Google e Mozilla trabalham em novo formato de imagem superior ao JPEG

AV1 é um codec de vídeo que pode gerar imagens mais leves e de melhor qualidade para rivalizar com o HEIC, da Apple.

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Paulo Alves, para o TechTudo

Uma parceria entre Google e Mozilla pode resultar em um novo formato de imagem mais leve e melhor que o JPEG. As empresas começaram a testar um codec baseado na tecnologia AV1, que ofereceria compressão compatível com avanços recentes da fotografia digital. Originalmente criada para vídeos, a ferramenta pode virar uma alternativa mais adequada também para imagens.

A estratégia é similar à usada pela Apple na concepção do HEIC, formato de fotos originado dos vídeos em HEVC. A expectativa é de que o AV1, como está sendo chamado por enquanto, crie arquivos ainda menores e com maior qualidade que a solução exclusiva do iPhone.

Formato originado do codec AV1 promete fotos melhores e mais leves do que o JPEG (Foto: Reprodução/people.xiph.org) Formato originado do codec AV1 promete fotos melhores e mais leves do que o JPEG (Foto: Reprodução/people.xiph.org)

Formato originado do codec AV1 promete fotos melhores e mais leves do que o JPEG (Foto: Reprodução/people.xiph.org)

Google e Mozilla trabalham no projeto sob o guarda-chuva da Alliance for Open Media, um grupo de empresas que inclui também Amazon, ARM, Cisco, Facebook, IBM, Intel, Microsoft, Netflix, NVIDIA e a própria Apple. A dupla pretende criar um tipo de compressão que supere o JPEG, que teria ficado ultrapassado 20 anos depois de seu surgimento.

Os primeiros testes mostram que o AV1 é capaz de suportar imagens com maior gama de cores e alcance dinâmico, além de proporcionar mais detalhes, brilho e contraste. Ainda assim, o arquivo resultante teria 15% menos bytes do que o formato HEIC, e uma fração do JPEG. A promessa do AV1 é unificar as qualidades de vários formatos populares de imagens, substituindo o JPEG para paisagens, o PNG para textos e logos e o WebP, do Google, para exibição na web.

O novo formato também tem chances de se tornar popular mais rapidamente do que o HEIC, pois não exige licença de utilização. Por conta da baixa compatibilidade do formato, a Apple é obrigada a converter arquivos de HEIC para JPEG quando o usuário compartilha fotos do iPhone nas redes sociais. Com uma adesão maior da indústria, o AV1 poderia acabar também com esse problema e se tornar um formato universal como o JPEG.

Não se sabe qual o real envolvimento da Apple no projeto, apesar da participação oficial da empresa na Alliance for Open Media. Por enquanto, o suporte de companhias de vários setores dá sinal verde para a tecnologia ganhar tração no mercado uma vez que seja lançada. Os navegadores Google Chrome e Mozilla Firefox, em tese, devem oferecer compatibilidade imediata.

Ainda não há previsão para a novidade ser liberada em definitivo. Apesar da expectativa em torno do formato de imagem, o grupo diz estar focado primeiramente no lançamento do AV1 para vídeos.

Formato de imagem AV1 deve demorar para chegar aos usuários (Foto: Reprodução/people.xiph.org) Formato de imagem AV1 deve demorar para chegar aos usuários (Foto: Reprodução/people.xiph.org)

Formato de imagem AV1 deve demorar para chegar aos usuários (Foto: Reprodução/people.xiph.org)

Compressão

Quando o usuário fotografa uma cena, a luz recebida pelo sensor da câmera é processada pelo chip do celular. O componente gera um arquivo comprimido em determinado formato que pode ser lido pelo dispositivo e exibido na tela, como o JPEG. A compressão de fotos é, portanto, uma técnica aplicada por sistemas operacionais e aplicativos para transformar os dados originais da foto em um arquivo reconhecível por outros aparelhos.

Por muito tempo, o JPEG tem sido o tipo de compressão mais usado em smartphones, computadores ou na web. A defasagem do formato, porém, faz com que o arquivo de imagem gerado por um celular deixe de refletir a paisagem real capturada pela lente, prejudicando a experiência do usuário. Uma foto tirada pelo iPhone X comprimida em JPEG para postar no Facebook, por exemplo, não evidencia a qualidade original do clique.

A ideia por trás do AV1 é criar um tipo de compressão mais avançado, que considere a evolução das câmeras fotográficas nos últimos anos. À medida que houver maior adoção da indústria, uma foto comprimida em AV1 poderá ser exibida na web sem maiores problemas, aumentando a qualidade das imagens do feed ainda que tenham sido tiradas pelas mesmas câmeras de sempre. O suporte a fotos em 3D, Live Photos, panorâmicas e outros tipos de imagem também está na lista de recursos prometidos pelo novo codec.

Via CNet

Qual o melhor app gratuito para editar fotos? Descubra no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo