Por Gabriel Ribeiro, para o TechTudo


A Samsung anunciou, nesta quarta-feira (20), o início da produção do menor chip de memória DRAM do mundo. O componente faz parte da segunda geração dos chips construídos em 10 nm, promete uma melhor eficiência energética e também tende a oferecer uma melhor performance em relação à geração anterior.

O novo chip deve embarcar a partir do ano que vem em hardwares de alto desempenho, como smartphones, placas de vídeo profissionais e máquinas voltadas para computação na nuvem e inteligência artificial.

Chip de memória DDR4 traz uma maior velocidade por pino  — Foto: Divulgação/Samsung Chip de memória DDR4 traz uma maior velocidade por pino  — Foto: Divulgação/Samsung

Chip de memória DDR4 traz uma maior velocidade por pino — Foto: Divulgação/Samsung

O novo chip é voltado para memórias DDR4 e trabalha em 8 Gigabit, assim como a versão passada. No entanto, a Samsung conseguiu melhorar o consumo energético e ampliar a velocidade na transferência das informações – tudo isso em um espaço mais reduzido.

De acordo com a gigante sul-coreana, o novo componente traz uma eficiência até 15% melhor do que a a primeira geração dos chips de memória fabricados em 10 nm. Desta forma, ela poderá ajudar dispositivos móveis a consumir menos bateria, aumentando a autonomia. Isso só foi possível graças a uma nova tecnologia de design de circuito.

Chip também consome menos energia  — Foto: Divulgação/Samsung Chip também consome menos energia  — Foto: Divulgação/Samsung

Chip também consome menos energia — Foto: Divulgação/Samsung

Outro benefício está em uma melhor velocidade. O novo chip é capaz de operar a 3.600 megabits por segundo por cada pino, enquanto a versão anterior trabalha em até 3.200 megabits por pino.

O setor de suprimentos para a indústria é uma das áreas mais rentáveis da Samsung. Para se manter na liderança, a empresa investe alto em novas tecnologias. Um exemplo é o primeiro chip de memória flash (eUFS) de 512 GB de capacidade voltado para armazenamento em smartphones, que deve chegar aos celulares no próximo ano.

MAIS DO TechTudo