USB 3.2: novo padrão pode alcançar velocidades de 20 Gb/s via USB-C

Interface USB 3.2 chega em 2018 com dispositivos capazes de atingir o dobro da velocidade do USB 3.1

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Filipe Garrett, para o TechTudo

A USB.org finalizou as especificações técnicas do USB 3.2, determinando os parâmetros de transferência que poderão chegar a 20 Gbps (igual a 2.5 GB/s); o dobro da interface USB 3.1. Mantendo compatibilidade com os conectores USB-C, espera-se que os primeiros dispositivos compatíveis com o novo padrão USB cheguem ao mercado já em 2018.

A divulgação das especificações é um passo decisivo no processo de estabelecimento do USB 3.2, já que dá aos fabricantes de hardware acesso às especificações técnicas que devem ser atendidas para a homologação de seus aparelhos.

Retrocompatível, USB 3.2 usará conectores e cabos USB-C (Foto: Divulgação/Lenovo) Retrocompatível, USB 3.2 usará conectores e cabos USB-C (Foto: Divulgação/Lenovo)

Retrocompatível, USB 3.2 usará conectores e cabos USB-C (Foto: Divulgação/Lenovo)

O aumento considerável em velocidade do novo USB se dá por conta do design que agrega o dobro das vias de alta velocidade dentro dos cabos e conectores, se comparados aos produtos USB 3.1. Além de manter compatibilidade com as portas USB-C, o novo padrão 3.2 será compatível com os cabos atuais, desde que eles sejam homologados para o USB SuperSpeed.

As taxas de transferências elevadas em função do uso de duas vias de 10 Gbps (totalizando os 20 Gbps) podem facilitar o uso do USB 3.2 como uma interface que vai além da simples transferência de arquivos e conexão de periféricos a um computador: conexão de placas de vídeo externas em laptops e outros usos que exigem taxas de transferência altíssimas, passariam a ser possíveis por meio da interface (ainda que o Thunderbolt 3 continue mais rápido, oferecendo limites teóricos de velocidade na casa dos 40 Gbps).

Apesar da perspectiva de transferências de 2,5 GB/s serem animadoras, é importante considerar que esse limite é teórico. Na prática, o usuário deverá encontrar velocidades mais baixas do que isso, já que fatores como processamento de dados entre os dispositivos durante uma transferência, bem como codificação de conteúdo (na transferência de vídeos, por exemplo), podem puxar a velocidade para baixo.

Via USB, Guru3D

MAIS DO TechTudo