Dez anos do Android: relembre as versões do sistema do Google para celular

Plataforma surgiu em novembro de 2007 e hoje acumula mais de dois bilhões de usuários.

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Paulo Alves, para o TechTudo

Nesta semana o Android completa dez anos desde sua criação. O sistema do Google para celulares chegou ao mercado somente em 2008, mas foi apresentado um ano antes em versão ainda experimental (beta). O anúncio ocorreu no começo de novembro de 2007, meses depois da chegada o primeiro iPhone, lançado em janeiro.

O software surgiu depois que a gigante das buscas comprou uma empresa de Andy Rubin, considerado o “pai do Android”. Desde então, acumulou 13 grandes versões e rompeu a barreira de dois bilhões de usuários ativos no mundo. Nas linhas a seguir, o TechTudo relembra a história da plataforma e seus principais recursos ao longo do tempo.

Android completa 10 anos em 2017 (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo ) Android completa 10 anos em 2017 (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo )

Android completa 10 anos em 2017 (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo )

Na época do lançamento do Android, especulava-se que o Google poderia anunciar um smartphone próprio, chamado de Google Phone. Porém, no fim de 2007, a empresa, então chefiada por Eric Schmidt, lançou um sistema que visava alimentar um ecossistema de celulares de várias fabricantes para concorrer com o iPhone (iOS).

O Android começou a ser desenvolvido muito antes do grande lançamento da Apple. A empresa de mesmo nome foi fundada por Rubin em 2003, quatro anos antes do iPhone. Hoje, o que se sabe é que vários aspectos do software mudaram com a chegada do primeiro celular da Maçã. Em entrevista ao The Atlantic em 2013, o engenheiro do Google, Chris DeSalvo, confessou que o projeto teve que ser reiniciado.

“De repente nós ficamos tão. . . Anos 90. É apenas uma dessas coisas que ficam óbvias quando você via [o iPhone]” — Chris DeSalvo.

O Android ficou rapidamente conhecido por sua capacidade de personalização com atalhos, widgets e papeis de parede animados. Essa característica se mantém até hoje e segue como principal diferencial em relação ao rival iOS, da Apple. Outro concorrente ao longo dos anos foi o Windows Phone (ou Windows 10 Mobile), da Microsoft, que não ganhou popularidade e chegou oficialmente ao fim em outubro.

Android 1.0

Ainda sem nome, o Android foi lançado em 2008 no smartphone G1, que chegou somente aos EUA. O aparelho tinha tela sensível ao toque e um teclado físico retrátil para digitar. Desde o primeiro Android, o Google começou a oferecer seus serviços em versão móvel, como YouTube e Google Maps – o que era uma novidade no mundo dos celulares.

Android 1.5 Cupcake

A primeira versão conhecida por nome de doce foi a Android 1.5 Cupcake, lançada em 2009. A atualização se destacou pelos atalhos de aplicativos na tela inicial e a presença de pastas. O sistema também inovou ao permitir a adição de widgets e upload de vídeos para o YouTube e Picasa.

Android 1.6 Donut

O Android 1.6 Donut trouxe, ainda em 2009, os primeiros aplicativos da loja Android Market – hoje a plataforma se chama Google Play Store. O Android Donut também trouxe barra de pesquisa e compatibilidade com telas de maior definiçã, abrindo caminho para displays de alta resolução vistos em smartphones modernos.

Android 2.0 Eclair

Antes do fim de 2009, o Google lançou a versão 2.0 Eclair no smartphone Nexus One, fabricado pela HTC. O sistema trouxe, pela primeira vez, o Google Maps com navegação via GPS a um celular. Além disso, estreou os papeis de parede animados e passou a permitir adicionar mais páginas à tela inicial, aumentando as possibilidades de customização.

Nexus One com Android 2.1 Eclair (Foto: Divulgação/HTC) Nexus One com Android 2.1 Eclair (Foto: Divulgação/HTC)

Nexus One com Android 2.1 Eclair (Foto: Divulgação/HTC)

Android 2.2 Froyo

O Android 2.2 Froyo chegou em 2010 com suporte ao Adobe Flash, plugin que já teve o fim decretado pela fabricante para 2020. Há sete anos, a tecnologia era muito popular e permitia o acesso a sites com animações e jogos pelo celular. Além disso, o Android Froyo permitiu, pela primeira vez, compartilhar a internet móvel do aparelho por meio de cabo USB.

Android 2.3 Gingerbread

No fim de 2010, o Android 2.3 Gingerbread chegou com o lançamento do smartphone Nexus S, fabricado pela Samsung. Por muito tempo a versão mais popular no mundo, o Android Gingerbread trouxe compatibilidade com chips NFC e sensores como acelerômetro e giroscópio, recursos que permitiram a chegada de uma nova geração de apps e jogos para smartphone.

