Por Felipe Vinha, para o TechTudo

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Andy Salisbury, diretor de comunidade de Terra-Média: Sombras da Guerra, esteve na Brasil Game Show 2017 para falar com os fãs e apresentá-los ao novo game. O game já teve seu lançamento e está disponível no PS4, Xbox One e PC, mas marcou presença no estande da Warner para testes. Apesar de ser do gênero de ação com diversos atrativos para seu público, o jogo gerou certa polêmica por conta de “liberdades criativas” no desenvolvimento. Salisbury falou ao TechTudo sobre estes pontos e outras novidades. Confira:

O complexo universo de Tolkien

“Sabemos que os fãs de J.R.R. Tolkien são muito passionais com sua obra - e com razão! Por isso tomamos muito cuidado na produção dos nossos jogos”, comentou o produtor. Ele revelou ainda que a equipe de desenvolvimento de Sombras da Guerra possui diversos membros que são especialistas no trabalho do lendário escritor, o que deve tranquilizar alguns fãs mais preocupados com esse tipo de cuidado.

Andy Salisbury na Brasil Game Show 2017 — Foto: Felipe Vinha/TechTudo Andy Salisbury na Brasil Game Show 2017 — Foto: Felipe Vinha/TechTudo

Andy Salisbury na Brasil Game Show 2017 — Foto: Felipe Vinha/TechTudo

“Em nossa equipe temos pessoas que amam Tolkien e que o estudam. Há até mesmo uma pessoa que trabalhou na produção da trilogia O Senhor dos Anéis, de Peter Jackson, e é estudioso no assunto! Ele sempre nos diz em que lugar estamos errando ou como podemos melhorar para ficarmos mais respeitosos à obra”, disse. “Ao mesmo tempo, queríamos fazer algo novo neste universo, por isso trouxemos elementos inéditos em relação aos filmes e livros. O jogo foi feito para expandir, chegar a novos fãs, e não limitar”, continuou Salisbury.

E a Laracna, hein?

Um dos pontos mais polêmicos de Sombras da Guerra foi a inclusão da forma humana de Laracna, que em Sombras da Guerra aparece como uma mulher de visual sensual, enquanto anteriormente sempre era representada como uma gigantesca e monstruosa aranha. Isso gerou críticas daqueles que exigiam material mais fiel ao original. Em contrapartida, o produtor comentou que a mudança foi algo pensado justamente para se distanciar dos filmes e livros.

Terra-Média: Sombras da Guerra — Foto: Reprodução/Felipe Vinha Terra-Média: Sombras da Guerra — Foto: Reprodução/Felipe Vinha

Terra-Média: Sombras da Guerra — Foto: Reprodução/Felipe Vinha

“Queríamos usar a criatividade. Veja, por exemplo, Sauron. Os Maiar eram semideuses e assumem formas diferentes. Sauron já foi um cara grande em uma armadura durante a guerra em O Senhor dos Anéis, mas depois tomou a forma de um olho”, justificou. “Se você olhar mais no passado da história escrita por Tolkien, verá que ele também teve outras formas. Foi mais ou menos o que fizemos com Laracna. Queríamos trazer uma nova história e apresentação para ela”, complementou o produtor.

Sistema de destaque

Para Salisbury, o principal destaque de Sombras da Guerra continua sendo seu sistema de Nêmesis, que coloca Orcs como arqui-inimigos dos jogadores. “Isso se comprova aqui, na Brasil Game Show. Os fãs vêm contar suas histórias, de como determinado Orc ou Uruk se tornou um grande inimigo e como a história se desenvolveu. Isso é incrível! Dessa forma, o jogo se torna uma experiência única para cada um”, disse.

Salisbury interagiu com fãs na BGS 2017 — Foto: Felipe Vinha/TechTudo Salisbury interagiu com fãs na BGS 2017 — Foto: Felipe Vinha/TechTudo

Salisbury interagiu com fãs na BGS 2017 — Foto: Felipe Vinha/TechTudo

“Como gerente de comunidade, é meu papel estar a par dessa receptividade dos jogadores, saber de cada comentário. Tem sido divertido ouvir essas histórias, pois o sistema Nêmesis dá esse tipo de liberdade”, comentou. A mecânica também estava presente em Sombras de Mordor, o primeiro jogo da “série”, mas, no atual título, ela foi ampliada e melhorada, trazendo mais conflitos em larga escala com inimigos e recrutamento de mais Orcs para sua equipe, fomentando rivalidades.

Outros elementos do jogo também merecem destaque, na opinião de Salisbury, como as caixas com prêmios, ou “loot boxes”. “Elas adicionam novidades para quem busca usufruir do Nêmesis ou jogar o multiplayer. Os caixotes podem melhorar orcs, trazer novos equipamentos e muito mais. Porém, não se preocupe, garanto que, se você busca aproveitar somente a campanha para um jogador, isso não vai te afetar de forma alguma”, afirmou.

Satisfeito com o trabalho

Andy Salisbury diz que a equipe de desenvolvimento de Sombras da Guerra está satisfeita com o resultado e em tudo o que foi feito na produção. “Criamos tudo isso para prover a melhor forma de jogar a nova aventura. Queremos aproximar o público que gostou do anterior com aqueles que estão chegando agora!”, disse.

Terra-Média: Sombras da Guerra — Foto: Reprodução/Felipe Vinha Terra-Média: Sombras da Guerra — Foto: Reprodução/Felipe Vinha

Terra-Média: Sombras da Guerra — Foto: Reprodução/Felipe Vinha

Para finalizar, ele revelou que ainda é grande fã da obra de Tolkien e gosta muito de todos os livros e filmes. Porém, há um favorito: “O Senhor dos Anéis, a trilogia completa, em versão estendida! Não há outra forma de aproveitar essa história, além dessa. É uma experiência que dura um dia inteiro, intensa e incrível, recomendo a todos”, acrescentou.

Quais os melhores jogos baseados em filmes? Comente no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo