Por João Kurtz (colaboração) e Thássius Veloso (da redação)

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp
Apple enfrenta processo nos EUA por derrubar desempenho de iPhones antigos Apple enfrenta processo nos EUA por derrubar desempenho de iPhones antigos

Consumidores americanos entraram na Justiça contra a Apple por causa do desempenho mais lento verificado em celulares da marca. Nesta semana, a Apple admitiu que diversas gerações do iPhone receberam uma atualização de software que limita o desempenho do smartphone. Os aparelhos afetados são: iPhone 6 (lançado em 2014), iPhone 6S (2015), iPhone SE e iPhone 7 (ambos de 2016).

A lentidão das operações foi percebida por usuários do fórum online Reddit e confirmada por testes de benchmark feitos por desenvolvedores do aplicativo Geekbench, especializado em avaliar a performance de celulares.

A fabricante alega que a medida é necessária para evitar que aparelhos com muito tempo de uso possam ser danificados devido ao desgaste natural da bateria e a velocidade pode ser restaurada trocando o componente por um novo.

iPhone 7: a gente foi aos Estados Unidos acompanhar o lançamento do smartphone, em 2016

iPhone 7: a gente foi aos Estados Unidos acompanhar o lançamento do smartphone, em 2016

Entenda a limitação

A limitação do desempenho foi descoberta por usuários do Reddit, que perceberam que a velocidade do CPU, que costumava ser de cerca de 1.400 MHz no iPhone 6, 1.848 MHz no iPhone 6S e 2.350 MHz no iPhone 7, sofrera uma queda repentina, fazendo com que os modelos deixassem de operar com capacidade total.

A variação, em seguida, foi confirmada pelo desenvolvedor John Poole, do Geekbench. Ele monitorou a performance do telefone por meses e registrou a queda após as atualizações para o iOS 10.2.1 ou 11.2.0. A partir deste momento, a velocidade do CPU pasou a atingir picos de no máximo 600 MHz.

Gráficos indicam redução da capacidade de iPhones antigos — Foto: Reprodução/Geekbench Gráficos indicam redução da capacidade de iPhones antigos — Foto: Reprodução/Geekbench

Gráficos indicam redução da capacidade de iPhones antigos — Foto: Reprodução/Geekbench

Em nota ao site The Verge, a Apple confirmou que estas versões do sistema operacional traziam aplicativos específicos que forçavam a queda do desempenho. Isto ocorre, segundo a desenvolvedora, por que as baterias de íon de lítio perdem qualidade com o passar do tempo e se tornam incapazes de fornecer a energia necessária para manter o smartphone operando com eficiência máxima, o que forçava o sistema a desligar automaticamente para evitar danos aos componentes.

A empresa afirmou também que não descarta expandir o recurso para modelos mais recentes do iPhone. “No ano passado, nós lançamos um recurso para o iPhone 6, iPhone 6S e iPhone SE para diminuir picos de energia para evitar que eles desliguem sozinhos. Agora, nós estendemos a função para o iPhone 7 com o iOS 11.2 e planejamos aplicar este suporte em outros produtos no futuro”, confirma.

Como a redução do desempenho está ligada ao desgaste natural de um componente do telefone, ela pode ser restaurada simplesmente fazendo a substituição da bateria. Usuários que fizeram a mudança confirmaram que seus iPhones voltaram a operar com a performance natural a partir do ponto em que eles trocaram suas baterias antigas.

O processo jurídico

A ação coletiva, iniciada pelos consumidores Dakota Speas e Stefan Bogdanovich, leva em consideração que a Apple nunca informou sobre a limitação. Além disso, os clientes da maçã dizem que o recurso jamais foi aceito por eles e que a decisão faz cair o preço de revenda dos iPhones antigos.

Com informações: MacRumors, The Verge e Reddit

MAIS DO TechTudo