Por Isabela Cabral, para o TechTudo

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

O Google anunciou, durante o I/O 2018, a nova habilidade de sua assistente virtual: falar pelo telefone com seres humanos. Por meio de uma tecnologia chamada Duplex, a Google Assistente, em breve, será capaz de resolver pequenas tarefas do “mundo real” que exigem uma ligação.

O recurso, que mostra um passo largo no campo de inteligência artifical, promete facilitar a vida do usuário ao marcar compromissos, como uma hora no salão de beleza ou uma reserva em um restaurante. A tecnologia pode ser uma vantagem para pequenos negócios que não possuem um site ou sistema online de reservas.

Google Assistente será capaz de realizar ligações sem interferência humana — Foto: Ana Marques/TechTudo Google Assistente será capaz de realizar ligações sem interferência humana — Foto: Ana Marques/TechTudo

Google Assistente será capaz de realizar ligações sem interferência humana — Foto: Ana Marques/TechTudo

Segundo a empresa, o Google Duplex não consegue participar de qualquer conversa, mas está focado em realizar tarefas específicas pelo telefone de maneira muito natural. O sistema vai permitir que a pessoa do outro lado da linha fale normalmente, sem precisar se adaptar à máquina – como muitas vezes fazemos ao dar comandos de voz.

A complexidade da linguagem humana

Para atingir naturalidade e conforto nos diálogos, durante seu desenvolvimento, o Duplex foi explorado profundamente dentro de domínios fechados. De qualquer forma, a fala humana não tem nada de simples. Quando uma pessoa conversa com outra, ela fala rápido, se corrige no meio da frase, é prolixa, omite palavras confiando no contexto para entendimento e expressa intenções diversas dentro da mesma frase. No telefone, ainda há problemas com o som de fundo e a qualidade do áudio.

Por exemplo, ao ser questionado sobre os horários de um estabelecimento, um funcionário diz: “Então… ééé… de terça a quinta, a gente abre das onze da manhã até as duas da tarde, e depois reabre das quatro às nove. E aí na sexta, sábado, domingo… não, sexta e sábado abrimos de onze até nove e domingo de uma até nove horas.”

Google Assistente terá autonomia para marcar compromissos — Foto: Reprodução/TechTudo Google Assistente terá autonomia para marcar compromissos — Foto: Reprodução/TechTudo

Google Assistente terá autonomia para marcar compromissos — Foto: Reprodução/TechTudo

A inteligência artificial tem muitos desafios: entender a linguagem humana, imitar o comportamento natural, processar com rapidez as expectativas de tempo das respostas e gerar falas orgânicas, com as entonações certas. O Google promete grandes avanços em tudo isso.

Como o Duplex funciona

No cerne da tecnologia do Duplex, para lidar com esses desafios, está uma rede neural recorrente (RNN, na sigla em inglês) construída usando TensorFlow Estendido (TFX). A RNN é uma classe de rede neural artificial capaz de usar sua memória para processar uma sequência de dados fornecidos e agir dinamicamente ao longo de um período de tempo. O TFX é uma plataforma de propósitos amplos baseada no TensorFlow, estrutura de aprendizado de máquina – ou “machine learning” – de código aberto.

A rede neural do Duplex foi treinada com um banco de conversas telefônicas anônimas. Ela utiliza o resultado da tecnologia de reconhecimento automático de fala (ASR) do Google, bem como recursos do áudio, o histórico da conversa e seus parâmetros (como o serviço desejado para um compromisso ou a hora atual).

Diagrama explica como a inteligência artificial do Duplex opera — Foto: Divulgação/Google Diagrama explica como a inteligência artificial do Duplex opera — Foto: Divulgação/Google

Diagrama explica como a inteligência artificial do Duplex opera — Foto: Divulgação/Google

Para controlar a entonação da fala de acordo com a circunstância, é empregada uma combinação de dois mecanismos de conversão de texto para fala (TTS), um concatenativo e outro sintético. A adição de disfluências da linguagem oral, como “hummm” e “ééé”, também ajuda o resultado final a soar mais familiar e realista.

Outro ponto importante é atender às expectativas das pessoas quanto ao tempo de reação, o que varia de situação para situação. Se você diz “alô”, vai esperar do interlocutor uma resposta instantânea, pois não tem muito o que pensar. Nesse caso, o Duplex recorre a processos de menor confiança, mas mais rápidos. Enquanto isso, em certos cenários, como ao responder a frases longas e complexas, a IA aumenta o tempo de resposta.

O Google Duplex executa diálogos sofistificados de forma totalmente autônoma, mas também sabe reconhecer quando uma tarefa mais complicada está fora do seu alcance. Quando isso acontece, o sistema repassa a solicitação para um operador humano, que vai completar a tarefa. E para treinar o software em novas áreas de atuação, instrutores experientes o supervisionam trabalhando em tempo real. Conforme necessário, eles guiam os procedimentos e assim a IA vai aprendendo.

A nova tecnologia incorporada à assistente do Google vai permitir, inclusive, que o usuário faça um pedido a qualquer momento, mesmo que sua conexão esteja ruim ou que o lugar esteja fechado. Assim que for possível, o Duplex ligará para realizar a tarefa. A ferramenta pode também beneficiar pessoas com deficiência auditiva e viajantes que não falam a língua local.

Além disso, as ligações realizadas vão ajudar a tornar algumas informações acessíveis a todos, pela internet. Quando a IA ligar para saber os horários de funcionamento de um restaurante nos feriados, por exemplo, esse dado ficará disponível online.

Assistente ajuda usuário com tarefas do cotidiano — Foto: Divulgação/Google Assistente ajuda usuário com tarefas do cotidiano — Foto: Divulgação/Google

Assistente ajuda usuário com tarefas do cotidiano — Foto: Divulgação/Google

Questões éticas

O anúncio do Google Duplex foi recebido com muita surpresa e empolgação pela mídia e pelo público, mas alguns levantaram preocupações com a ética do recurso. Nas ligações de teste apresentadas no evento do Google, os atendentes parecem nem desconfiar que estão falando com um robô. Críticos da tecnologia questionaram todo esse realismo e a possibilidade de enganar um ser humano.

A companhia, porém, afirma que a assistente virtual vai se identificar durante as conversas, deixando claro que se trata de uma inteligência artificial fazendo a ligação. O Duplex ainda está em fase de testes e não há previsão de quando os usuários terão acesso.

Android P: saiba tudo sobre o sistema operacional

Android P: saiba tudo sobre o sistema operacional

Com informações: Google e The Verge

MAIS DO TechTudo