Transformar TV comum em smart: veja aparelhos disponíveis no Brasil

Dispositivos têm preços entre R$ 220 e R$ 1,4 mil no mercado nacional.

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Raquel Freire, para o TechTudo

Existem vários aparelhos que transformam TVs comuns em smart. Apple TV, Chromecast e Wireless Display Adapter são algumas opções à venda no Brasil. Os dispositivos da Apple, Google e Microsoft trazem abordagens distintas, e oferecem variantes com especificações mais básicas ou avançadas. Os preços variam de R$ 220, valor aproximado cobrado no Chromecast 2, a R$ 1.399, relativo à Apple TV 4K, lançamento de 2017.

Para facilitar a comparação entre os modelos, o TechTudo reuniu as características dos media centers atualmente comercializados no mercado nacional. Está em dúvida sobre qual produto comprar? Confira a análise de ficha técnica a seguir e descubra qual é o melhor para atender às suas necessidades.

Transformar TV normal em smart: veja aparelhos disponíveis no Brasil (Foto: Caio Bersot/Techtudo) Transformar TV normal em smart: veja aparelhos disponíveis no Brasil (Foto: Caio Bersot/Techtudo)

Transformar TV normal em smart: veja aparelhos disponíveis no Brasil (Foto: Caio Bersot/Techtudo)

Apple TV

A Apple TV é um dos primeiros nomes que vem à mente quando se trata de gadget para deixar a televisão smart. Atualmente, há dois modelos disponíveis: a Apple TV da 4ª geração, lançada em 2015, e a Apple TV 4K, de 2017. Com a chegada da versão mais nova, a marca retirou a opção de 64 GB do aparelho antigo, restando apenas a de 32 GB de armazenamento, vendida por R$ 1.099. Já o modelo 4K é encontrado nas variações de 32 GB e 64 GB, com preços de R$ 1.299 e R$ 1.399, respectivamente

Como o nome já diz, a grande diferença do dispositivo deste ano é o suporte à resolução Ultra HD. O antecessor reproduz em Full HD (1080p), nos mesmos 60 quadros por segundo que a TV 4K atual. Na prática, isso significa quatro vezes mais pixels (e definição) na tela com a mesma cadência. Outra novidade no quesito qualidade de vídeos é o suporte ao Dolby Vision e ao HDR10. Ou seja: o novo aparelho é capaz de reproduzir imagens com cores mais vivas independentemente do formato empregado pela produtora.

Apple TV 4K traz suporte a HDR e Dolby Vision (Foto: Thássius Veloso/TechTudo) Apple TV 4K traz suporte a HDR e Dolby Vision (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Apple TV 4K traz suporte a HDR e Dolby Vision (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Também houve melhorias no processador. A Apple TV 4K recebeu o A10X Fusion, o mesmo chip que deu aos iPhones 8 Plus e iPhone 8 os primeiros lugares no ranking dos celulares com melhor desempenho do momento. A set-top box de 2015 traz o chip A8, que equipa do iPhone 6.

No design, quase nada mudou. As duas gerações apresentam uma caixinha preta com 9,8 cm de lado, cantos arredondados e 425 g. A diferença só é percebida atrás: a Apple tirou a saída USB-C. O novo aparelho traz apenas o HDMI (atualizado para a versão 2.0, contra a versão 1.4 da 4ª geração); a porta Ethernet (Gigabit, enquanto a placa de rede antiga era 10/100) e entrada para a fonte de alimentação. O modelo de 2015 traz Bluetooth 4.0 e Wi-Fi ac, ao passo que o de 2017 tem Bluetooth 5.0 e Wi-Fi ac dual band.

O que continuou igual foi o controle "Siri Remote", que permite controlar a assistente de voz da Apple. Tanto o media center da 4ª geração quanto a Apple TV 4K possuem infravermelho e foram lançados com versões de 32 e 64 GB de armazenamento.

