Por Filipe Garrett, para o TechTudo

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

O Tinbot é um robô brasileiro criado pela DB1 em Maringá, no Paraná, para desempenhar funções em ambientes de trabalho – ele pode interagir e auxiliar os funcionários humanos. Capaz de reconhecer expressões, gestos e voz, o modelo é habilitado para se comunicar completamente em português, sua língua natural.

Assistente pessoal, recepcionista, intérprete, professor de inglês, entre outros cargos, o robô tupiniquim deve estar disponível no mercado ao longo de 2018 pelo preço de R$ 10 mil. Por enquanto, a tecnologia só está disponível para empresas.

Robô brasileiro pode assumir tarefas no ambiente de trabalho — Foto: Divulgação/DB1 Robô brasileiro pode assumir tarefas no ambiente de trabalho — Foto: Divulgação/DB1

Robô brasileiro pode assumir tarefas no ambiente de trabalho — Foto: Divulgação/DB1

O robô nasceu de um projeto pessoal de um dos funcionários da DB1, especializada em desenvolvimento de software. Marco Diniz Garcia Gomes é um dos programadores da fabricante que, depois de cursos em eletrônica e robótica, começou a desenvolver os protótipos do Tinbot. A empresa gostou da ideia e resolveu virar parceira na iniciativa de transformar o robô em produto comercial, voltado para o mercado.

Testado como uma espécie de gerente de projetos dentro da empresa, o Tinbot é capaz de analisar o trabalho da equipe e, em tom bem humorado, chamar a atenção para erros e correções nas práticas de desenvolvimento. A empresa paranaense avalia que receber broncas de um robô tem um impacto emocional menor na equipe.

Uma das parceiras da desenvolvedora na iniciativa é a Trady, escritório de contabilidade que pretende usar o Tinbot como recurso no período mais movimentado do ano para os contadores: as entregas das declarações de Imposto de Renda. Lá, o robô já interage com funcionários e até clientes, oferecendo respostas imediatas em relação ao assunto.

O Tinbot tem participado ativamente do dia a dia do escritório de contabilidade Trady,, ajudando com declarações de Imposto de Renda — Foto: Divulgação/DB1 O Tinbot tem participado ativamente do dia a dia do escritório de contabilidade Trady,, ajudando com declarações de Imposto de Renda — Foto: Divulgação/DB1

O Tinbot tem participado ativamente do dia a dia do escritório de contabilidade Trady,, ajudando com declarações de Imposto de Renda — Foto: Divulgação/DB1

De acordo com a desenvolvedora, o humanóide tem programação simples, que pode ser feita de três formas. Primeiro, por meio da "linguagem tico-tico", criada pelo idealizador do projeto, que usa emoticons para representar as reações: expressões faciais, movimento dos braços, cabeça e corpo. Outra opção é utilizar o site do Tinbot, que conta com blocos de programação, e possibilita ações mais complexas.

O caminho mais específico é por JavaScript e demanda maior conhecimento de programação por parte do usuário. O processo é mais livre e conta com funções ainda mais específicas – como, por exemplo, a leitura de sistemas internos de uma empresa. De acordo com a fabricante, atualizações vão promover novas funcionalidades e permitir que os usuários tenham capacidade de configurar um número maior de recursos.

Funcionalidades

  • Reconhecimento de fala;
  • Síntese de voz;
  • Reconhecimento facial;
  • Captação de fotos;
  • Configuração por voz;
  • Programação simplificada com linguagem própria;
  • Programação avançada com Javascript;
  • Controle de LEDs coloridos;
  • Controle de movimentos da cabeça, braços, mãos e corpo;
  • Reprodução de arquivos de áudio;
  • Expressões faciais;
  • Bateria com autonomia de 2h;

Tinbot, o robô tupiniquim  — Foto: Divulgação/DB1 Tinbot, o robô tupiniquim  — Foto: Divulgação/DB1

Tinbot, o robô tupiniquim — Foto: Divulgação/DB1

MAIS DO TechTudo