Por Filipe Garrett, para o TechTudo

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

A Apple liberou uma atualização de macOS para corrigir o problema de “throttling” do MacBook Pro 2018 com processadores de oitava geração da Intel. Dessa forma, a fabricante reconhece o problema levantado por usuários que, durante testes, identificaram uma queda na performance da versão de 15 polegadas equipada com o chip i9.

Com o bug, o notebook pode apresentar desempenho inferior se comparado aos MacBooks Pro anteriores, que apresentam i7 de sétima geração. O update do sistema operacional já está disponível no site oficial da marca e se aplica apenas aos modelos lançados em 2018.

Atualização de sistema operacional visa corrigir o throttling severo dos novos laptops — Foto: Divulgação/Apple Atualização de sistema operacional visa corrigir o throttling severo dos novos laptops — Foto: Divulgação/Apple

Atualização de sistema operacional visa corrigir o throttling severo dos novos laptops — Foto: Divulgação/Apple

O que é throttling?

O “throttling” ocorre quando o processador precisa diminuir sua performance para controlar a dissipação de calor e evitar travamentos. A medida funciona também para impedir que o chip sofra danos físicos, já que há um limite de temperatura para que o processador opere com segurança. Durante situações em que o sistema é bem exigido, o fenômeno pode ser observado com mais facilidade, e o usuário pode perceber que o computador fica mais lento e acelera de forma constante.

No MacBook Pro 2018, o throttling vinha sendo agressivo a ponto de fazer com que o modelo top de linha, equipado com o hexa-core i9, tivesse performance inferior a um MacBook Pro mais antigo, com i7 de sétima geração. O youtuber David Lee foi o primeiro a identificar o problema ao comparar a performance do modelo atual e seu processador i9 com uma unidade de geração anterior. Depois, outros testes de estresse realizados por sites e usuários confirmaram o ocorrido.

A correção da Apple visa controlar o comportamento do processador para não oscilar tanto no desempenho. Como a medida de segurança está relacionada com geração de calor durante o uso em situações de alta demanda, é possível que a fabricante tenha aplicado algum tipo de controle no processador que não permita à unidade acelerar e aquecer tão rápido.

Mais problemas?

Recuperar dados pode ser impossível em MacBooks Pro com defeito na placa-mãe — Foto: Divulgação/Apple Recuperar dados pode ser impossível em MacBooks Pro com defeito na placa-mãe — Foto: Divulgação/Apple

Recuperar dados pode ser impossível em MacBooks Pro com defeito na placa-mãe — Foto: Divulgação/Apple

Outra polêmica que vem chamando a atenção tem relação com o armazenamento dos ultrabooks da Apple. Os novos MacBooks Pro têm um design que torna a recuperação de dados do SSD quase impossível, caso a placa-mãe apresente algum problema.

Assim como em gerações anteriores, os novos Pro têm disco de estado sólido praticamente embutido na placa. Entretanto, as versões anteriores traziam uma porta especial na placa-mãe que possibilitava aos técnicos da Apple acessarem os dados corrompidos e, assim, recuperá-los. Sem o recurso, um MacBook Pro com problemas na placa-mãe pode condenar os dados do usuário.

Segundo o MacRumors, a empresa tem instruído seus funcionários para insistir no uso frequente da ferramenta Time Machine, do macOS, garantindo backups atualizados na nuvem. Outra opção para evitar futuros problemas é subir os arquivos para uma unidade de disco externa.

Qual comprar: Macbook Air ou MacBook Pro? Saiba no Fórum do TechTudo

MAIS DO TechTudo