Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A Cota é um tipo de bateria que promete "durar para sempre". O dispositivo, que foi apresentado pela Ossia durante a CES 2018, tem formato AA de uma pilha comum e recebe energia elétrica enviada pelo ar, o que tende a prolongar sua vida útil. O eletrônico deve ser uma alternativa interessante para a diminuição do consumo de baterias, além de contar com funcionalidades conectadas.

A Cota foi pensada para aplicação em sensores e aparelhos de baixa potência usados em casas conectadas. Além disso, a tecnologia da “pilha eterna” pode evoluir para atender à demanda de aparelhos maiores e mais exigentes, segundo a fabricante.

Conheça os Smart Displays expostos pelo Google na CES 2018

Conheça os Smart Displays expostos pelo Google na CES 2018

A Cota funciona por meio de um conjunto de transmissores que podem receber energia do ar. A carga é enviada em ondas de rádio na frequência de 2,4 GHz, de forma muito similar ao Wi-Fi, por uma antena transmissora específica, chamada de Cota Tile. Assim, a pilha poderia ser carregada o tempo todo, sem fios, a distâncias de até nove metros, e a bateria teria uma vida útil muito maior. Entretanto, se o consumidor quiser, pode usar um conjunto maior de transmissores, a fim de aumentar a potência e a área de cobertura do sistema.

Por falar em potência, esse é um ponto central da tecnologia, porque, no momento, o sistema está limitado a poucos watts. Segundo a Ossia, o transmissor pode enviar até 3 watts para a bateria. Conforme a distância entre os dois pontos aumenta, essa potência cai para a casa dos miliwatts, o que é insuficiente para alimentar a bateria de um smartphone, por exemplo.

Em formato de pilha, Cota pode alimentar dispositivos e receber recarga a partir do ar — Foto: Divulgação/Ossia Em formato de pilha, Cota pode alimentar dispositivos e receber recarga a partir do ar — Foto: Divulgação/Ossia

Em formato de pilha, Cota pode alimentar dispositivos e receber recarga a partir do ar — Foto: Divulgação/Ossia

Por conta disso, a fabricante pensa em usar a tecnologia em dispositivos de baixo consumo, como sensores de diversos tipos em casas conectadas. Num segundo momento, com o desenvolvimento da tecnologia, a Ossia acredita ser possível adaptar o conceito para outros tipos de uso, com perfil energético mais exigente, como TVs e outros eletrodomésticos, além de smartphones.

Além da capacidade de receber energia do ar, sem a necessidade de fios e carregadores, a bateria tem um conjunto de eletrônicos em seu interior que permitem algumas funcionalidades interessantes. Por meio de um aplicativo, o usuário pode verificar o estado de sua rede de pilhas Cota e decidir qual será carregada em determinado momento, além de monitorar dados de performance de todo o conjunto.

Usuário terá aplicativo para monitorar pilhas Cota — Foto: Divulgação/Ossia Usuário terá aplicativo para monitorar pilhas Cota — Foto: Divulgação/Ossia

Usuário terá aplicativo para monitorar pilhas Cota — Foto: Divulgação/Ossia

Preço e chegada ao mercado

A tecnologia por trás da Cota não é barata. Segundo a fabricante, em entrevista ao site Tom's Hardware, o transmissor e as pilhas deverão chegar ao mercado "por algumas centenas de dólares".

Por conta disso, as primeiras aplicações podem acabar um pouco distantes do usuário final. A Ossia fala em usar a novidade em placas digitais no interior de lojas: elas seriam alimentadas pela pilha completamente sem fio. Outro projeto envolve o uso da tecnologia no interior de automóveis.

Bateria eterna?

Baterias degradam com o tempo e a Cota não é diferente, já que está submetida à mesma termodinâmica. Entretanto, a possibilidade de manter a pilha no lugar por muito tempo, já que ela pode receber carga sempre que necessário, torna a ideia interessante do ponto de vista ecológico. Segundo a Ossia, apenas nos Estados Unidos, três bilhões de baterias são descartadas todos os anos.

MAIS DO TechTudo