Por Gabriel Ribeiro e Gabrielle Lancellotti, para o TechTudo


O Tinder, popular aplicativo de paquera e relacionamento, lançou uma campanha em parceria com a PETA — organização dedicada à proteção dos animais — para estimular os usuários do app a removerem fotos com tigres de seus perfis. A ação tem um motivo nobre: sensibilizar as pessoas sobre a causa. Esses animais estão fora do seu habitat natural e, normalmente, são dopados para que as pessoas possam tirar fotos posando próximo aos felinos que não reagem.

A ação celebra o Dia Internacional do Tigre, comemorado no último dia 29 de julho. Como parte da iniciativa, a plataforma também criou a hashtag #NoTigerSelfie para espalhar o movimento para outras redes sociais como Instagram, Facebook e Twitter e fará uma doação de US$ 10 mil para o Project Cat — movimento global para proteger os tigres.

Dia Internacional do Tigre é celebrado em 29 de julho — Foto: Reprodução/Giphy

Dia Internacional do Tigre é celebrado em 29 de julho — Foto: Reprodução/Giphy

Em vez de fotos com os felinos, o Tinder sugeriu o uso de imagens que demonstrem preocupação com o meio ambiente e com a preservação de animais selvagens. Entre as ideias estão selfies plantando árvores e fazendo um trabalho voluntário em abrigos de animais, por exemplo.

"Há inúmeras formas de deixar o perfil divertido com fotos de situações que não agridam o meio ambiente e que não incentivem que animais sejam retirados de seu habitat e dopados para virar atração turística'', comenta Andrea Iorio, diretor de marketing e comunicação do Tinder na América Latina.

"Estamos muito orgulhosos da parceria com a PETA e também dos usuários da plataforma que estão aderindo a essa causa, removendo as fotos com animais selvagens e buscando outras formas criativas de continuar garantindo muitos matches com perfis divertidos", completa.

Para finalizar, o microblog dá dicas de como colaborar com a proteção de animais silvestres:

  • Reporte atividades suspeitas de tráfico de animais, maus-tratos ou exploração animal às autoridades locais.
  • Se você encontrar atividades suspeitas no Facebook, informe a página ou comente sua suspeita no post. Grande parte das vendas ilegais está sendo feita nas redes sociais e é preciso ajuda da comunidade para combater isso.
  • Não faça selfies com tigres ou outros animais selvagens para que seu dinheiro não patrocine acidentalmente atividades questionáveis.
  • Não compre produtos que sejam resultado de exploração animal.

MAIS DO TechTudo