Jogos de RPG

Por Viviane Werneck, da E3 2018, em Los Angeles


The Elder Scrolls: Blades é a nova aposta mobile da Bethesda, após o sucesso de Fallout Shelter. Com gameplay que lembra um pouco Infinity Blade, lançado para iOS, TES Blades até diverte, trazendo customização de personagens, armas e armaduras com certa variedade, mas não espere nenhum Skyrim. O TechTudo testou o jogo, que será gratuito para smartphones com iOS e Android, durante a E3 2018, e traz as primeiras impressões a seguir.

Confira nossas impressões de The Elder Scrolls Blades — Foto: Divulgação/Bethesda

Antes de mais nada, quem são os Blades?

No “lore”, ou seja, na lenda de The Elder Scrolls, os Blades fazem parte de uma facção de habilidosos guerreiros, fundada na Primeira Era, a serviço da província imperial de Cyrodiil. Eles formam a elite de guarda-costas pessoais do imperador e também são agentes do governo central, trabalhando como espiões e realizando missões especiais.

Os Blades, posteriormente, se tornaram uma organização independente para proteger o reino de Tamriel em segredo e, assim, esperar para servir e guiar um novo Dragonborn, como o que aconteceu em The Elder Scrolls V: Skyrim.

Os Blades são a elite de guarda-costas pessoais do imperador em The Elder Scrolls Blades — Foto: Divulgação/Bethesda

Mesmos fundamentos, gameplay simplificado

Blades apresenta o início básico de qualquer jogo da série The Elder Scrolls: você começa sua aventura em alguma situação bem desconfortável e com o mínimo (ou nada) de proteção ou armamento. No game mobile, você precisa escapar com vida de uma ruína élfica infestada por aranhas gigantes e goblins. Sua única proteção inicial é uma armadura surrada e uma espada que já viu dias melhores.

Para atacar os inimigos basta tocar no canto direito da tela. Para defender é só tocar no esquerdo. O timing para erguer o escudo nem sempre condiz com o toque na tela, fazendo o seu personagem ser atingido mesmo tendo acionado antes a defesa.

The Elder Scrolls Blades: basta tocar na tela para o personagem ir até local marcado — Foto: Divulgação/Bethesda

O sistema de batalha de TES Blades lembra, um pouco, o clássico de iOS Infinity Blade, mas a execução dos combos de ataque e defesa deste último é mais precisa e com animações mais interessantes. Para se movimentar em Blades, basta tocar em algum lugar a sua frente que o herói irá até o local marcado, mesmo se ficar temporariamente preso numa árvore.

Visualmente bem detalhado para um game mobile

Apesar da brincadeira de que a Bethesda “quer colocar Skyrim em qualquer lugar”, transportar um mundo tão vasto como este, por exemplo, para o celular não é tão simples. TES Blades entrega um visual bem trabalhado, mesmo para uma versão mais condensada do próprio universo da série. Por conta das limitações da plataforma, gerar essa quantidade de detalhes vai de encontro com a extensão do mapa. A exploração das localidades existe, mas é limitada e, por vezes, você vai se pegar andando em círculos. Como a visão do seu personagem é em primeira pessoa, o máximo que irá enxergar de você mesmo é a sua arma e escudo, por exemplo.

The Elder Scrolls Blades tem visuais consideráveis para um game mobile — Foto: Divulgação/Bethesda

Vale jogar?

The Elder Scrolls: Blades tem previsão de lançamento para o final deste ano e, sendo de graça, é uma boa opção para passar o tempo livre. Ainda não se sabe quais são os requisitos mínimos do sistema, mas devido a quantidade de detalhes visuais, não seria surpresa que smartphones mais simples tenham dificuldade para rodá-lo. No mais, a customização dos personagens, armas e armadura e até mesmo a exploração limitada podem se tornar um convite interessante para o tédio dos engarrafamentos ou filas do dia a dia.

Qual o melhor jogo da Bethesda? Comente no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo