição está em montar o melhor PC possível, com um orçamento mais apertado, é importante considerar alguns detalhes que podem definir o que é melhor para o seu perfil de uso.

Para quem vai jogar, o R3 1200 deve se mostrar uma melhor aposta no médio e longo prazo. O dobro de núcleos disponíveis no processador da AMD deve torná-lo mais eficiente nesse tipo de uso. Considerando ainda que quem vai jogar fatalmente precisará de uma boa placa de vídeo, a diferença de custo causada pela necessidade de comprar esse componente acaba diluída no fim das contas.

O processador da Intel é um pouco mais caro, mas pode ser opção ideal para quem precisa de um equipamento funcional, de boa performance e capaz de dar conta de atividades domésticas. A GPU embutida no chip poupa a necessidade de comprar uma placa de vídeo e permite que o consumidor empregue o i3 em media-centers caseiros feitos para rodar vídeos com resolução 4K.

Mais do TechTudo