Por Raquel Freire, para o TechTudo


As patinetes elétricas compartilhadas, que já são febre nos Estados Unidos, desembarcaram no Brasil. Acaba de chegar em São Paulo o Scoo, que promete expandir para outras cidades do país, como Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Porto Alegre. O serviço traz a proposta de proporcionar mobilidade acessível para deslocamentos de curta distância, oferecendo aluguel a partir de R$ 1. Vale citar que, durante o período de testes, o uso é gratuito.

As locações serão feitas a partir de aplicativo para celular, que terá versões para Android e iPhone (iOS), no estilo Uber. No entanto, os apps ainda não estão disponíveis para baixar nas lojas de Google e Apple, o que acontecerá somente após a fase de testes, prevista para terminar em meados de setembro.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Scoo, novo serviço de patinete elétrica compartilhada que chegou em São Paulo  — Foto: Divulgação/Scoo Scoo, novo serviço de patinete elétrica compartilhada que chegou em São Paulo  — Foto: Divulgação/Scoo

Scoo, novo serviço de patinete elétrica compartilhada que chegou em São Paulo — Foto: Divulgação/Scoo

Em um primeiro momento, as patinetes Scoo chegam apenas em pontos próximos às ciclovias da Avenida Paulista, do Parque do Ibirapuera e da região da Avenida Faria Lima. A empresa afirma que novos locais na cidade serão anunciados em breve, mas não foi divulgada uma data exata. Também há intenção de expandir para outras capitais, mas a ideia dos desenvolvedores é que a operação seja feita por meio de investimentos privados em cada região. Não foram anunciadas datas para este movimento.

Durante o período de testes, o uso é gratuito. Quem quiser participar do experimento precisará apenas preencher o formulário de cadastro de usuário beta. O modelo exige o envio de informações como nome completo, RG, CPF, e-mail, peso, se tem ou não carteira de motorista, entre outros dados. A experiência prática é utilizada para que os criadores façam ajustes na operação, aplicativo e outras funcionalidades.

A estimativa é que o sistema comece a funcionar plenamente já em setembro. Para alugar, basta baixar o app no smartphone, fazer o cadastro e localizar no mapa a patinete mais próxima, que será destravada com ajuda da câmera do celular. Será cobrado R$ 1 para destravar, valor fixo até quatro minutos de uso. Depois desse tempo, o cliente pagará R$ 0,25 por cada minuto.

Scoo custarão R$ 1 durante os 4 primeiros minutos, com adição de R$ 0,25 por minuto após o período  — Foto: Divulgação/Scoo Scoo custarão R$ 1 durante os 4 primeiros minutos, com adição de R$ 0,25 por minuto após o período  — Foto: Divulgação/Scoo

Scoo custarão R$ 1 durante os 4 primeiros minutos, com adição de R$ 0,25 por minuto após o período — Foto: Divulgação/Scoo

O veículo terá pontos específicos de estacionamento, diferentemente do que tem sido feito nos Estados Unidos, onde os usuários deixam as patinetes em qualquer lugar – situação que tem causado transtorno em várias cidades norte-americanas.

As patinetes deverão ser utilizadas somente em ciclofaixas, nunca nas ruas. Ela está autorizada apenas para maiores de 18 anos, embora o formulário de cadastro beta inclua a opção de preenchimento para menores de idade.

A Scoo inclui um capacete de segurança, pelo qual não será cobrada taxa extra, além de trazer componentes como campainha, farol, freio, luzes indicadores de freio e bateria e prancha antiderrapante. O corpo do transporte é fabricado em liga de alumínio de classe aeronáutica e suporta carga de até 125 kg, com peso próprio de 12,5 kg.

A empresa não informa a velocidade máxima das patinetes, mas afirma que é cinco vezes mais rápido do que andar a pé. Como a média de uma pessoa caminhando é de 5 km/h, a promessa é de 25 km/h.

Via Scoo

MAIS DO TechTudo