Por Gabriel Ribeiro, para o TechTudo


Além do Google Home Mini e uma série de outros dispositivos, a empresa também apresentou nesta quarta-feira (4) o Home Max. A caixa de som inteligente tem a proposta de ser a mais potente da linha, com um som vinte vezes mais poderoso do que o primeiro dispositivo lançado em 2016. A pré-venda terá início em 13 de novembro com previsão de chegar às lojas dos Estados Unidos em dezembro - ainda sem previsão para o Brasil. O Google Home Max sairá por US$ 399, em torno de R$ 1.250 sem taxas. Entenda as principais características do nova caixa de som com Google Assistente.

Google Home Max traz design sóbrio (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google Google Home Max traz design sóbrio (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google

Google Home Max traz design sóbrio (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google

Melhor áudio

O Google Home Max chega ao mercado com a proposta de oferecer uma melhor qualidade de áudio entre as caixas smarts. E o salto foi grande em relação ao Google Home de 2016. Para isso, o novo modelo conta com dois drives de 4,5’’ com woofers de alta excursão, além de dois tweeters de 0,7”, cobertos por uma caixa selada de policarbonato e uma proteção em tecido acústico na parte frontal. Para quem quiser ainda mais potência, ele permite a conexão sem fio com mais uma Home Max para um som estéreo.

Mais inteligente

O modelo conta com uma nova tecnologia chamada de Smart Sound. Esse recurso utiliza inteligência artificial para se adaptar aos diferentes tipos de ambientes, algo semelhante ao HomePod. Com isso, o Home Max consegue identificar onde está e assim modificar o som, equalizando o áudio para se adequar ao local onde está posicionado.

Outro trunfo do Smart Sound é que ele altera o volume de forma automática. O aparelho identifica o barulho ambiente - um liquidificador ligado, por exemplo - e aumenta o volume. Quando o local está em silêncio, ele diminui. O usuário, claro, também pode alterar o volume direto no aparelho, graças as áreas sensíveis ao toque localizados nas laterais do dispositivo.

Detalhe dos componentes internos do Google Home Max (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google Detalhe dos componentes internos do Google Home Max (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google

Detalhe dos componentes internos do Google Home Max (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google

O Google também promete que o aparelho seja capaz de identificar comandos mesmo quando a música estiver alta, graças a microfones de alta captação e reconhecimento de voz aprimorado. O Home Max traz Wi-Fi AC e é alimentado por um processador ARM Cortex A53, chip quad core 64 bit com capacidade para chegar 1.6 GHz.

Músicas

Outro atrativo do Google Home Max é a compatibilidade com uma série de serviços de streaming. Além do Google Play Music e do Youtube Music, o dispositivo também pode trabalhar com o Spotify, Pandora e Tune In.

Google Home Max também pode ser posicionado na vertical (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google Google Home Max também pode ser posicionado na vertical (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google

Google Home Max também pode ser posicionado na vertical (Foto: Divulgação/Google) — Foto: Google

A nova smart speaker também pode se conectar a dispositivos externos. O Home Max traz conexões USB-C e Bluetooth, além do conector P2, permitindo a conexão de um smartphone ou um toca discos direto no aparelho. Ele também é compatível com outros devices, como o Chromecast e Chromecast Audio.

Disponível nas cores giz (branco) e carvão vegetal (preto), o Google Home Max pode ser posicionado tanto na horizontal quanto na vertical. Ele também traz um base magnética para dar mais segurança ao ser posicionado em superfícies metálicas.

O dispositivo conta com uma sinalização na parte frontal para indicar o funcionamento do Google Assistente e um botão na parte superior para ativar/desativar o recurso. O modelo também conta com sensor de luz ambiente e de orientação. Ao todo ele pesa 5,3 kg e traz as dimensões 336.6 x 190 x 154.4 mm.

Vale a pena comprar caixa de som Bluetooth? Comente no Fórum do TechTudo

MAIS DO TechTudo