Android P pode trazer mais privacidade ao usuário; saiba como funciona

Novo sistema reforça aspectos de segurança com criptografia

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Gabriel Ribeiro, para o TechTudo

O Android P ainda está no forno, mas pela prévia liberada para desenvolvedores na semana passada, já podemos ter uma noção do que esperar da nova versão do sistema. Além de uma nova forma de localização, a privacidade está entre os pontos principais em que o Google está trabalhando. Há uma série de novas funções e ajustes para reforçar a segurança do usuário, como a restrição para aplicativos em segundo plano aos sensores do aparelho.

Saiba quais são as principais mudanças relacionadas à segurança descobertas até agora na nova versão do sistema móvel do Google. O Android P será anunciado durante a Google I/O, evento voltado para a comunidade de desenvolvedores que vai acontecer em maio, nos Estados Unidos. A expectativa é que a versão chegue primeiro aos smartphones da linha Pixel apenas no segundo semestre.

Logo provisório do Android P (Foto: Divulgação/Google) Logo provisório do Android P (Foto: Divulgação/Google)

Logo provisório do Android P (Foto: Divulgação/Google)

Sensores inativos para apps em segundo plano

Atualmente, é possível autorizar o uso de câmeras, sensores e permissões de aplicativos, informações e arquivos do celular de acordo com a solicitação do app. Isto é feito quando o app é instalado e é uma boa forma de ficar por dentro de quais recursos do celular e do sistema o aplicativo irá usar. Tudo isso pode ser visualizado nas configurações do smartphone.

No entanto, uma vez que é autorizado, o aplicativo pode usar os recursos liberados como bem entender. Até mesmo quando estiver em segundo plano. Isto abre uma brecha para a violação de privacidade sem que o usuário perceba – como escutar o que está sendo falado, mesmo que o app não esteja aberto na tela do celular.

O Android P não trará recursos para impedir essas práticas. Todos os sensores e câmeras do celular ficarão bloqueados para os aplicativos que estão ociosos. Mesmo que usuário tenha dado a permissão para acessar o microfone, por exemplo, o recurso não funcionará no app que não esteja aberto na tela.

Android Oreo lista todas as permissões pedidas por aplicativos (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) Android Oreo lista todas as permissões pedidas por aplicativos (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

Android Oreo lista todas as permissões pedidas por aplicativos (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo)

A princípio, ainda não há muitos detalhes sobre como isso vai funcionar, inclusive se será possível incluir exceções. O Cerberus, usado para tirar fotos de ladrões de smartphone, é um dos maiores exemplos de aplicativos que podem ser afetados se não houver esta opção. Até o momento, acredita-se que apenas o aplicativos oficiais do Google estejam liberados. A expectativa é que este novo recurso tenha mais detalhes durante a Google I/O.

HTTPS por padrão

O HTTPS é um tipo de criptografia usada na Internet para evitar que terceiros tenham acesso aos dados trocados entre o dispositivo e o servidor. No Android P, a tecnologia será adotada como padrão, ou seja, todos os aplicativos deverão adotar o protocolo. Uma forma de garantir melhor a segurança do usuário, principalmente, para quem costuma acessar redes Wi-Fi públicas.

Endereço MAC dinâmico

O Android P também terá suporte ao endereço MAC Dinâmico. O MAC Adress é um código composto por letras e números único de cada dispositivo. A nova versão do sistema do Google vai permitir criar um novo MAC para cada rede conectada. Este recurso pode impedir que o usuário seja rastreado.

Nova versão do Androd ainda não teve o nome de doce definido (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo) Nova versão do Androd ainda não teve o nome de doce definido (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)

Nova versão do Androd ainda não teve o nome de doce definido (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)

Backup com senha e mais

A restauração do sistema através do Google Drive exigirá uma senha em aparelhos com Android P. Isso porque os dados são criptografados e só são liberados para serem instalados no aparelho quando desbloqueados mediante a inserção das credenciais corretas. Resta saber como isso será feito caso um usuário que tenha um dispositivo com Android P precise restabelecer os dados em dispositivos com outras versões do sistema.

O sistema também traz várias outras novidades, como uma padronização para a caixa de inserção de digitais. Todos os aplicativos que usarem a biometria poderão utilizar o visual padrão do Android P, uma forma para o usuário identificar quando um app é legítimo.

A nova versão ganha mais proteção para o número de série único de cada dispositivo. Agora qualquer app que queira ter acesso a este dado precisará de uma permissão especial. Essa é outra forma de evitar que o dispositivo seja rastreado.

Android 8 Oreo chega para quais celulares? Descubra no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo