Por Paulo Alves, para o TechTudo

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Um levantamento da Avast aponta que boa parte dos roteadores no Brasil nunca foi atualizada e está vulnerável. Segundo o estudo, mais da metade (52%) dos brasileiros não sabe que o roteador tem um sistema próprio, e um número similar (43%) nunca entrou no painel de controle do aparelho para trocar login e senha de acesso. Dos que já acessaram, cerca de três quartos (72%) nunca atualizou o software do dispositivo.

A consequência, segundo a empresa de antivírus, é um alto número de roteadores sem proteção. Mesmo que as vulnerabilidades sejam conhecidas pelos fabricantes, as correções nunca foram instaladas pela maioria dos usuários. O cenário favorece ataques cibernéticos que deixam de visar celulares e computadores para focar diretamente no roteador da residência – como o VPNFilter, que infectou mais de 700 mil dispositivos no mundo este mês.

Como configurar a senha do seu roteador Wi-Fi

Como configurar a senha do seu roteador Wi-Fi

Roteadores desatualizados são vulneráveis a malwares como o VPNFilter, que se instala no roteador usando falhas conhecidas do aparelho. Como dificilmente o usuário baixou e instalou a atualização de correção, a ameaça fica livre para explorar a brecha de segurança e invadir a rede. Com esse tipo de estratégia, hackers conseguem interceptar o tráfego completo do usuário e roubar informações que não são criptografadas.

No caso do VPNFilter, o malware ainda tenta derrubar a criptografia de sites da Internet, aumentando a cobertura do ataque. Relatórios de segurança apontam que o vírus teria sido capaz de invadir até mesmo a conta bancária das vítimas. O malware afetou pessoas de 54 países, usuárias de roteadores fabricados por Asus, D-Link, Huawei, Linksys, Mikrotik, Netgear, Ubiquiti, TP-Link e ZTE.

Brasileiros estão vulneráveis em segurança de roteadores, diz pesquisa — Foto: Reprodução/Pond5 Brasileiros estão vulneráveis em segurança de roteadores, diz pesquisa — Foto: Reprodução/Pond5

Brasileiros estão vulneráveis em segurança de roteadores, diz pesquisa — Foto: Reprodução/Pond5

A Avast também cita a Satori, uma rede de bots que usa um exército de dispositivos IoT (Internet das Coisas) para invadir sistemas e forçar a mineração de criptomoedas. A botnet se espalha explorando uma vulnerabilidade nos roteadores DSL da D-Link. O Brasil é atualmente o país mais afetado.

Como se proteger

As medidas de proteção contra a vulnerabilidade do roteador devem partir do próprio usuário. Recomenda-se trocar a senha de acesso do aparelho para impedir ataques direcionados, além de atualizar o firmware manualmente assim que possível.

Outra opção é adotar roteadores inteligentes do tipo mesh, que recebem atualizações automáticas e podem ser geridos por um aplicativo do celular. Essa alternativa, porém, requer um investimento mais alto. O TP-Link Deco M5, por exemplo, tem preço aproximado de R$ 1.500 no comércio eletrônico do Brasil.

Qual é o melhor canal de roteador Wi-Fi? Saiba no Fórum do TechTudo

MAIS DO TechTudo