Nexus S, fabricado pela Samsung, lançado em dezembro de 2010 com Android 2.3 Gingerbread (Foto: Divulgação/Samsung) Nexus S, fabricado pela Samsung, lançado em dezembro de 2010 com Android 2.3 Gingerbread (Foto: Divulgação/Samsung)

Nexus S, fabricado pela Samsung, lançado em dezembro de 2010 com Android 2.3 Gingerbread (Foto: Divulgação/Samsung)

Android 3.0 Honeycomb

A versão Android 3.0 Honeycomb é a menos popular da história do software. Ela foi exclusiva de tablets e serviu como espécie de ponte para a grande reformulação do sistema que ocorreu no ano seguinte. Ainda assim, a atualização foi importante por trazer as inspirações iniciais do novo design, incluindo uma paleta de cores reformulada. Um dos poucos tablets que rodaram o sistema foi o Motorola Xoom.

Android 4.0 Ice Cream Sandwich

O Google lançou, no fim de 2011, o Android 4.0 Ice Cream Sandwich com um design profundamente modificado. A nova versão foi anunciada em conjunto com o smartphone Galaxy Nexus, fabricado novamente pela Samsung. Além do novo visual, o sistema trouxe o botão exclusivo de aplicativos recentes, algo permanece até as versões mais novas do sistema.

Android 4.1 Jelly Bean

O Project Butter, tecnologia de melhoria de desempenho e fluidez de animações, foi a principal novidade do Android 4.1 Jelly Bean. Lançado em 2012 com o Nexus 4, da LG, a atualização também levou widgets à tela de bloqueio, botões de ações e atalhos à área de notificações. O sistema se estendeu com o mesmo nome até a versão 4.3 , e foi a plataforma de introdução do Google Now.

Android 4.4 Kitkat

Lançado com o Nexus 5 em 2013, o Android 4.4 Kitkat estreou o Google Now Launcher com atalho para o Google Now a partir de um comando de deslize na tela inicial. O recurso permanece até hoje no lançador do Google.

Android KitKat foi lançado com o Nexus 5 em 2013 (Foto: Divulgação/Google) Android KitKat foi lançado com o Nexus 5 em 2013 (Foto: Divulgação/Google)

Android KitKat foi lançado com o Nexus 5 em 2013 (Foto: Divulgação/Google)

Android 5.0 Lollipop

O Android 5.0 Lollipop, lançado em 2014, recebeu mais uma vez modificações relevantes no visual com a chegada da linguagem Material Design. A versão trouxe uma nova área de notificações e atalhos, tela de apps recentes remodelada e animações mais fluidas. A versão, que estreou no celular Nexus 6 e no tablet Nexus 9, também foi a primeira a oferecer suporte a dispositivos com arquitetura de 64 bits.

Android 6.0 Marshmallow

Em 2015, o Android 6.0 Marshmallow chegou instalado nos Nexus 5X e Nexus 6P, os primeiros da linha Nexus a não serem vendidos no Brasil. O update trouxe importantes recursos de segurança, como controle de permissões. Além disso, o software passou a gerenciar melhor o consumo de bateria em stand by (função Doze). Em janeiro de 2017, essa ainda era a versão mais popular do sistema.

Android Marshmallow ainda era a versão mais popular do sistema em janeiro de 2017 (Foto: Divulgação/Google) Android Marshmallow ainda era a versão mais popular do sistema em janeiro de 2017 (Foto: Divulgação/Google)

Android Marshmallow ainda era a versão mais popular do sistema em janeiro de 2017 (Foto: Divulgação/Google)

Android 7.0 Nougat

O Android 7 Nougat foi anunciado em 2016 e rodava no primeiro Google Pixel. O software passou a oferecer apps em tela dividida, notificações remodeladas, e um atalho para acessar aplicativos recentes rapidamente.

Android 8.0 Oreo

Lançado em 2017, o Android 8 Oreo traz um gerenciamento mais avançado de bateria e função Picture in Picture que cria uma janela flutuante do YouTube. A atualização também conta com o recurso Autofill para guardar senhas e realizar login simplificado em apps e sites. Já o Smart Text Selection (Seleção de Texto Inteligente) promete usar inteligência artificial para reconhecer nomes de pessoas e estabelecimentos para facilitar seleção e cópia de informações.

Android 8 Oreo tem foco em otimização de bateria (Foto: Divulgação/Google) Android 8 Oreo tem foco em otimização de bateria (Foto: Divulgação/Google)

Android 8 Oreo tem foco em otimização de bateria (Foto: Divulgação/Google)

MAIS DO TechTudo