Telefonia

Por Thássius Veloso, da redação


A seleção brasileira aparece entre as favoritas da Copa do Mundo da Fifa, na Rússia. Não se pode dizer o mesmo do Brasil em outra competição: o mundial da internet móvel promovido pela OpenSignal, criadora do velocímetro de mesmo nome com a ideia de divulgar o desempenho das nações no download e upload de arquivos pelo celular. O país nem sequer passou da fase de grupos da brincadeira.

Levando em consideração os bilhões de testes realizados pelos usuários do OpenSignal – Teste de Velocidade, a organizadora da brincadeira repetiu a mesma estrutura da FIFA. Conheça os resultados nas linhas a seguir, bem como a campanha vitoriosa da Dinamarca.

Como assistir a jogos de futebol pelo celular pelo Globo Play

Como assistir a jogos de futebol pelo celular pelo Globo Play

Fase de grupos: Brasil fora

A fase de grupos repetiu os países da Copa promovida pela Fifa. O critério empregado foi a velocidade média de download, levando em consideração as velocidades e coberturas das redes 4G e 3G. Não houve confronto entre países, mas sim um ranking de resultados.

Tabela com a fase de grupos — Foto: Divulgação / OpenSignal

A Suíça levou a melhor: com conexão de 29 Mb/s (Mega), foi para a segunda etapa junto com a Sérvia (17 Mb/s). A competição acabou para costarriquenhos (7 Mb/s) e brasileiros (11 Mb/s), cuja internet 4G ficou mais lenta nos últimos seis meses, segundo o levantamento mais recente da organização.

Outras equipes com tradição no futebol, Alemanha (19 Mb/s) e Argentina (10 Mb/s) também se deram mal diante de localidades com internet mais veloz. A OpenSignal ressaltou, porém, que os dois países estavam em grupos da morte. Os alemães encararam suecos (27 Mb/s), os primeiros do mundo a ter uma rede LTE (4G), e a Coreia do Sul (45 Mb/s), cuja internet móvel é a mais rápida do planeta.

Começo do mata-mata

O critério adotado para a segunda fase foi a velocidade de 3G. Os países asiáticos deixaram a competição porque os os investimentos mais recentes têm sido na conexão de quarta geração, deixando de lado a tecnologia antecessora. Enquanto isso, a Croácia (8 Mb/s), Inglaterra (7 Mb/s) e Sérvia (12 Mb/s) seguiram em frente.

Quartas de final

As oito nações participantes das quartas de final tiveram de mostrar velocidade no envio de arquivos na rede 4G (upload). Portugal (9 Mb/s) de Cristiano Ronaldo fracassou diante da Croácia (13 Mb/s), enquanto a Sérvia (12 Mb/s) levou a melhor diante dos ingleses (8 Mb/s).

Semi-finais

A conexão em rede de quarta geração volta à tona como parâmetro das semi-finais. Aqueles países em que é possível baixar arquivos mais rapidamente seguiram para a final. Com isso, Croácia (31 Mb/s) e Sérvia (31 Mb/s) deixaram o torneio.

Copa do Mundo da internet móvel: a campanha vitoriosa da Dinamarca — Foto: Divulgação / OpenSignal

Final: Dinamarca vence

Numa última disputa entre europeus, o critério adotado foi novamente a velocidade média de download – o mesmo da fase de grupos. Os testes de velocímetro repetiram uma verdadeira bola dividida. Por uma pequena margem, a Dinamarca sagrou-se campeã, com 31 Mb/s. A vice Bélgica não ficou muito atrás, com 30 Mb/s.

A Dinamarca é o país mais rápido em todos os critérios? A OpenSignal disse que não, mas explicou que o país é um líder global do setor. Além disso, contou com a sorte logo na primeira fase, apesar de estar em um grupo da morte. “Devido aos tropeços da Austrália e da Coreia do Sul no 3G, a Dinamarca evitou a intimidante ameaça do 4G destes países asiáticos nas últimas etapas”, diz a empresa.

Com informações: OpenSignal

Mais do TechTudo