Por Isabela Cabral, para o TechTudo


As câmeras dos smartphones trazem cada vez mais recursos dos equipamentos profissionais para ajudar a melhorar as fotos dos usuários. Um deles é a estabilização de imagem – divulgada pelas fabricantes entre as diversas especificações celular. Essa tecnologia entra em ação para compensar pequenos movimentos inevitáveis que acontecem quando alguém usa uma câmera.

São duas possibilidades: a estabilização óptica de imagem (OIS, na sigla em inglês) e a estabilização eletrônica de imagem (EIS, na sigla em inglês), também conhecida como digital. A seguir, entenda como esses sistemas funcionam para evitar as distorções nas imagens.

Galaxy S7 tem estabilizador óptico de imagens — Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo Galaxy S7 tem estabilizador óptico de imagens — Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo

Galaxy S7 tem estabilizador óptico de imagens — Foto: Fabrício Vitorino/TechTudo

Estabilização Óptica

A Estabilização Óptica (OIS) é uma técnica mecânica e opera na formação da imagem. Por causa dos sensores menores presentes nos smartphones, em comparação aos das DSLRs, o tempo de exposição – ou seja, tempo que a luz leva para entrar pela lente e antigir o sensor, produzindo a imagem – precisa ser maior. O que a OIS faz é controlar esse trajeto.

Sensores presentes na câmera (não confundir com o sensor que registra a imagem), como um giroscópio embutido, buscam entender os movimentos naturais e criam movimentos contrários aos realizados na hora da captura. Assim, eles se cancelam ao máximo, em tempo real. O módulo da lente se move, geralmente com o uso de motores eletromagnéticos. O resultado são imagens mais precisas.

Além da câmera dupla, iPhone 8 Plus é um dos atuais smartphones premium com OIS — Foto: Thássius Veloso / TechTudo Além da câmera dupla, iPhone 8 Plus é um dos atuais smartphones premium com OIS — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

Além da câmera dupla, iPhone 8 Plus é um dos atuais smartphones premium com OIS — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

A Estabilização Óptica de Imagem costuma ser superior e pode ser encontrada mais facilmente hoje em celulares premium. Entre eles, os Samsung Galaxy S8 e S8 Plus, os iPhones 8, 8 Plus e X, o LG V30 e os Google Pixel 2 e 2 XL.

Estabilização Digital

A Estabilização Digital (EIS) é outro método frequentemente utilizado pelas câmeras dos smartphones, e funciona por meio de software. Ou seja, se dá pelo processamento digital da imagem já capturada. Quando o usuário tira uma foto ou faz um vídeo, a câmera reconhece padrões, translações e rotações que indicam movimentos não intencionais e o programa gera uma compensação, minimizando os borrões.

A vantagem da EIS sobre a OIS é que a primeira não requer a adição de nenhum componente ao hardware, o que faz desse o sistema de estabilização de imagem mais barato, além de evitar a ocupação de mais espaço no dispositivo. O procedimento, no entanto, acaba comprometendo a qualidade da imagem final, incluindo a diminuição da resolução e do tamanho do frame. O maior problema da EIS é que, muitas vezes, o material base – as imagens captadas – já chega muito prejudicado, e a ferramenta simplesmente não é capaz de alterá-lo bem o suficiente.

Câmera do Zenfone 4 utiliza estabilização de imagem eletrônica — Foto: Aline Batista/TechTudo Câmera do Zenfone 4 utiliza estabilização de imagem eletrônica — Foto: Aline Batista/TechTudo

Câmera do Zenfone 4 utiliza estabilização de imagem eletrônica — Foto: Aline Batista/TechTudo

Alguns celulares já combinam as duas tecnologias para atingir resultados ainda melhores. É o caso dos telefones recentes do Google, o Pixel 2 e o 2 XL, que usam ainda um terceiro recurso nos vídeos: aprendizado de máquina (machine learning). São cruzados os dados de posicionamento da OIS e do giroscópio do celular, depois, cada frame é analisado na tentativa de compreender a intenção dos movimentos.

No fim das contas, vale lembrar que esses mecanismos não são milagrosos. Eles identificam deslocamentos sutis, que parecem indesejados, então há um limite. O usuário deve manter sempre a câmera mais imóvel possível. Movimentos extremos não serão anulados. E se o objeto da foto ou da filmagem estiver se movendo com velocidade, também não serão os estabilizadores de imagem que poderão ajudar.

Com informações: GizBot, New Atlas, Lifewire e CNet

Vídeos ficam em câmera lenta no celular Android: como resolver? Usuários trocam dicas no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo