Por Gabrielle Fonseca


A toxicidade é recorrente em jogos como Dota 2, League of Legends (LoL), Counter Strike: Global Offensive (CS:GO), Overwatch e Rainbow Six: Siege. Apesar de provocações e brincadeiras serem comuns em games competitivos, posturas agressivas, xingamentos e trapaças excedem o limite da diversão. Por isso, usuários com esse tipo de comportamento podem sofrer punições diversas e até mesmo ficar permanentemente longe de seu jogo preferido. Veja, a seguir, o que é toxicidade, como as desenvolvedoras punem os usuários tóxicos e relembre casos de pro player que tiveram posturas indevidas.

Comportamentos violentos e preconceituosos são proibidos em jogos como CS:GO, Dota 2 e LoL — Foto: Divulgação/Bully Hunters Comportamentos violentos e preconceituosos são proibidos em jogos como CS:GO, Dota 2 e LoL — Foto: Divulgação/Bully Hunters

Comportamentos violentos e preconceituosos são proibidos em jogos como CS:GO, Dota 2 e LoL — Foto: Divulgação/Bully Hunters

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

O que é toxicidade?

Comportamentos tóxicos são aqueles que excedem o limite da competitividade e da disputa justa e agradável. Usuários considerados tóxicos prejudicam outros jogadores individualmente ou atrapalham até mesmo toda a sua equipe. Xingamentos diversos, racismo, xenofobia, agressão verbal, assédio, discurso de ódio e bullying são algumas das ações nocivas de alguns desses jogadores nas comunidades. Pode ainda ser caracterizado como tóxico aquele usuário que se recusa a colaborar com seu time, apresenta desempenho ruim nas partidas de forma proposital, joga para favorecer o adversário e que costuma abandonar partidas.

Todas essas condutas abusivas podem ser denunciadas para as desenvolvedoras dos jogos. Quando o jogador é reportado por mau comportamento, a acusação contra ele é analisada e, se confirmada a atitude indevida, será aplicada uma punição. A penalidade varia de acordo com a gravidade de cada caso e com a frequência de comportamento negativo de um usuário. Deste modo, as suspensões, os banimentos e os sistemas de denúncia variam de acordo com as desenvolvedoras.

As ferramentas para reportar adversários são de extrema importância para que o ambiente de diversos games sejam seguros. Por isso, elas devem ser usadas com seriedade para evitar que suas denúncias entrem em descrédito ou percam relevância para o suporte do seu jogo favorito.

Quais jogos proíbem esse comportamento?

O Código dos Invocadores de League of Legends traz 9 medidas positivas a serem cumpridas pelos jogadores — Foto: Reprodução League of Legends/Gabrielle Fonseca O Código dos Invocadores de League of Legends traz 9 medidas positivas a serem cumpridas pelos jogadores — Foto: Reprodução League of Legends/Gabrielle Fonseca

O Código dos Invocadores de League of Legends traz 9 medidas positivas a serem cumpridas pelos jogadores — Foto: Reprodução League of Legends/Gabrielle Fonseca

Dispositivos para denúncias de usuários estão presentes em diversos jogos, como League of Legends, Overwatch, Rainbow Six Siege, Dota2 e CS:GO. Todos eles possuem um código de conduta, que regulamenta o comportamento dos jogadores nas partidas e delimita as punições aplicadas em cada caso. De modo geral, todo jogador tem direito de denunciar outro usuário quando se sentir prejudicado ou insultado. A denúncia deve ser avaliada pelo suporte do game, e a empresa tomará as medidas cabíveis, podendo ou não punir o usuário denunciado.

As punições podem ser desde um simples silenciamento do jogador no chat das partidas, até a restrição da participação dele em jogos no modo competitivo. Há ainda chance de que a denúncia tome proporções maiores, acarretando em suspensões que duram semanas. Em casos mais graves, a conta do usuário pode ser permanentemente excluída.

Em League of Legends, as ferramentas de denúncia e controle de qualidade na comunidade são diversas. A empresa desenvolvedora do jogo, Riot Games, aplica medidas de acordo com a recorrência de comportamento negativo do jogador. Desse modo, um invocador que tenha comportamento negativo em um dia ruim, mas que não costuma assumir esse tipo de postura em partidas, não receberá punições. No entanto, aquele que receber denúncias constantes e que apresentar uma postura excessivamente agressiva será punido sem chance de negociação com a empresa.

Para incentivar positivamente sua comunidade, a Riot Games criou eventos como o Acampamento Yordle e o sistema de honras, que encorajam e recompensam jogadores cuja conduta é pacífica e respeitosa. A desenvolvedora ainda disponibiliza em seu site o Código dos Invocadores, que apresenta algumas das atitudes desejáveis para os usuários de League of Legends. No Código, espera-se paciência com jogadores novatos, respeito aos adversários, colaboração com a equipe, entre outras medidas.

Existem 4 categorias de análise no sistema Vigilância de CS:GO — Foto: Reprodução  Comunidade Steam/Counter-Strike: Global Offensive Existem 4 categorias de análise no sistema Vigilância de CS:GO — Foto: Reprodução  Comunidade Steam/Counter-Strike: Global Offensive

Existem 4 categorias de análise no sistema Vigilância de CS:GO — Foto: Reprodução Comunidade Steam/Counter-Strike: Global Offensive

Em Counter-Strike: Global Offensive, por sua vez, há um outro tipo de sistema que propõe maior participação dos membros da comunidade nesse processo. As denúncias realizadas pelos usuários dos games são analisadas por jogadores de confiança, com anos de experiência e histórico de boas condutas em partidas. Esses moderadores, que analisam o comportamento de outros usuários, são chamados de “investigadores”. Eles analisam cada caso através de repetições de rounds de uma partida. Esses jogadores fazem parte do sistema Overwatch (Vigilância), que policia e analisa trapaças, posturas agressivas e atitudes negativas na comunidade do CS:GO.

Por outro lado, jogos da Blizzard, como Overwatch, Call of Duty, World of Warcraft e StarCraft II possuem um regimento único. O regimento da desenvolvedora de games é semelhante ao Código do Invocador de League of Legends. Ele espera dos membros da comunidade de jogos da Blizzard um jogo limpo, sem qualquer tipo de trapaça, com respeito aos demais jogadores e colaboração dos usuários pela busca da vitória na partida. Ainda no site da empresa, é possível encontrar uma página que informa passo a passo como denunciar um usuário dentro da plataforma de cada um dos jogos da desenvolvedora.

Já no jogo Dota 2, há um sistema um pouco diferente que permite ao gamer fazer uma autocrítica sobre seus atos em partidas. O MOBA possui uma ferramenta de controle diferenciada, o Relatório de Conduta. Esse dispositivo permite que os jogadores saibam quantas vezes eles abandonaram partidas, foram denunciados ou foram elogiados durante os últimos 25 confrontos. O relatório é enviado ao usuário a cada 10 partidas. Em caso de punição por excesso de denúncias ou de abandonos de partidas, o jogador entra em fila de baixa prioridade, que faz com que ele demore muito mais para encontrar players disponíveis para um confronto.

O Boletim de Conduta de Dota 2 é feito para que os jogadores exercitem uma autocrítica sobre comportamento em partidas — Foto: Reprodução Dota 2/Dota 2 Wiki O Boletim de Conduta de Dota 2 é feito para que os jogadores exercitem uma autocrítica sobre comportamento em partidas — Foto: Reprodução Dota 2/Dota 2 Wiki

O Boletim de Conduta de Dota 2 é feito para que os jogadores exercitem uma autocrítica sobre comportamento em partidas — Foto: Reprodução Dota 2/Dota 2 Wiki

Por fim, em Rainbow Six: Siege, jogo que possui uma das comunidades mais preocupantes em termos toxicidade, o código de conduta não se difere muito dos já citados. Assim como os demais, o game também não permite agressões verbais diversas, insultos, trapaças e modificações no software do jogo, além de punir aquele se passar por um funcionário da empresa desenvolvedora do game, a Ubisoft.

A toxicidade nos esports

Mesmo quando a competitividade está em um nível profissional, é possível encontrar casos de conduta nociva de jogadores. Reflexo da própria comunidade de que fazem parte, alguns pro players já apresentaram comportamentos nada exemplares em torneios. Em 2017, o jogador brasileiro de League of Legends Guilherme "Vash" Del Buono foi multado em R$ 1,5 mil após ofensas em partidas de solo queue. O então jogador da CNB e-Sports Club havia insultado o pro player Victor "cabuloso" Oliveira, além de também ter tido comportamento racista anteriormente.

Outro caso recente de má conduta de jogadores profissionais aconteceu com um competidor de Overwatch. Félix “xQc” Lengyel, que fazia parte do time Dallas Fuel, havia feito um comentário de cunho homofóbico contra Austin “Muma” Wilmot, do Houston Outlaws. Por essa infração, o jogador recebeu multa de US$S 2 mil (aproximadamente R$ 8 mil), e foi suspenso por quatro jogos. Mais tarde, o pro player teve outra atitude tóxica ao usar um emote repetidamente, de forma racista, contra outro jogador. Félix “xQc” Lengyel recebeu nova multa da Blizzard, dessa vez de U$S 4 mil, e foi suspenso por mais quatro partidas.

MAIS DO TechTudo