Por Viviane Werneck, da E3 2018, em Los Angeles

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Durante sua apresentação oficial na conferência da Bethesda, na E3 2018, Rage 2 mostrou de forma mais clara para que veio - e não espere nenhuma história profunda ou sentido lógico neste universo. O jogo, que se passa em mais um futuro pós-apocalíptico, tem o único objetivo de permitir aos jogadores destruir, explodir e atirar em tudo pela frente, e de várias maneiras diferentes. Nesse quesito, ao menos durante os testes, não há do que se reclamar.

O TechTudo testou o game na feira e traz as primeiras impressões a seguir. Rage 2 é um jogo em primeira pessoa, de mundo aberto, que chega em 2019 para PS4, Xbox One e PC.

Rage 2 permite destruir, explodir e atirar em tudo pela frente; veja teste — Foto: Divulgação/Bethesda Rage 2 permite destruir, explodir e atirar em tudo pela frente; veja teste — Foto: Divulgação/Bethesda

Rage 2 permite destruir, explodir e atirar em tudo pela frente; veja teste — Foto: Divulgação/Bethesda

A única regra é: não há regras!

Tentando traduzir em uma linguagem comparativa, Rage 2 é como se os universos de Mad Max, Borderlands e Carmageddon tivessem se unido para fazer nascer este, incomum, filho de três. Você tem a sua disposição um mundo aberto onde tudo é possível destruir, matar, queimar, atropelar e etc. E o jogo te oferece variadas formas de customização de armas e poderes especiais. Aqui não há sociedade, lei ou ordem. Sobrevive, literalmente, o mais forte.

Durante o gameplay disponível na E3 2018, testamos uma missão secundária - em que era necessário passar por hordas de inimigos, em um labirinto dentro de um ferro velho, até chegar a um centro de comando e acionar chaves para desbloquear uma arma especial. É claro que, obviamente, nada aconteceu 100% conforme os planos e a missão se tornou uma grande festival de carnificina, com membros destroçados e sangue dos inimigos voando por todos os lados. Tudo isso lindamente renderizado em riqueza de detalhes.

Rage 2: gameplay da E3 2018 mostrou um grande festival de carnificina — Foto: Divulgação/Bethesda Rage 2: gameplay da E3 2018 mostrou um grande festival de carnificina — Foto: Divulgação/Bethesda

Rage 2: gameplay da E3 2018 mostrou um grande festival de carnificina — Foto: Divulgação/Bethesda

História não faz tanto sentido, mas para que sentido nesse jogo?

Rage 2, uma co-criação das produtoras Avalanche Studios e id Software, coloca o jogador em um mundo com a humanidade à beira da extinção, após a queda de um asteroide que aniquilou 80% dos seres vivos. Os poucos humanos que restaram, aparentemente todos loucos, ou se tornaram lobos solitários ou se reuniram em gangues impiedosas e sanguinárias.

O mais influente de todos estes grupos (formados tanto por humanos quanto mutantes) se chama Autoridade e tenta dominar o restante dos sobreviventes a punho de ferro: ou obedece ou morre. Você é Walker, o último Ranger da Wasteland neste mundo caótico e, para variar, a única pessoa com o poder de ameaçar a tirania da Autoridade. Seu lar foi tomado pelo inimigo e você abandonado à beira da morte. Agora, sua única motivação na vida é lutar por justiça e pela liberdade. Tudo muito poético, mas não se esqueça de onde você está e, nesta realidade caótica, não há muito espaço para piedade. Então, detone seus inimigos com o que encontrar.

Destrua inimigos e lute pela liberdade em Rage 2 — Foto: Divulgação/Bethesda Destrua inimigos e lute pela liberdade em Rage 2 — Foto: Divulgação/Bethesda

Destrua inimigos e lute pela liberdade em Rage 2 — Foto: Divulgação/Bethesda

Veículos poderosos e mundo aberto

De monster trucks a girocópteros, “o que encontrar você pode dirigir” é o que afirma os produtores do game ao deixar bem claro o nível de liberdade disponível no ambiente aberto de Rage 2. Infelizmente, durante os testes, não tivemos a oportunidade de dar uma corrida por Wasteland, mas há a promessa de batalhas entre veículos de combate, ao bom estilo Mad Max (só que mais insano).

Como estamos lidando com um pós-apocalipse, não espere encontrar nenhum supermercado ou loja de ferramentas. Coletar itens e matérias-primas é fundamental para aprimorar armas, armaduras e até suas habilidades especiais. Com os poderes devastadores de Nanotrite e Overdrive à sua disposição, você terá a possibilidade de explorar o potencial das suas armas além dos limites mecânicos. Essas habilidades, inclusive, contam com um belo efeito visual e destruidor, como lançar um inimigo à distância com as mãos, ou saltar e dar um soco energizado no chão - explodindo tudo à volta.

Você pode dirigir o que encontrar em Rage 2 — Foto: Divulgação/Bethesda Você pode dirigir o que encontrar em Rage 2 — Foto: Divulgação/Bethesda

Você pode dirigir o que encontrar em Rage 2 — Foto: Divulgação/Bethesda

Bela explosão de cores e morte

Rage 2 promete um universo mais caótico e interessante de se explorar que o primeiro título da série, que não caiu muito no gosto dos jogadores em geral. A mistura entre liberdade de destruição, loucura e cores (não apenas o vermelho sangue) resulta em um bom game para extravasar a tensão de forma despretensiosa. Ainda sem uma data definida e apenas listado para 2019, o título promete ser uma adição louca e caótica à altura dos grandes games de tiro em primeira pessoa.

MAIS DO TechTudo