Chromecast

O Chromecast do Google está em sua segunda geração. Lançado em 2013, o primeiro Chromecast chegou no Brasil por R$ 199. Atualmente, ele é mais difícil de ser encontrado, custando cerca de R$ 280 nas lojas onde ainda há estoque. O Chromecast 2 é de 2015 e tem preço médio de R$ 220.

As especificações dos aparelhos refletem suas datas de lançamento mais distantes. Os dois trazem resolução máxima Full HD – ou seja, nada de 4K ou HDR. Eles têm em comum o sistema operacional, uma versão modificada do Google Chrome. O controle é feito pelo app Google Home, que tem versões para Android, iPhone (iOS), MacOS, Windows e Chrome OS. Tudo é feito pelo aplicativo, já que os gadgets não acompanham controle remoto.

A principal diferença entre os Chromecast 1 e 2 está no design. Enquanto o primeiro tem formato de pendrive com conector HDMI, o modelo mais recente traz um corpo pendular. O plugue fica em uma haste flexível, empregada para facilitar a conexão em TVs fixas em painéis e paredes. A base ganhou acabamento nas cores coral, verde limão e preta, enquanto o primeiro dongle tinha somente o último tom.

Chromecast 2 traz design pendular e melhorias no Wi-Fi (Foto: Camila Peres/TechTudo) Chromecast 2 traz design pendular e melhorias no Wi-Fi (Foto: Camila Peres/TechTudo)

Chromecast 2 traz design pendular e melhorias no Wi-Fi (Foto: Camila Peres/TechTudo)

No interior, o destaque da segunda geração vai para as três antenas com Wi-Fi ac dual-band, um avanço em relação à única antena do Chromecast original, que operava nos padrões 802.11b/g/n e apenas em 2,4 GHz. Assim, a tendência é de que o Chromecast 2 tenha melhor desempenho no streaming e forneça conexões mais estáveis do que a geração passada.

O processador da primeira versão é um single-core de 1,2 Ghz, que acompanha 512 MB de RAM e 2 GB de memória flash. Na atualização, o Google inseriu um chip de dois núcleos com clock de 1,2 Mhz e manteve os 512 MB de RAM. Já o armazenamento caiu para 256 MB, mas o usuário não consegue sentir isso: o espaço é reservado ao cache dos vídeos e apps, não permitindo salvar arquivos.

Vale lembrar que o Chromecast Ultra, lançado em outubro de 2016, tem resolução máxima 4K e suporte ao HDR, o que proporciona imagens mais vivas e profundas. No entanto, o dispositivo mais recente do Google não está à venda oficialmente no Brasil – é possível apenas comprar por meio de sites extra-oficiais ou importação.

Wireless Display Adapter

O Wireless Display Adapter é a opção da Microsoft. Ele chegou ao Brasil em janeiro com preço de R$ 349. Atualmente, já é possível encontrá-lo por cerca de R$ 250. O aparelho é compatível com dispositivos Windows 10 e Windows 8.1, funcionando também em algumas versões do Android, mas de forma limitada.

Microsoft Wireless Display Adapter  de lado (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo) Microsoft Wireless Display Adapter  de lado (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)

Microsoft Wireless Display Adapter de lado (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)

O adaptador tem o formato de pendrive, trazendo plugues HDMI e USB (este último usado como fonte de energia). O aparelho acompanha um cabo extensor, que permite conectá-lo em televisores de diferentes marcas. Ele pesa 162 g e está disponível na cor preta.

O que o dongle faz é espelhar a tela do celular, tablet ou computador para a televisão usando o Miracast, tecnologia de Wi-Fi Direct. Por conta disso, ele não requer acesso à Internet nem compatibilidade específica dos apps. Se você estiver com o Globo Play no seu celular, por exemplo, basta emparelhar com o dispositivo e ver os conteúdos na telona.

Segundo a Microsoft, o alcance é de até sete metros. Contudo, em testes do TechTudo realizados em junho, a transmissão apresentou falhas ao afastar o celular poucos metros da TV.

Como usar o WeCast para assistir Netflix e filmes? Troque dicas no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo