Por André Luiz de Mello Pereira, para TechTudo


Resident Evil 2 é um dos jogos mais queridos por fãs de games, mostrando a verdadeira força da franquia com zumbis da Capcom que marcou uma geração. O título completa 20 anos de lançamento em 2018 e, com a possibilidade de a Capcom mostrar mais sobre o remake do game em breve, o TechTudo relembra de algumas curiosidades sobre ele:

A chegada da sequência

Resident Evil chegou ao PlayStation em 1996, revolucionando o gênero de survivor horror, colocando uma equipe de policiais especiais em uma mansão tomada por zumbis. Com uma dificuldade desafiadora e uma trama que lembrava bastante os filmes com mortos vivos, o jogo foi um sucesso imenso para a Capcom, gerando uma legião de fãs que aguardavam por uma eventual sequência.

Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/Watch Us Play Games Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/Watch Us Play Games

Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/Watch Us Play Games

Um ano depois, em 1997, a Capcom começou a trabalhar em sua sequência, mas em vez de prosseguir com os mesmos personagens do primeiro game, o jogo trouxe novos heróis: Leon Kennedy e Claire Redfield.

Leon, um policial recém-chegado a Racoon City e tendo que enfrentar um apocalipse zumbi, e Claire, irmã de Chris Redfield, chegando na cidade para procurar seu irmão. Eles acabam se encontrando e se refugiam na Delegacia de Polícia da cidade, onde toda a trama do jogo se passa.

Lançado em 98 para PlayStation, o game acabou sendo portado para várias plataformas, ganhando versões para PC, Dreamcast, o portátil Game.com e o Nintendo 64. Se a Capcom não tivesse conseguido produzir algo tão bom ou melhor que o primeiro game, a chance de ter uma nova franquia de sucesso em mãos teria ido por água abaixo. Felizmente, deu tudo certo e RE2 firmou a série no mundo dos games, gerando diversos títulos e passando do gênero survivor horror, para ação e, recentemente, se reinventando novamente como um terror em primeira pessoa.

Resident Evil 2 poderia ser diferente

Antes de termos o jogo com Leon e Claire, a Capcom estava produzindo uma versão, hoje conhecida como Resident Evil 1.5, que trazia outra heroína, Elza Walker, junto com Leon Kennedy.

Elza em tela de Resident Evil 1.5 — Foto: Reprodução/YouTube Elza em tela de Resident Evil 1.5 — Foto: Reprodução/YouTube

Elza em tela de Resident Evil 1.5 — Foto: Reprodução/YouTube

Mudanças na trama e personagens marcavam o game, que acabou sendo descartado com aproximadamente 70% de sua produção concluída. De acordo com Shinji Mikami, criador da série, o game estava o desagradando pela maneira como estava sendo finalizado, com problemas nos seus gráficos e trama. Eventualmente, o código do jogo acabou vazando na internet, onde uma versão para PC de RE 1.5 acabou sendo disponibilizado, após ser finalizado por fãs.

Comerciais pelo mestre do cinema com zumbis

Quando a Capcom começou a divulgar Resident Evil 2, chamou o diretor de cinema George A. Romero, responsável por filmes como A Noite dos Mortos Vivos, Madrugada dos Mortos, entre outros, para dirigir comerciais live action do game.

O diretor aceitou, começando um relacionamento que eventualmente geraria uma adaptação dos filmes para o cinema. Mas, problemas com o roteiro feito por Romero e a visão que ele tinha para o projeto fizeram ele abandonar a direção, que acabou ficando com o diretor Paul W. S. Anderson.

Um disco para cada personagem

Resident Evil 2 impressionou muitos jogadores quando foi lançado com dois discos. Até aí, ter dois discos não era um problema, vide que alguns RPGs já haviam sido lançados com mais discos no PS1. O que impressionou foi que cada disco trazia uma campanha para um dos personagens.

RE2 tinha um disco para cada personagem — Foto: Reprodução/DeviantArt RE2 tinha um disco para cada personagem — Foto: Reprodução/DeviantArt

RE2 tinha um disco para cada personagem — Foto: Reprodução/DeviantArt

Em vez de criar uma opção para escolher um personagem, a Capcom dividiu o jogo em dois, trazendo diferenças na trama conforme o disco que você escolhia para jogar, algo incomum até os dias de hoje.

Port para Nintendo 64

Apesar de Resident Evil 2 ter ports para várias plataformas, é a versão para Nintendo 64 que realmente merece a atenção e o respeito de todos. Isso porque o console da Nintendo trazia várias limitações que poderiam tornar impossível levar o jogo para a plataforma.

Caixa de Resident Evil 2 para Nintendo 64 — Foto: Divulgação/Capcom Caixa de Resident Evil 2 para Nintendo 64 — Foto: Divulgação/Capcom

Caixa de Resident Evil 2 para Nintendo 64 — Foto: Divulgação/Capcom

O desconhecido estúdio Angel Studios assumiu o projeto e consegui fazer milagre, colocando todo o jogo, inclusive suas animações em computação gráfica, em um cartucho do Nintendo 64. Apesar de ter gráficos comprimidos, o trabalho feito pelo estúdio é impressionante e ainda conseguiu ser o melhor port do jogo dentre as outras plataformas.

Mais violência no ocidente

Lançado em todo o mundo, Resident Evil 2 teve algumas alterações entre versões ocidentais e orientais, em especial as edições americanas e japonesas do jogo. Enquanto no Resident Evil 2 lançado nos EUA as mortes dos personagens eram muito violentas, na versão japonesa, nada era mostrado, deixando apenas um aviso de game over na tela.

Cenas de ataques são mais violentas na versão ocidental de Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/YouTube Cenas de ataques são mais violentas na versão ocidental de Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/YouTube

Cenas de ataques são mais violentas na versão ocidental de Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/YouTube

Isso se deu a medidas japonesas para evitar jogos violentos, o que foi acatado pela Capcom. Isso pode ser visto ao longo do jogo, em que a versão ocidental pode ser considerada “sem cortes”.

Versão de Nintendo 64 traz ligações com jogos que nem haviam sido lançados

Outro motivo pelo qual a versão de Resident Evil 2 para Nintendo 64 merece uma atenção por parte dos fãs é o fato de ela trazer material exclusivo que liga o jogo a outros títulos da franquia.

Documentos exclusivos da versão de Nintendo 64 de Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/Resident Evil Wiki Documentos exclusivos da versão de Nintendo 64 de Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/Resident Evil Wiki

Documentos exclusivos da versão de Nintendo 64 de Resident Evil 2 — Foto: Reprodução/Resident Evil Wiki

Espalhados ao longo da campanha, os EX Files trazem informações que seriam desenvolvidas em Resident Evil 3, Resident Evil: Code Veronica e Resident Evil Zero, que seria lançado para o console, mas foi cancelado para que uma versão fosse produzida no Gamecube.

Sequências diretas em forma de novela de rádio

Após lançar o game nos videogames, a Capcom liberou a produção de duas sequências da trama de Resident Evil 2 em formato de novela de rádio. Chiisana Tōbōsha Sherry ("Sherry, a pequena fugitive”) e Ikiteita Onna Spy Ada ("Ada, a espiã, está viva"), começam logo depois do término do jogo, focando em Sherry e Ada Wong.

Capa do disco com as duas sequências em áudio de RE2 — Foto: Reprodução/Game Striker Capa do disco com as duas sequências em áudio de RE2 — Foto: Reprodução/Game Striker

Capa do disco com as duas sequências em áudio de RE2 — Foto: Reprodução/Game Striker

Após terem sido transmitidas no Japão, as novelas foram lançadas em CD. Eventualmente, com o lançamento de novos jogos, as duas histórias deixaram de ser parte do cânon do game.

Qual o melhor jogo de terror? Comente no Fórum do TechTudo!

Mais do TechTudo