Por Melissa Cruz Cossetti, da redação


Uma pesquisa recente do comparador de preços Zoom, feita com 15 mil pessoas em todo Brasil, revela que a maioria dos entrevistados, que soma 44%, não tem preferência de horário para comprar online na Black Friday. Entretanto, destacam-se grupos de consumidores que optam por uma estratégia diferenciada para garantir as melhores ofertas na Internet. Na sequência, 23% dos entrevistados afirma que fazem as compras usando PCs e celulares no período da madrugada.

O levantamento também revela que 16% compra já na quinta-feira à noite, antes do início "oficial" da Black Friday, e 9% na própria sexta-feira de manhã.

Saiba como comprar com segurança; vídeo

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

Antecipar as compras online pode ser uma boa estratégia para quem deseja produtos com baixo estoque ou raros. De acordo com um estudo feito pelo Google Brasil, publicado em agosto, a expectativa do e-commerce é de que as vendas cresçam de 15% a 20% em relação ao ano passado. As vendas online nesta Black Friday 2017 devem movimentar mais de R$ 2 bilhões e reaquecer lojistas.

Filip; relógio inteligente  — Foto: Reprodução/YouTube Filip; relógio inteligente  — Foto: Reprodução/YouTube

Filip; relógio inteligente — Foto: Reprodução/YouTube

10 milhões de pedidos

Para a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), só as lojas virtuais devem receber cerca de 10 milhões de pedidos, com valor médio de R$ 246 cada. A associação prevê, ainda, que devem ser mais buscados os produtos das seções de informática, celulares, eletrônicos, moda e decoração.

Já a Ebit, que é referência em dados sobre o e-commerce brasileiro, está mais otimista com os lucros e estima que o tíquete médio chegará a R$ 695. O que representa um aumento de 6,4% em relação à edição anterior. Em 2016, itens como livros e eletrônicos foram os mais desejados entre os consumidores.

É necessário acompanhar as ofertas desde quinta-feira à noite, quando as lojas já começam a liberar os descontos

Thiago Flores, diretor executivo do Zoom, explica que o planejamento para compra "antecipada" pode ser benéfico para o consumidor que já tem uma lista de desejos. “É importante ficar atento aos estoques dos produtos que podem acabar rapidamente. Por isso, é necessário acompanhar as ofertas desde quinta-feira à noite, quando as lojas já começam a liberar os descontos”, conta.

Horários em que os consumidores fazem compras na Black Friday
Resultado da pesquisa do Zoom, site e app comparador de preços e produtos, realizada com 15 mil pessoas, sobre os horários que os consumidores fazem compras na Black Friday:
Fonte: Zoom

Horário de pico

Segundo a Braspag, empresa do grupo Cielo que oferece soluções de pagamentos para e-commerce, o pico de vendas deve ocorrer por volta das 18h da sexta-feira (24) e a estimativa é de que entre 21h e 22h o volume ultrapasse o da Black Friday de 2016.

"Sem dúvida, a Black Friday é a data mais esperada pelo e-commerce, tornando-se tão relevante para as vendas quanto o Natal. Processamos três vezes mais do que o pico médio de qualquer outra data do ano", explica Gastão Mattos, CEO da Braspag.

Já na quinta-feira (23), que antecede o evento, a expectativa é de um crescimento de 13% em relação a Black Friday 2016, com pico de vendas às 23h e, para o sábado, um dia após o evento, a estimativa é de 6% a mais de transações em relação ao ano passado, com pico às 0h — na ressaca das vendas da Black Friday.

Em suma, fique atento ao estoque, evite o horário de pico e garanta ofertas cedo.

Compartilhe as melhores ofertas da Black Friday no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo