BlizzCon 2017: veja algumas curiosidades do evento

Evento na Califórnia, no Estados Unidos, trouxe público presente de 30 mil pessoas.

BlizzCon 2017: veja algumas curiosidades do evento BlizzCon 2017: veja algumas curiosidades do evento
email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Viviane Werneck*, da redação

A BlizzCon 2017 aconteceu nos últimos dias 3 e 4 de novembro e, como sempre, arrastou uma multidão, mais precisamente 30 mil pessoas, para a cidade de Anaheim, na Califórnia. Além dos anúncios, como - por exemplo - a expansão Battle for Azeroth, para World of Warcraft, novo mapa e personagem para Overwatch e mais conteúdo para Hearthstone, o evento é conhecido pelos seus fãs calorosos, cosplayers, lojas oficiais com filas quilométricas, encontro com desenvolvedores e várias outras atividades. O TechTudo esteve presente e te leva, a seguir, num passeio pelos bastidores da BlizzCon.

As filas para entrar na BlizzCon tomavam quase toda a calçada do centro de convenções (Foto: Viviane Werneck/TechTudo) As filas para entrar na BlizzCon tomavam quase toda a calçada do centro de convenções (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

As filas para entrar na BlizzCon tomavam quase toda a calçada do centro de convenções (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Torneio de eSports

Como não poderia ser diferente, a BlizzCon é palco de alguns dos principais campeonatos de eSports do mundo. Inclusive, as famosas disputas de Starcraft já são conhecidas há anos pelos fãs. Além deste game, Hearthstone e World of Warcraft também tiveram suas finais no evento e Overwatch ganhou sua própria arena e levou fãs, de várias nacionalidades, à loucura.

Moira e novo mapa Blizzard World: testamos as novidades de Overwatch

Moira e novo mapa Blizzard World: testamos as novidades de Overwatch

E por falar do game, a final da Copa do Mundo de Overwatch consagrou, mais uma vez, a Coréia do Sul - que saiu como bicampeã do torneio - vencendo o Canadá por 4 a 1. Starcraft II teve dobradinha sul-coreana na final, mas quem levou a melhor foi Lee “Rogue” Byung Ryul, que bateu Eo "soO" Yoon Su por 4 a 2. O vencedor levou para casa R$ 900 mil em prêmios. O Brasil também fez história na competição, com a participação de Diego "Kelazhur" Schwimer.

Parece que só deu Coréia mesmo porque eles também venceram o Circuito Mundial de Heroes of the Storm. O time MVP Black venceu os europeus da FNATIC por 4 a 0. A equipe brasileira Red Canids também marcou presença na competição. E, finalmente, em World of Warcraft, a equipe europeia ABC foi campeã, vencendo os americanos da Panda Global por 4 a 0. O time brasileiro Unitas Black conseguiu se classificar para as quartas de final.

Papo com os desenvolvedores

Bem próximo à entrada principal, no primeiro andar, os fãs tiveram a oportunidade de visitar um espaço reservado com informações, imagens e vídeos de como é trabalhar na Blizzard. Além disso, era possível interagir com alguns dos desenvolvedores de franquias famosas, como World of Warcraft, Starcraft e Diablo, por exemplo. Quem chegasse por lá podia tirar fotos e ganhar cartões postais temáticos da BlizzCon autografados.

Era possível conhecer mais sobre a Blizzard e até conseguir autógrafos com desenvolvedores (Foto: Viviane Werneck/TechTudo) Era possível conhecer mais sobre a Blizzard e até conseguir autógrafos com desenvolvedores (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Era possível conhecer mais sobre a Blizzard e até conseguir autógrafos com desenvolvedores (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Loja oficial e troca de itens

Como já era de se esperar, as filas para a loja oficial da Blizzard (no piso inferior da BlizzCon) eram enormes e o tempo de espera para se conseguir comprar o sonhado presente podia levar de duas a três horas! Vale lembrar que os itens mais concorridos, como figuras de ação e alguns casacos, esgotaram já no dia 2 de novembro - antes do evento começar oficialmente. A crítica aqui fica para a falta que fez a existência de algum sistema para avisar as pessoas que certos itens já estavam esgotados. Os fãs, às vezes, só descobriam isso depois de passar as duas horas na fila, em média, e já no caixa.

Alguns brindes vendidos eram do tipo embalagem surpresa, ou seja, não dava para saber o conteúdo até abrir. Era possível comprar caixinhas ou pacotes de stickers, bonequinhos, e pins - por exemplo. E o que fazer com os itens repetidos? Já é clássico na BlizzCon uma área só para troca desses brindes, organizada pelos próprios visitantes. Era comum ver grupos de fãs com pastas cheias de stickers em mesas ou mesmo pelo chão, onde trocavam seus itens repetidos com outras pessoas. Não tinha muito mistério, era só chegar com seu item e trocar com outra pessoa, se ela se interessasse.

Fãs se reuniam para trocar itens repetidos durante o evento (Foto: Viviane Werneck/TechTudo) Fãs se reuniam para trocar itens repetidos durante o evento (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Fãs se reuniam para trocar itens repetidos durante o evento (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Maquete de Batalha por Lordaeron, em World of Warcraft

Quem assistiu ao trailer de lançamento da expansão Battle for Azeroth, pôde ver os exércitos da Horda e da Aliança disputando a região de Lordaero. Na BlizzCon era possível ver um diorama gigantesco (com 120 metros quadrados) da cena e, o mais interessante, com 10 mil bonequinhos distribuídos entre as duas facções e que representavam alguns dos participantes presentes ao evento, escolhidos de forma aleatória. Inclusive, a brincadeira era justamente "se achar" na maquete. Você entrava no site wowplayerdiorama.com e selecionava o seu personagem.

Maquete tinha 10 mil bonequinhos representando alguns participantes do evento (Foto: Viviane Werneck/TechTudo) Maquete tinha 10 mil bonequinhos representando alguns participantes do evento (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Maquete tinha 10 mil bonequinhos representando alguns participantes do evento (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Cosplayers e estátuas

Não se pode falar de bastidores da BlizzCon sem falar de cosplayers, que são pessoas que amam tanto um game (ou anime, filme e etc) a ponto de se vestir como seus personagens preferidos. E nesse ano, como Overwatch está muito em alta, a maioria das fantasias encontradas eram do jogo de tiro. O destaque fica para a qualidade e os detalhes de cada produção, que podem custar até dois mil dólares, por exemplo.

Pelos corredores do centro de convenções também era comum encontrar belas e gigantes estátuas com personagens principais das franquias da Blizzard. Ponto de encontro obrigatório para fotos de recordação, era fácil garantir aquele clique especial ao lado de monumentos representando os universos de World of Warcraft, Starcraft 2 e Overwatch.

Não era difícil encontrar estátuas incríveis pelos corredores da BlizzCon (Foto: Viviane Werneck/TechTudo) Não era difícil encontrar estátuas incríveis pelos corredores da BlizzCon (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

Não era difícil encontrar estátuas incríveis pelos corredores da BlizzCon (Foto: Viviane Werneck/TechTudo)

*A jornalista viajou para a BlizzCon à convite da Blizzard.

MAIS DO TechTudo